Jump to content
Arquitectura.pt


galfarro

Assinatura de alvara

Recommended Posts

"fiscalização" não é "acompanhamento" e não são compativeis, ou seja não podes fiscalizar uma obra tua seja ela privada ou publica....



Fiscalizaçao implica assumir a responsabilidade tecnica da obra e assinar o livro de obra, correcto?

Se for tecnico do projecto de arquitectura, nao posso fazer fiscalizao à obra, pq? Nunca ninguem me disse o contrario..

Share this post


Link to post
Share on other sites

"fiscalização" não é "acompanhamento" e não são compativeis, ou seja não podes fiscalizar uma obra tua seja ela privada ou publica....



Fiscalizaçao implica assumir a responsabilidade tecnica da obra e assinar o livro de obra, correcto?

Se for tecnico do projecto de arquitectura, nao posso fazer fiscalizao à obra, pq? Nunca ninguem me disse o contrario..

Eu ainda nao tenho mta experiência dai colocar a questão, mas acho estranho dizeres isso, qd nunca ouvi nada em contrario...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se é arquitecta, certamente sabe a diferença entre, fiscalização, direcção técnica e acompanhamento técnico. Que podem ser consultadas no regulamento deontologico.

Para relembrar o artigo nº5, 5), sobre conflito de interesses:

" O arquitecto deve evitar situaões em que é julgador e parte, não podendo designadamente, numa tarefa, ser responsável pela concepção arquitectóncia e assistência técnica e pela apreciação ou fiscaização da mesma."

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se é arquitecta, certamente sabe a diferença entre, fiscalização, direcção técnica e acompanhamento técnico. Que podem ser consultadas no regulamento deontologico.

Para relembrar o artigo nº5, 5), sobre conflito de interesses:

" O arquitecto deve evitar situaões em que é julgador e parte, não podendo designadamente, numa tarefa, ser responsável pela concepção arquitectóncia e assistência técnica e pela apreciação ou fiscaização da mesma."



Percebo o que quer dizer...
La por falar em fiscalizaçao é por vezes o termo que se usa mais prontamente, nem sp o mais correcto...

Mas vendo outra situação tb existe mta situação na nossa area que nao cumpre a deontologia... como é referia, o arquitecto nao deve assinar projecto no qual nao colabora... e qual nao é o atelier em q o arquitecto mtas das xs nao participa em nada, mas assina o projecto, pois é o cordenador, ou dono do atelier? Teriamos de ver mtas das situaçoes que ocorrem no nosso pais, nao era?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vanda_Arq, Temos que dar os nomes as coisas...nem faz sentido fiscalizar a nossa própria obra. Normalmente a fiscalização acontece em grandes obras, onde o dono quer ter a certeza da correcta elaboração do projecto, independentemente do acompanhamento técnico.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vanda_Arq,

Temos que dar os nomes as coisas...nem faz sentido fiscalizar a nossa própria obra.

Normalmente a fiscalização acontece em grandes obras, onde o dono quer ter a certeza da correcta elaboração do projecto, independentemente do acompanhamento técnico.



As camaras exigem que haja um tecnico responsavel por cada obra, pode ser engenheiro ou arquitecto, o que for...
E qual é o inconveniente de se fazer cumprir os projectos aprovados, sendo nos o tecnico de projecto, é apenas um acompanhamento, que o dono de obra necessita para que nao haja problemas posteriores, se houve um processo inicial e confiança transmitida..

Share this post


Link to post
Share on other sites

As camaras exigem que haja um tecnico responsavel por cada obra, pode ser engenheiro ou arquitecto, o que for...
E qual é o inconveniente de se fazer cumprir os projectos aprovados, sendo nos o tecnico de projecto, é apenas um acompanhamento, que o dono de obra necessita para que nao haja problemas posteriores, se houve um processo inicial e confiança transmitida..


acompanhamento não é fiscalização e fiscalização não é direcção técnica.....

ta tudo no d.l 60/2007

Share this post


Link to post
Share on other sites

A fiscalização tem preocupações que o projectista ao acompanhar a obra não tem, ou tem menos, daí que são coisas diferentes. por exemplo: O fiscal não se preocupa apenas com a correcta materialização do projecto em obra. O fiscal protege sobretudo os interesses do dono-de-obra. Cumprimentos de Prazos, Derrapagens orçamentais, cumprimento do caderno de encargos da empreitada, cumprimento da regulamentação do estaleiro, questões de segurança no trabalho. etc. etc.... Agora dizem-me: tudo bem mas o autor também pode fazer isso tudo. Pois pode, mas sendo pai da criança poderá ser tentado a beneficiar a criança em detrimento dos interesses do dono de obra, das mais diversas formas. Daí as questões éticas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A fiscalização tem preocupações que o projectista ao acompanhar a obra não tem, ou tem menos, daí que são coisas diferentes.
por exemplo:
O fiscal não se preocupa apenas com a correcta materialização do projecto em obra. O fiscal protege sobretudo os interesses do dono-de-obra. Cumprimentos de Prazos, Derrapagens orçamentais, cumprimento do caderno de encargos da empreitada, cumprimento da regulamentação do estaleiro, questões de segurança no trabalho. etc. etc....

Agora dizem-me: tudo bem mas o autor também pode fazer isso tudo. Pois pode, mas sendo pai da criança poderá ser tentado a beneficiar a criança em detrimento dos interesses do dono de obra, das mais diversas formas. Daí as questões éticas.



Concordo, mas obras de pequenas dimensoes tb será verdade q esse risco de beneficiar a criança, poderá ser menor, ou nao...

Mas tambem teremos de ver outra situação, neste momento o cliente nao tem condicoes financeiras para ter um tecnico para cada funçao, se calhar podereria ficar-lhe mais em conta ter um tecnico q fizesse um acompanhamento maior.

Ag quando se trata de obra de grandes dimensoes, penso que ai sim tera de existir um rigor redobrado, e ter todos os tecnicos necessarios.....

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vai em frente Vanda. Tenho assistido a fiscalizações do faz-de-conta. Portanto se estás interessada em fazer a fiscalização, o cliente confia e é uma obra pequena, quem sou eu para te condenar...:foto:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vai em frente Vanda.

Tenho assistido a fiscalizações do faz-de-conta. Portanto se estás interessada em fazer a fiscalização, o cliente confia e é uma obra pequena, quem sou eu para te condenar...:foto:


è verdade q quando terminamos o curso nao temos mta experiencia, mas se nos cortarem as pernas tb nunca a teremos... e ter uma relação mais proxima com uma obra pode trazer-nos mta experiencia..

O meu objectivo nao é ser uma arquitecta apenas de atelier, a arquitectura, p mim, nao é so isso, é tb a concretização das nossa ideias em obra e qd temos o impacto de ver a nossa ideia, é uma sensaçao dificil de descrever...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Caros colegas Sou arquitecto portugues, membro da OA, mas presentemente a trabalhar em Moçambique. Fui recentemente convidado a assinar um alvará de arquitectura para uma empresa de construção aqui em Maputo, Moçambique. Tenho, no entanto, algumas dúvidas acerca da minha responsabilidade ao fazê-lo. Alguem me pode sumariar os meus direitos e deveres ao faze-lo? Obrigado

Share this post


Link to post
Share on other sites

Foi-me pedido para assinar um alvará de uma empresa de construção que está a ser constituída neste momento, e, segundo os requisitos para constituição e licenciamento da empresa precisam de um termo de responsabilidade de um arquitecto. A entidade que cadastra os arquitectos a nivel nacional é o MOPH - Ministério das Obras Públicas e de Habitação, e a nivel de provincia existe um DUC, Departamento de Urbanização e Construção onde se faz o cadastro provincial/distrital consoante o lugar onde o projecto é destinado. E sim estou inscrito em ambos. Agora pedir informações em qualquer um destes departamentos ou Ministérios é quase sempre muito pouco ou nada esclarecedor... Toda a informação que me puder avançar será muito bem vinda

Share this post


Link to post
Share on other sites

O melhor é tentares perceber aí os direitos e deveres, mas basicamente uma empresa precisa de comprovar que tem capacidade técnica para executar uma determinada obra, e para isso tem a necessidade de ter nos seus quadros pessoal que supostamente têm essa capacidade. :s

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tudo passa por ler a Legislação. Tenta saber onde estão essas obrigatoriedades escritas e perceber o porquê da necessidade de um Arquitecto numa empresa de construção.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.