Jump to content
Arquitectura.pt


missDior

Membros
  • Content Count

    20
  • Joined

  • Last visited

  1. Agradeço-lhe a celeridade e lucidez da sua resposta. Como já deve ter reparado noutros posts meus, andei algum tempo à deriva, aconselhando-me com este ou aquele até encontrar o arquitecto que considerava adequado para o meu caso e que me desse repostas satisfatórias. Nem imagina as coisas que ouvi desde "qual caleira na cx de ar? Não há água na cx de ar! ", " materiais é com o Sr Engº" ; " quem acompanha a obra é o Engº" ... Acredito que muitos devem ter perdido a paciência comigo, mas se não me tivesse informado adequadamente acredite que enveredaria por caminhos pouco claros e arriscados aconselhada por profissionais que infelizmente não dão o exemplo da verdadeira vertente da arquitectura, tornando-a só e apenas no desenho de uma casa... Cheguei a questionar-me sobre qual seria a diferença entre um arquitecto e um desenhador... Após vários contactos encontrei finalmente um verdadeiro Arquitecto! Alguém que não delega para os outros profissionais o conhecimento e escolha dos materiais, soluções construtivas, que equaciona soluções de climatização com o minimo dispendio de energia, sistemas de ventilação... Que elabora um projecto de execução extremamente minucioso e ainda assim conciso, que nos dá um caderno de encargos devidamente preenchido, enfim coisas que para vós são já sobejamente conhecidas mas que as reconheci nele à medida que falava e explicava por já ter aqui lido e tb noutros fórums. Posso estar a ser ingénua mas a sensação de segurança que o Arquitecto nos oferece é imcomparável à inquietude de alma e mente em que nos encontrávamos ao dialogar com outros seus pares... Admiro muito o Arquitecto em questão e seria arrogância e presunção da minha parte pensar que lendo umas coisitas aqui e ali me poderia alguma vez equiparar-me a ele. Apenas penso que ao informar-me posso discutir com ele as soluções que propõe sem nunca querer ser mais conhecedora que ele e tenho a certeza que escolherá sempre o melhor para o nosso projecto. Sei que vai ser mais dispendioso que qualquer um dos outros arquitectos mas há coisas que não têm preço e como diz um amigo: o segredo de uma boa construção é um bom projecto feito ao mínimo detalhe por um bom arquitecto! E não precisa ser o Álvaro Siza Vieira. Há pessoas muito discretas e extremamente competentes por esse Portugal fora! Este Fórum contribui para que com algumas ajudas consigamos fazer as opções que mais se nos adequam. Bem hajam
  2. Desculpe não me fiz entender; Não é confusão estou apenas a equacionar diversos métodos construtivos e questionava-me acerca da preferência por parede dupla no exterior. Por exemplo os ingleses fazem uma parede muito larga e apostam no isolamento pelo interior! Além disso quando indaguei acerca das divisórias interiores em pladur ( para todas as divisórias, entenda-se) disseram-me não haver necessidade uma vez que a humidade ascendente será nula. Outro ponto: preocupa-me como se anulam as pontes térmicas com a parede dupla, o que não acontece se se utilizar isolamento pelo exterior/interior. Obrigada mD
  3. Suscitam-me algumas dúvidas em relação ao método construtivo que espero me possam esclarecer: Estou em fase de projecto de moradia e ao falar com o arquitecto este afirmou ser obrigatório parede dupla ( com caixa de ar) para respeito do novo RCCTE.A minha questão é se para respeitar aquele regulamento não poderia fazer uma parede simples mas com isolamento pelo interior com placas de gesso cartonado( parede com fraca inércia térmica?) uma vez que a casa só será ocupada ao final do dia como a maioria da população portuguesa trabalhadora e assim aqueceria mais rapidamente... As temperaturas da zona em questão são Mín: 6ºC no Inverno e Máx: 27ºC no Verão.Também equaciono as divisórias em pladur como o Sr. Engº efectuou, mas agradecia mais opiniões, por favor. Grata por toda a ajuda deste site mD
  4. Olá a todos! Obrigada pelas respostas mas o que tenho aprendido nestes tempos em que procuro a melhor solução é que os profissionais são diferentes e cada caso é um caso, embora me tenha desapontado um pouco... A solução LSF já não está a ser muito pensada porque após encontro com uma das empresas não facilitavam a obra por ser numa ilha (Madeira). Passámos a outras soluções: manter a parede de pedra de basalto (emparelhadas) e acrescentar o restante da moradia. A questão punha-se em que materiais? Uma solução era nesta parte antiga fazer isolamento pelo interior com wallmate e pladur, deixando a parede exterior com a pedra à vista tronando-se um prédio de "estética" mista. O mais problemático é a outra parte a acrescentar: parede simples? parede dupla com cx de ar? (teor de humidade do ar é muito elevado!) Falei com a arquitecta que na questão de materiais e vialbilidade da parede de pedra me orientou para o Engº. Este ao ver o prédio achou que se podia manter a parede mas as dúvidas em relação ao restante projecto mantêm-se (parede dupla'/simples?) A área à volta tem muita vegetação, senão até equacionava construír o restante em madeira como nos países nórdicos! :icon_help: Veremos o que com o tempo se equacionará! Obrigada a todos pelas opiniões e interesse! Cumprimentos
  5. Olá a todos! A propósito das divisórias em gesso cartonado ( e que me agradam bastante ) deêm uma olhada neste artigo que encontrei! O que acham? Alguém já teve este tipo de complicações? É preocupante! http://www.ecivilnet.com/artigos/gesso_acartonado_divisorias.htm Divisórias de Gesso Acartonado: consumidor brasileiro está desinformado
  6. Desculpem, só mais outra informação: no site da construlink existe muita informação especializada que passo a citar: "construlink press é um conjunto de conteúdos técnicos que são pagos pelo utilizador e que engloba o acesso completo às Monografias (documentos técnico-didático realizadas no I.S.T. no âmbito das disciplinas dos cursos de Engenharia Civil e Arquitectura) e às Revistas Internacional Construlink (Artigos técnico-científicos)" Se forem a : http://www.construlink.com/Homepage/2003_ConstrulinkPress/Monografias.php Vão encontrar estas monografias de acesso limitado(é necessário registo): " PAREDES DIVISÓRIAS - Painéis pré-fabricados de alvenaria de tijolo revestida a gesso Autor: Mafalda Ramalho" "PAREDES DIVISÓRIAS DE PAINÉIS LEVES - Gesso cartonadoResumo: Caracterizar-se-á o modo de fabrico e características de uma parede divisória em gesso cartonado, bem como a sua aplicação em obra. Será feita também uma comparação com o sistema tradicional de paredes divisórias em alvenaria de tijolo procurando determinar as principais vantagens da utilização do sistema em gesso cartonado (no que diz respeito a custos, facilidade de aplicação, implicações do material, etc.)." Cumprimentos a todos
  7. Olá a todos! Gostaria só de acrescentar que tenho lido um pouco sobre este sistema e se quiserem imagens e vídeos dos vários modelos e sistemas de construção vão ao site da KNAUF (desculpem só mencionar esta marca, mas ainda estou a ler só esta depois passo para outras)! Os esquemas no site estão muito claros e compreensíveis! Cumprimentos
  8. Obrigada pela resposta célere. Quanto à minha designação: sim, uso as duas e tb o meu próprio nome às vezes.Não costumo usar a mesma autodesignação nos vs forums. Espero que isso não constitua problema no forum nem ofenda ninguém. Não consulto só este fórum e respeito todas as pessoas que neles intervêem. Não percebo nada de construção e a única maneira de aceder a este tipo de informação é ler o mais possível e consultar diversos profissionais. Obrigada Sr. Vítor
  9. Olá a todos! Precisava de auxílio numa questão: é aconselhável/ obrigatório um ensaio geotécnico do terreno antes do seu acondicionamento e assentamento das fundações? Ou quase nunca é feito? Qual a finalidade principal? E quem faz? É muito dispendioso? Obrigada mD
  10. Peço desculpa se dei a ideia errada... Sempre quis e quero que o meu projecto seja feito por um arquitecto. Penso que as pessoas em geral, por falta de informação ou de possibilidade financeira, subestimam a sua importância. Claro que terei de correr riscos, mas só me confundem as variáveis que já referi. Em termos de competência parecem-me todos excelentes, apenas com variações nas relações interpessoais subjacentes à sua personalidade própria e singular... Acnselharam-me a consultar vários arquitectos e a optar por aquele com o qual interagisse melhor e com o qual estivesse sempre à vontade para colocar questões, problemas, soluções possíveis, etc. Isto porque acaba por se criar um vínculo entre o dono da obra e o criador da mesma se, claro está, houver dedicação de ambas as partes. Vou seguir os meus instintos... Obrigada
  11. Peço desculpa mas não estava ao corrente da frequência das visitas ao local da obra! Estou cheia de dúvidas, muitas! Obrigada!
  12. Olá Obrigada pela vossa celeridade na resposta. Gostei muito de um arquitecto, que me pareceu experiente (e sei que o é pelo nome, que é conhecido) e senti muita facilidade e acessibilidade na 1ª abordagem. Mas é muito caro (15 000€)x( ! Tem a vantagem de poder pagar aos poucos à medida que a obra avança, mas o preço terá de ser uma das variáveis a ter em conta. O preço inclui: projecto prévio+base+ execução+ assistencia técnica, fora especialidades/fiscalização. Caso eu decida que a fiscalização fica a seu cargo, este encargo fica incluído na assitência técnica (com preço diferente, claro). Outro arquitecto que é meu conhecido disse ser usual fazer-se algum desconto no preço final e pediu-me 3500€ ( fora assistência técnica e especialidades), mas não faz acompanhamento da obra. Disse-me bastar um bom construtor/fiscal de obras! Acreditem que gostaria de fazer tudo da forma mais correcta (projecto previo+base+execução+assitência técnica/fiscalização de preferência com o mesmo arquitecto), de modo a minimizar riscos/erros durante o projecto e durante a obra mas torna-se díficil quando dentro dos próprios profissionais não há consenso... Nem de opiniões nem de preços!!! Fiquei desanpontada com a resposta de alguns, pois quase que reduz o vosso papel em toda a obra apenas à fase de projecto! O Sr. Pedro Barradas escreveu: "arquitecto tem que prestar SEMPRE, Assistência Técnica à obra... mas atenção esta assistência consubstância-se em resolver omissões de projecto e esclarecimentos sobre os mesmos que possam surgir durante a obra. PS: é um pouco dificil exigir este tipo de serviço, se depois não é contratado e/ ou executado o Projecto/os de Execução... A fiscalização de Obra, é outra coisa, é um serviço a contratar à parte (pelo Dono de Obra), pode ser ou não ao arquitecto (brevemente será chamado de "Director de Fiscalização de Obra"), será o técnico encarregue de verificar do cumprimento dos projectos licenciados e defenderá a qualidade de execução pelo Dono de Obra." Desculpe mas as afirmações acima confundem-me, parece-me que por vezes os papéis sobrepõem-se... :tired: É melhor ser assistência técnica para o arquitecto e contratar â parte um fiscal de obras (que ficará naobra a tempo inteiro?) ou entregar os dois encargos ao arquitecto? Não estou a falar só em questão de preço mas também em termos de funcionalidade! Esclareçam-me por favor! Aguardo respostas e comentários mD
  13. Olá a todos! Agradecia que me esclarecessem o seguinte: em relação ao trabalho de um arquitecto, além de fazer o projecto também acompanha a obra? E quando acompanha a obra qual a sua função? Dos 5 arquitectos que indaguei só dois fazem acompanhamento de obra. Para um deles era condição sine qua non e faria reuniões com o fiscal de obras ( a proposta incluía assistência técnica...) Outro arquitecto disse que não fazia acompanhamento de obra e que quase ninguém o fazia, bastava ter um bom construtor e um bom fiscal de obras.É verdade? Então, se assim é, ficaria tudo nas mãos do fiscal de obras... Interrogo-me em relação a este último arquitecto, pois se só faz o projecto para a camara e nada mais, então neste caso percebo as pessoas que pedem o projecto a um desenhador. Estas coisas confundem-me, são tão ambíguas e díspares... Afinal qual a finalidade ( se existe) de um arquitecto acompanhar a obra? E essa tarefa pode ou não ser feita pelo construtor ou fiscal de obras? Atenciosamente mD
  14. Olá MiataPrata Também eu ando nessa busca incessante de respostas... Aqueles sites que post aqui são óptimos mas são das empresas responsáveis e portanto não imparciais! A empresa nacional que dá apoio às restantes e que as homologa é a FUTURENG:http://www.futureng.com/portal.htm Neste site poderá encontrar as diversas empresas, devidamente credenciadas para este tipo de construção. Parecem-me excelentes em termos de estabilidade contra sismos, isoolamento térmico e acústico... O facto das paredes serem em OSB fazia-me mais confusão no inicio, agora não porque a construír não será à beira da estrada e portanto não há o perigo de alguma viatura colidir contra a estrutura... ( mas daí se fosse a tijolos tb não resistia...). As placas OSB são muito duras e resistentes. Do que tenho pesquisado a maior parte das pessoas só não gosta do ruído pouco maciço que têm as paredes. Fora este argumento não tenho ouvido mais nenhum contra o LSF... Mas continuo e continuarei a pesquisar, pois só assim se pode construír com segurança. Porque nã experiemnta contactar uma daquelas empresas e ir in loco visitar uma casa construída por eles? sei que disponobilizam esse tipo de serviços sem compromisso e também fornecem orçamentos grátis. Enfim, continuarei nesta saga de construção sem vislumbre de um fim...
  15. Olá Podem dizer-me sucintamente quais os principais tópicos a contemplar quando se realiza este tipo de estudo? Outra dúvida: Se eu quiser aproveitar/ recanalizar a água do duche para, por exemplo, recarrregar o autoclismo, isto está iincluído no projecto de saneamento e canalização ou tenho de falar com alguém em especifico? Obrigada mD
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.