Jump to content
Arquitectura.pt


3CPO

[Info] ESAP - Erasmus

Recommended Posts

Universidades Parceiras com protocolo assinado

Para que haja mobilidade Erasmus é necessário que a Esap estabeleça protocolos com Universidades estrangeiras a fim de garantir o cumprimento do processo. Neste momento, existem alguns protocolos assinados e estão a ser realizados contactos no sentido de propor outras universidades.

Curso de Arquitectura - Directores de curso - Arq.º Nicolau Brandão/ David Viana- arquitectura@esap.pt


Brandenburgishe Technische Universitat Cottbus – Alemanha
TUB – Technische Universität Berlin – Alemanha
Universität Kassel – Alemanha
Università Degli Studio Di Firenze – Itália
Politecnico Di Milano – Itália
University of Art and Industrial Design Linz – Áustria
Institut Superieur D’Architecture de La Communauté Française – La Cambre – Bruxelas
School of Architecture Royal Danish Academy of Fine Arts, Copenhagen – Dinamarca ( com proposta de protocolo a confirmar )
Helsinki University of Technology – Finlândia ( com proposta de protocolo a confirmar )

Fonte: www.esap.pt

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mais informação:


Informação sobre o ERASMUS

O ERASMUS é uma das medidas do Programa SOCRATES e tem como principal objectivo a promoção da cooperação a nível do ensino superior. Esta medida funciona através do estabelecimento de acordos bilaterais entre instituições, constituindo-se parcerias que acordam a mobilidade de alunos e docentes em regime de reciprocidade.
O ERASMUS oferece aos estudantes de um estabelecimento de ensino superior a possibilidade de efectuarem um período de estudos, com pleno reconhecimento académico (reconhecido como parte integrante do programa de estudos do seu estabelecimento de origem), num estabelecimento de outro país elegível para o Programa.
O aluno seleccionado para realizar uma mobilidade ERASMUS terá sempre o estatuto de “estudante ERASMUS”, mas apenas em certos casos poderá beneficiar de uma Bolsa de Mobilidade ERASMUS.


Bolsa de Mobilidade ERASMUS

Trata-se de uma bolsa de mobilidade, que se destina a ajudar a cobrir as "despesas de mobilidade. NÃO é uma bolsa de estudos.
O estudante ERASMUS não tem automaticamente direito a uma bolsa, embora todos os esforços sejam desenvolvidos pela CESAP, no sentido de ser atribuído um subsídio a cada aluno da ESAP que pretenda efectuar a mobilidade.
O valor desta bolsa é definido anualmente e varia em função do número de meses de mobilidade.



Fases da Candidatura:


1ª Fase:

O candidato deve preencher o formulário disponível na Secretaria ou na página Web e entregar até 15 Janeiro de 2007 juntamente com o Certificado das disciplinas aprovadas até à data de candidatura ( ficha curricular, pedir na secretaria ) e 1 Fotografia ( tipo passe ).

Pré-requisitos/ Critérios de Elegibilidade

Para se candidatar o estudante deve preencher as seguintes condições:
- Ser cidadão de um estado-membro da União Europeia, do Espaço Económico Europeu ou dos Países associados participantes no programa; ser nacional de outro país, mas beneficiar do estatuto de residente permanente, apátrida ou refugiado político, em Portugal;
- Ter concluído o 1º ano de estudos universitários;
- Não estar inscrito no último ano de licenciatura;
- Ser aluno da ESAP durante o ano lectivo em causa, numa das áreas associadas a cada uma das parcerias europeias estabelecidas pela ESAP;
- Estar inscrito, no ano lectivo em que se efectua a mobilidade, no curso que frequenta na ESAP;
- Nunca ter beneficiado da mobilidade ERASMUS.

NOTA: todos os alunos interessados em efectuar mobilidade ERASMUS poderão apresentar a sua pré-candidatura até ao dia 15 de Janeiro, mesmo que não estejam dentro dos critérios de selecção a propor pelo Conselho Cientifico da Esap, uma vez que os processos dos alunos "não-elegíveis" serão analisados numa segunda fase para as vagas que não sejam preenchidas pelos alunos elegíveis. Nesta segunda fase a reavaliação dos "não-elegíveis", será feita com base nos critérios de selecção, adaptados às classificações obtidas em 2005/2006.


2ª Fase:

Os alunos que cumpriram os pré-requisitos da 1ªfase serão seleccionados e contactados para entrevista durante o mês de Março e Abril de 2007.

Processo de Selecção
O processo de selecção e seriação dos candidatos ao programa de mobilidade de alunos SÓCRATES/ERASMUS tomará em consideração os seguintes aspectos:
- Ano curricular em que se encontra o aluno com preferência aos alunos que frequentem anos mais avançados;
- Nota média do aluno nas disciplinas já concluídas na ESAP;
- Plano de estudos e volume global do trabalho a realizar no estrangeiro, com preferência aos alunos que programem maior volume global de trabalho;
- Domínio de língua (s) estrangeira (s) relevante (s) para o sucesso do período de estudos no estrangeiro;
- Entrevista de avaliação de desempenho curricular – aprovações e/ou renovações, assiduidade e participação.

A cada um dos aspectos corresponderá uma classificação atribuída numa escala de 1 a 4, a ser ponderada na classificação global do candidato, de acordo com a importância de cada aspecto:

- Ano curricular – 10%
- Nota média – 25%
- Plano de estudos e volume de trabalho – 25%
- Domínio de língua (s) – 20%
- Entrevista – 20%

NOTA: O candidato deve definir em conjunto com a direcção de curso respectiva o plano de estudos a desenvolver na universidade estrangeira ( com protocolo assinado ). Compete ao director de curso apresentar formalmente o plano de estudos proposto à Direcção Académica (até finais de Junho). Posteriormente, esta proposta é remetida para o Conselho Cientifico para aprovação (até finais de Julho). Após este processo o aluno seriado ficará sujeito à aprovação do Conselho Cientifico da Esap e das vagas existentes
O aluno só após a aprovação do plano de estudos pelo Conselho Cientifico estará em condições de finalizar a candidatura. Compete à Coordenação Erasmus a comunicação ao aluno do resultado.


3ª Fase

Os alunos seleccionados, após contacto da coordenação Erasmus da ESAP, deverão proceder à:

A. PREPARAÇÃO DA MOBILIDADE
O candidato deve recolher informação sobre a universidade de destino no próprio site dessa universidade e poderá recorrer à Biblioteca para obter informações sobre essa universidade.
A Coordenação Erasmus procede aos contactos com as universidades a informar dos alunos seleccionados.
O candidato é responsável por resolver questões relacionadas com alojamento e questões práticas de mobilidade (datas, viagens, calendário académico, etc.)
O candidato deve procurar cursos de preparação linguística na língua do país de destino.

B. FORMALIZAÇÃO DA CANDIDATURA
O candidato deve formalizar o seu processo de candidatura, entregando os seguintes documentos à Coordenação Erasmus:
Formulário de Candidatura ( o candidato deverá preencher todos os itens do formulário, em INGLÊS e em LETRAS DE IMPRENSA BEM LEGÍVEL A PRETO.)
Fotocópia do bilhete de identidade BR>Fotocópia do cartão de contribuinte
Fotocópia do Boletim de matrícula na ESAP
1 fotografia tipo passe

O aluno matricula-se na ESAP e procede -se a uma reunião com a CESAP – Rua do Infante (indicações dos elementos a entregar e devidos procedimentos) + Carta Erasmus + Contrato Erasmus. BR


NOTA: os candidatos deverão ainda verificar, através do site da universidade para onde pretendem ir, se essa instituição tem algum formulário próprio de candidatura ERASMUS, uma vez que algumas universidades exigem o preenchimento do formulário da própria instituição.



4ª fase:

Recomendações importantes para o aluno antes da partida para a universidade de acolhimento:

- Tratar dos documentos necessários para a assistência médica no estrangeiro (formulário E111 a obter na Segurança Social ou A.D.S.E, consoante o sistema de segurança social que o aluno tenha);
- Se necessário, passar uma Procuração, em nome de um familiar que o represente caso seja necessário assinar alguns documentos.


5ª fase:

O aluno tem que enviar o comprovativo da sua inscrição do plano de estudos aprovados da Universidade de acolhimento em inglês.

Caso haja necessidade de alterações do plano de estudos definido, deve fazer uma nova proposta fundamentada ( ENVIO AO CUIDADO DA COORDENAÇÃO ERASMUS – LARGO S.DOMINGOS Nº80 ) para aprovação do C.C., com o parecer positivo do director de curso.

No final do ano lectivo o aluno deve apresentar o comprovativo de aproveitamento do plano de estudos realizados (+ envio da parte da instituição de acolhimento) e entregar o relatório de avaliação da experiência ( fornecido na reunião com a Cesap com o contrato Erasmus ).


6º Fase

O aluno previamente a partida para Portugal deve procurar obter o certificado ( traduzido para inglês ) comprovativo das avaliação referentes ao plano de estudos aprovado para apresentar nos serviços administrativos da Esap ao cuidado da Coordenação Erasmus, assim como, do relatório final. O aluno só poderá matricular-se no ano lectivo seguinte após entrega deste certificado.
Proceder-se-á, então, ao processo de equivalências.



Links de Interesse:


Agência Nacional para o Programas SOCRATES e Leonardo da Vinci:
http://www.socleo.pt

Comissão Europeia:
http://www.europa.eu.int/comm/education/erasmus.html
http://www.socleoyouth.be

PLOTEUS:
http://europa.eu.int/ploteus
Portal europeu sobre oportunidades de aprendizagem no espaço europeu, incluindo informações sobre os diferentes sistemas educativos e o custo de vida nos países europeus.




Dossier ECTS:

ECTS – Sistema Europeu de Transferência de Créditos

O ECTS (Sistema Europeu de Transferência de Créditos) assenta no pressuposto de que o reconhecimento dos estudos e dos diplomas é uma condição prévia à criação de um espaço europeu mais aberto em matéria de educação e de formação.

O sistema ECTS, após ter sido submetido a uma avaliação por parte da Comissão Europeia, foi incluído no Programa SÓCRATES na Acção ERASMUS. Por conseguinte, após uma fase experimental de aplicação restrita, o ECTS começou a ser utilizado de uma forma mais ampla, enquanto elemento de pleno direito da dimensão europeia no ensino superior.

Assim, este sistema de transferência de créditos é, antes de mais, uma metodologia destinada a criar transparência, a estabelecer as condições necessárias para a aproximação entre os estabelecimentos e a ampliar o leque de opções propostos aos estudantes. A sua aplicação facilita o reconhecimento dos resultados académicos dos estudantes, e encontra-se a ser realizada na Esap através da Coordenação Erasmus. Foi solicitado a colaboração às Comissões de Programas ( grupos de trabalho de docentes) do Conselho Cientifico. De acordo com as recomendações da Agência Nacional o processo deve contemplar:
- inquérito os alunos – formulário on-line ( agradece-se o preenchimento e envio para o email da@esap.pt )
- inquérito aos docentes - formulário on-line ( agradece-se o preenchimento e envio para o email da@esap.pt )
- elaboração de proposta de atribuição de créditos aos planos de estudos dos cursos da Esap
- apresentação de proposta ao Conselho Cientifico para aprovação ( até final de 2005 )
- introdução dos dados on-line ( planos de estudo, conteúdos programáticos - ficha da disciplina )
O Sistema Europeu de Transferência de Créditos é um sistema que tem por base o volume de trabalho do estudante ( curricular e complementar ) necessário para atingir os objectivos de um programa de estudos, os quais são preferencialmente definidos em termos de resultados de aprendizagem e de competências a adquirir.
Os créditos ECTS representam, através de um valor numérico, expresso de 1 a 60, o volume de trabalho que o estudante tem de prestar para cada módulo ou disciplina.
Os créditos ECTS reflectem a quantidade de trabalho que cada módulo ou disciplina exige, em relação ao volume global de trabalho que é necessário para terminar com êxito um ano de estudos, ou seja, aulas teóricas, trabalhos práticos, seminários, estudo individual, etc.
No ECTS, 60 créditos representam o volume de trabalho de um ano de estudos. Regra geral, 30 créditos equivalem a um semestre e 20 créditos a um trimestre de estudos.
Os créditos ECTS são aplicáveis a estágios e preparação de teses, quando estas actividades fizerem parte de um programa regular de estudos na instituição de origem e na instituição de acolhimento.
Os créditos ECTS são aplicáveis a disciplinas e são atribuídos a estudantes que as completem com sucesso, passando nos exames ou em outras avaliações.

Para mais informações sobre este Sistema consultar o site: http://europa.eu.int/comm/education/programmes
/socrates/ects_en.html



Fonte: www.esap.pt

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu sou sa esap e estive a minha temporada erasmus no Institut Superieur D’Architecture de La Communauté Française – La Cambre – Bruxelas. Qualquer coisa que precisem, informações, dicas, ... estou disponivel para vos ajudar!

Share this post


Link to post
Share on other sites

ora bem... eu sou da ESAP e ja entreguei a minha fichinha de pré-inscrição para erasmus pa fazer fora o 4o ano :) a minha 1a opção foi obviamente a TUB de Berlim... pois tive o (enorme) prazer de estar la uma semanita o ano passado so com amigos e é uma cidade brutal!! mas como toda a gente ker ir para a TUB... como os alunos que se candidatam po 5o ano e nao po 4o cm eu têm prevalência de escolha... tive de por para la mais umas opcoes: - Institut Supérieur d'Architecture de la Communauté Française - La Cambre - Bruxelas - Universitá Degli Studio di Firenze (Florença)- Itália - Politecnico di Milano - Itália (ja ouvi coisas más sobre esta fac... bem como boas!!) ainda pensei na Bergen Arkitekt Skole - Noruega, bem como a Helsinki University of Technology - Finlândia... mas como nao me dou mt bem com o frio nem as pus la... de qq maneira inda posso escolher uma dstas... bem como outras da Alemanha (Cottbus e Kassel) e outra na Austria!! pessoalmente estou indecisa entre Bruxelas e Florença, pois em Bruxelas seria peace of cake para mim pois sou franciu e nao tenhu problemas com a lingua... e pq so sao 3 horitas de TGV até à minha amada Paris lol!! Por outro lado Florença oferece a Itália inteirinha para visitar, e ja tendo ido viajar a Itália anseio mm la voltar! Gente, quem ja tiver feito erasmus numa dessas facs, dêem-me uma luzinha pf, ideias, dicas, etc! ja sei k ha um menino da esap k m vai dizer aki tudo do bom e do melhor sobre Bruxelas e La Cambre!! sou toda ouvidos :p e desculpem la o tamanho deste post lol!! :icon_chick:

Share this post


Link to post
Share on other sites

eu tive em la cambre, entre essas 3 que colocas nem sequer exito a dizer para ires para bruxelas. Itália é que não! não vais lá aprender nada, a não ser que queiras um ano puramente de férias... enfim, sao opçoes. No meu ano nao tive a opçao nem da noruega nem da finlandia nem da dinamarca, qualquer uma dessas seria sem duvida a minha primeira opção. São países que me interessam bastante e em termos do ensino da arquitectura, realmente vale a pena lá ir aprender alguma coisa. La Cambre é bom lá estar um ano, aprender coisas distintas do que aprendes aqui, expandir os horizontes, viajar, ... ah e, Paris (e também Colónia e Amsterdam) fica a 1.30 min de distancia em TGV :)

Share this post


Link to post
Share on other sites

la está... quero as duas coisas... aprender e férias! (tb se aprende mt a viajar!) :) se se viaja assim tanto indo pa La Cambre sou menina para apostar mais nessa! Agr é ver as vagas! Itália era só para andar la dum lado po outro, e pq akilo é mesmo lindo! bem... espero k haja boas festas erasmus em bruxelas :beb2: quanto ao ensino nao tenhu duvidas k seja bom... :p

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas..por acaso o tempo vai passando e vou-me entusiasmando em fazer Erasmus em principo no 4ºano... e sempre tive uma duvida que nunca cheguei a perguntar... para cada universidade no estrangeiro so pode ir um aluno? por exemplo na ESAP...se fosse estudar para fora haveria hipoteses de ir com um colega (se tambem fosse colocado claro)? é que não me aptecia nada ir para fora sozinho...e com pessoal conhecido a nossa adptação iria ser muito mais rapida... obrigado cumprimentos

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tens de ir à direcção académica para te informares sobre o número de vagas para cada universidade de acolhimento. No meu ano praticamente todas as universidades de acolhimento dispunham de duas vagas para os alunos da ESAP. No entanto eu fui sozinho para a Bélgica. Não me arrependi nada, foi um ano que nunca esquecerei na minha vida, fiz amigos fantásticos que ainda mantenho contactos e que me fazem viajar pela Europa para me encontrar com eles. E principalmente tive um bom aproveitamento na escola, aprendi imenso e viajei imenso!

Share this post


Link to post
Share on other sites

mas tb da pa fazer o nosso proprio programa n ? j ouvi falar se organizarms td e mandarms os papeis podemos p exemplo ir p uma fakuldade k n tha protokolos k a nossa e ter na msma direitu a bolsa...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Podes fazer free moving isso já não tem nada que ver com o programa erasmus, nao tens direito a bolsa e és tu que tratas de tudo sobre pena de não vires a ter equivalências. As vantagens, podes escolher uma faculdade (se tiver vagas, tens de tratar isso o mais rapido possivel no inicio do ano lectivo). As desvantagens, não tens direito a bolsa (mesmo não sendo quase nada são sempre alguns euros), não irás ter equivalências a algumas ou nenhumas disciplinas (isso tudo depende da direcção academica da esap) e tens de ser tu a tratar da papelada e da burocracia toda.

Share this post


Link to post
Share on other sites

isso não é bem assim (pelo meno na FAUP não...). fiz este ano o que o underground ta a dizer. entrei em contacto com faculdades que me interessavam e com as quais a FAUP não tinha acordo. depois de me responderem e ter a garantia que me aceitavam lá apresentei uma proposta de plano de estudos ao Conselho Pedagógico. foi analisado e aceite. resultado: vou para ljubljana com as equivalências todas como isto não se inclui no programa erasmus não tenho direito a bolsa erasmus, mas posso tentar uma bolsa do governo esloveno ou da própria faculdade

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois mas a faup tem uma organização bastante diferente da ESAP. Tive imensos problemas enquanto estava em erasmus por causa da falta de organização da direcção academica que levaram a fazer repetidas vezes o mesmo plano de estudos para aprovação, aprovação essa que só me foi dada já este ano em abril! Ou seja, mesmo tendo feito as disciplinas todas na Bélgica, andei até abril à espera de me aprovarem o plano de estudos sem saber se estava tudo correcto. Agora imagina em free moving... mas tudo é possivel

Share this post


Link to post
Share on other sites

sandro_g como fizeste isso entao? entraste mesmu em contacto directo ou tiveste de t inscrever em alguma koisa relacionado com o erasmus...e k t a pensar faxer para o outro ano..p ixu tenhu o proximo p tratar d td, pelo menos ate janeiro ou fevereiro...tenhu 6 meses p tratar d td...gxtava d ir pa barcelona...e a esap n tem nenhum protokolo k eles...ou madrid...t bastante interessado por espanha.. p exemplo eu tenhu lido cenas sobre o erasmus e pensei k mm em free moving tivesse direitu a bolsa d mobilidade...mas se voces dizem... e ja agora...quanto e k e +- o valor d uma bolsa d mobilidade?

Share this post


Link to post
Share on other sites

ok desculpa..ate tava distraido que escrevi quase tudo abreviado :) 1000 euros sempre é alguma coisa...mas se calhar por mim preferia perder os mil euros e ir para barcelona ou madrid...alem de que ia buscar esse dinehiro em viagens que poupava...porque para frança, bruxelas, ou entao dinamarca ou noruega é muito mais...

Share this post


Link to post
Share on other sites

antes de mais vamos esclarecer uma coisa, erasmus é uma coisa, free-mover é outra.

no programa erasmus tens a papinha feita (pelo menos numa faculdade em que as relações externas trabalhem bem), acordos feitos, só pagas propinas cá, bolsa de mobilidade e essas mariquices todas.

free-mover = muito trabalho para ti (mas vale a pena). tens de pagar propinas nos 2 sítios, cá e lá ( a não ser q a tua faculdade aceite receber um aluno da fac que te vai receber, que foi o que eu fiz), não tens direito a bolsa (tens de te arranjar por fora), não há equivalências pré-definidas, tens de propor um plano de estudos que vai ser analisado, tens de fazer os contactos todos com a faculdade que te vai receber (até ao momento em que já tens o acordo apalavrado e aí são os serviços externos que trabalham, mas tens de andar sempre em cima deles).

resumindo, se não te queres dar ao trabalho vai por erasmus, se queres ir para um sítio diferente e queres sentir que atingiste um objectivo mesmo antes de partir, escolhe free-mover.

qualquer dúvida, pergunta...



desculpem a extensão do post

Share this post


Link to post
Share on other sites

pagar nos 2 sitios?? sem bolsa nem nada...é mesmo para ninguem ir em free moving... mas no teu caso ate conseguiste arranjar alguem para a tua faculdade o que não me acredito que algum aluno de barcelona por exemplo venha para a ESAP...é muito dificil mesmo..mas vou tentar já que o meu prof d desenho é da direcçao académica vou falar com ele na quarta sobre isto

Share this post


Link to post
Share on other sites

mas isso é tudo uma questão de negociação...antes de falares com quem quer que seja aqui fala com alguém da faculdade para onde vais. mandar um aluno em free-mover causa alguns inconvenientes à tua faculdade. eu só meti os serviços externos ao barulho quando já tinha tudo confirmado em ljubljana. e não estranhes se te disserem logo que não podes fazer isso e inventarem 1001 histórias. tentaram fazer isso comigo e eu lixei-as logo, fui directo ao pres. do conselho pedagógico... é preciso muitaaaaaaaa persistência, paciência e vontade.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.