Jump to content
Arquitectura.pt


JVS

Castelo Branco | Centro de Arte Contemporânea | Lluis Mateo

Recommended Posts

Centro de Arte com pista de gelo

A Câmara de Castelo Branco acaba de assegurar, no Quadro de Referência Estratégico Nacional (Qren) o financiamento para aquela que será a obra mais emblemática da cidade. O Centro de Arte Contemporânea custa mais de seis milhões de euros e ficará instalado junto à biblioteca.

O Centro de Arte Contemporânea de Castelo Branco deverá ser lançado a concurso ainda este ano e será, no entender de Joaquim Morão, presidente da Câmara, a obra mais emblemática da cidade da sua história recente. Segundo apurámos, o edifício divide-se em quatro pisos, a saber: Piso -1 Entrada Principal; Piso 0 Pista de Gelo; Piso 1 Sala de Exposições e Auditório; e Piso 2 Sala de Exposições e Sala de Projecções.

Uma estrutura imponente, com algumas semelhanças exteriores à Casa da Música do Porto, que "constituirá uma marca para a cidade e para a região. Será uma obra de referência, que apresenta uma arquitectura inovadora, também ela marcante para a cidade".

Situada no prolongamento da praça da Devesa (Docas), em terrenos do antigo Quartel de Cavalaria, junto à Biblioteca, a nova estrutura apresenta uma arquitectura arrojada e moderna e tem a particularidade de ver agregada uma pista de gelo para patinagem. O investimento ultrapassa os seis milhões de euros. "Esta obra fazia parte do Plano Estratégico do Polis, mas não avançou por que na altura não tínhamos financiamento. Agora conseguimos esse apoio junto do Qren e vamos avançar com a obra. Ainda este ano lançaremos a sua construção a concurso", explica o presidente da autarquia.

Obra de dimensão

Joaquim Morão reforça a ideia de que "esta é uma obra de grande dimensão, que vai atrair muito público à cidade e será um pólo de desenvolvimento cultural". Com a construção daquele espaço, o autarca explica que a rua que ainda divide a Devesa do espaço do antigo Quartel vai desaparecer, ficando assim uma praça contínua.

No entender de Joaquim Morão são muitas as mais-valias do Centro de Arte Contemporânea de Castelo Branco. "Além da vertente urbanística que irá ser feita em toda aquela área, vamos ter a possibilidade de termos um museu de arte contemporânea e um auditório de qualidade acústica superior, para ali se poderem realizar espectáculos de referência", diz. De acordo com o autarca a obra deverá ficar concluída um ano e meio depois do início da sua construção.

Arquitectura de Lluis Mateo

O projecto de arquitectura é da autoria do arquitecto catalão Josep Lluis Mateo e integra os projectos de especialidades, com destaque para o projecto de acústica do auditório e projecto de iluminação decorativa do edifício.

No entender da autarquia, a concretização deste projecto contribuirá para o desenvolvimento urbano, reforçando a articulação da cidade com a respectiva área envolvente e promoverá a qualificação do espaço urbano.

A candidatura da autarquia ao Qren revela que “com a criação de um equipamento cultural desta natureza e com estas características numa cidade de Interior como Castelo Branco pretende-se contribuir para o reforço da coesão social, neste caso pela democratização no acesso à cultura contemporânea”.

A concluir a autarquia justifica este investimento no sentido de contribuir para a requalificação urbana de Castelo Branco e, por essa via, para a criação de uma imagem distintiva da urbe no contexto regional e nacional, através da construção de um edifício distinto e que reúne as valências culturais e de lazer.

in http://www.reconquista.pt/noticia.asp?idEdicao=177&id=13551&idSeccao=1792&Action=noticia

VIDEO = http://www.reconquista.pt/noticia.asp?idEdicao=177&id=13551&idSeccao=1792&Action=noticia

Share this post


Link to post
Share on other sites
Centro de Artes avança

Por: João Carrega

17 de Dezembro de 2009 às 12:02h

A construção do Centro de Arte Contemporânea de Castelo Branco é uma das apostas da autarquia. No orçamento para 2010 já estão reservados dois milhões de euros para a construção. No entender de Joaquim Morão, presidente da Câmara, aquela será uma das obras mais emblemáticas da cidade da sua história recente. Segundo apurámos, o edifício divide-se em quatro pisos, a saber: Piso -1 Entrada Principal; Piso 0 Pista de Gelo; Piso 1 Sala de Exposições e Auditório; e Piso 2 Sala de Exposições e Sala de Projecções.

Uma estrutura imponente, com algumas semelhanças exteriores à Casa da Música do Porto, que "constituirá uma marca para a cidade e para a região. Será uma obra de referência, que apresenta uma arquitectura inovadora, também ela marcante para a cidade".

Situada no prolongamento da praça da Devesa (Docas), em terrenos do antigo Quartel de Cavalaria, junto à Biblioteca, a nova estrutura apresenta uma arquitectura arrojada e moderna e tem a particularidade de ver agregada uma pista de gelo para patinagem. O investimento ultrapassa os seis milhões de euros. "Esta obra fazia parte do Plano Estratégico do Polis, mas não avançou por que na altura não tínhamos financiamento. Agora conseguimos esse apoio junto do Qren e vamos avançar com a obra”, explica o presidente da autarquia.

Joaquim Morão reforça a ideia de que "esta é uma obra de grande dimensão, que vai atrair muito público à cidade e será um pólo de desenvolvimento cultural". Com a construção daquele espaço, o autarca explica que a rua que ainda divide a Devesa do espaço do antigo Quartel vai desaparecer, ficando assim uma praça contínua.

O projecto de arquitectura é da autoria do arquitecto catalão Josep Lluis Mateo e integra os projectos de especialidades, com destaque para o projecto de acústica do auditório e projecto de iluminação decorativa do edifício.

No entender da autarquia, a concretização deste projecto contribuirá para o desenvolvimento urbano, reforçando a articulação da cidade com a respectiva área envolvente e promoverá a qualificação do espaço urbano.


in
http://www.reconquista.pt/noticia.asp?idEdicao=210&id=18054&idSeccao=2230&Action=noticia

Share this post


Link to post
Share on other sites

Castelo Branco: Construção do Centro de Arte Contemporânea começa este ano - autarca

Diario Digital Castelo Branco/Lusa | 2011-01-07 09:36:00

O futuro Centro de Arte Contemporânea de Castelo Branco, orçado em cerca de seis milhões de euros, vai começar a ser construído este ano, anunciou Joaquim Morão, presidente da Câmara Municipal.
A edificar na zona central da cidade, o Centro de Arte Contemporânea, da autoria do arquiteto catalão Josep Lluis Mateo, tem garantido financiamento do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), disse Joaquim Morão.
O autarca explicou que o edifício se divide em quatro pisos e integra uma pista de gelo artificial exterior, duas salas de exposições, auditório para concertos mais intimistas e uma sala de projeções.
Joaquim Morão disse à agência Lusa que “o projeto está a ser revisto na especialidade”.
O autarca considera que o Centro "constituirá uma marca para a cidade e para a região. Será uma obra de referência que apresenta uma arquitetura inovadora”.
A infraestrutura deverá ficar concluída no prazo de ano e meio após o início da construção.


http://www.diariodigitalcastelobranc...he.php?id=1955


Centro de Arte: Projecto está a ser revisto e obra arranca este ano

05/01/2011, 17:55

O projecto do Centro de Arte Contemporânea de Castelo Branco está a ser reformulado, tendo em conta as novas exigências legais, mas a obra deverá iniciar-se este ano. "Como o projecto tem oito anos, está a ser feita a sua revisão na especialidade, sobretudo nas áreas técnicas como a componente eléctrica, a acústica das salas, e a introdução de novos conteúdos no Centro", explica o presidente da Câmara.
As alterações que estão a ser feitas não vão alterar a globalidade do Centro de Arte Contemporânea. "São apenas alterações de pormenor", justifica Joaquim Morão.
Para o autarca aquela será a obra mais emblemática da cidade da sua história
recente. Segundo apurámos, o edifício divide-se em quatro pisos, a saber: Piso -1 Entrada Principal; Piso 0 Pista de Gelo; Piso 1 Sala de Exposições e Auditório; e Piso 2 Sala de Exposições e Sala de Projecções.


Autor: João Carrega


in Jornal Reconquista

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.