Jump to content
Arquitectura.pt


Guest Victor@ArchiCAD@Infor

O ArchiCAD 12 está aí

Recommended Posts

Guest DEF

Será que o lider se encostou À sombra a gozar da sua liderança em vez de melhorar os seus produtos a sério, com competência.


Bem, concordo que o problema tenha sido efectivamente esse. E não é arranjarem versões LT que se posicionam no mercado nem tãopouco são clientes que pretendem continuidade mas sim clientes que pretendem o mais barato sem se preocuparem com nada!



Só não pode nem deve criticar algo que não conhce totalmente ou não sabe usar, ou até nem quer usar e por isso baseia a sua critica em pressupostos errados e que desviam o tema de casos concretos e objectivos.

Rui concordo em parte com o que dizes, mas não na totalidade!
O facto de não viver de política não quer dizer que não possa falar de política; o facto de nunca ter jogado futebol profissional não quer dizer que não possa falar de futebol profissional! Todos somos livres de dizermos e falarmos do que pretendemos. Existe muita informação (felizmente) sobre tudo e nada nos impede de colhermos essa informação e falarmos sobre ela.
Claro que falo por mim porque essa tua afirmação tocou-me :) Eu nunca usei o Archicad e nunca disse mal do AC, pelo contrario! Tenho dito e falado apenas do que conheço, do que pensava conhecer e do que vou aprendendo com isso tudo!

E agora preocupo-me em elevar a qualidade da arquitectura que produzo e a melhorar os serviços que presto.

Para mim o que me importa é efectivamente a minha profissão, não os passatempos que tenho em dar formação de algo que acredito, sei e trabalho!
O Revit é um deles... mas nem só de revit vive o homem ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não sei se a Nemetschek dorme à sombra dos louros. Prepara-se para adquirir a Cype e incrementar a relação Allplan-Cype-Archimedes, potenciando a relação arquitectos-engenheiros. Fazendo futorologia, penso que irão posicionar o Vectorworks no mercado "light", e o Archicad para o mercado Apple. Mas posso estar enganado...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest DEF

Sim, acredito que a Nemetschek não durma à sombra dos louros; "felizmente" para a Graphisoft que foi comprada por eles ;) Agora, em relação ao AC... acredito que será uma questão de tempo a substituição pelo Vectorworks e/ou Allplan! Ou seja, o mesmo que a Autodesk fez com o AutoCad e com o Revit :) Relativamente à compra da Cype, sim, compreendo que o façam e até acho possível (basta ver os investimentos que têm feito de compatibilidades por IFC), seguindo os passos da Autodesk que compraram recentemente (ano passado) a Robotbat que potencializou claramente a relação arquitectos-engenheiros ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não tem sido a Nemetchek que se encostou à sombra da bananeira e dos seus louros... Foi a Grafisoft. A Nemetchek muito tem desenvolvido os seus produtos e a prova foi dada com os últimos lançamentos (nomeadamente o Vectorworks BIM 2008 que amadureceu muito, mas ainda não se pode considerar um BIM à séria). E o Allplan sempre foi um software à frente do seu tempo, mas muito complexo de se usar e por isso pouco usado, principalmente aqui pelos Tugas que sempre foram aficionados pela Autodesk. Mas também este tem vindo a evoluir e a simplificar os processos. Concordo que possivelmente a grafisoft se dedique mais ao ambiente Apple já que no windows não se irá safar com facilidade. No mundo da maçã não tem concorrência forte no mundo AEC, onde predominam uns quantos proto "AutoCAD's" e alguns softwares de CAD bem bons e bem baratos comparativamente ao que se apanha no mundo windows. Neste momento a "grande batalha BIM" será entre o Revit, o Allplan e eventualmente o Bentley Archictecture, cujo grande senão será sempre a base Microstation - muito equivalente ao AutoCAD Architecture....

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest DEF

Robotbat? Nunca ouvi falar. Vende-se cá? É que não conheço nenhum eng. civil que use outro que não o Cype. Mas se calhar sou eu que saio pouco.


Sim, o Robot Millennium... muito usado em Portugal! É um software mais compleco e completo.

http://www.robobat.com/n/en/

Só conheces o CYPE? e o Tricalc? Não :)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest DEF

Não tem sido a Nemetchek que se encostou à sombra da bananeira e dos seus louros... Foi a Grafisoft.


Concordo na íntegra!
Aliás, acho que a grande aposta da Nemetchek foi precisamente comprar a Grafisoft para desenvolver o software para a maçã, nada mais!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aliás ainda digo mais... Penso que o que será a tábua de salvação da graphisoft será o VICO que em algumas áreas é inovador e não tem concorrência. De qualquer das formas assenta na "tecnologia" do archicad e como tal tem as mesmas limitações em termos de modelação e super-dependência dos objectos GDL. De qualquer das formas é um software que eleva a qualidade e a fasquia no mercado AEC e BIM e como não tem concorrência efectiva de nenhuma outra empresa ainda estará por aí durante algum tempo. Já que tanto se fala em preços vale a pena falar dos deste software que começa nos 8000€ + mil e não sei quantos de subscrição... É um valor bastante elevado, mas que de certa forma se aceita já que é "inovador" na sua abordagem. Acho que ainda vamos puder desculpar as limitações por enquanto...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sim, o Robot Millennium... muito usado em Portugal! É um software mais compleco e completo.

http://www.robobat.com/n/en/

Só conheces o CYPE? e o Tricalc? Não :)


Do Tricalc lembro-me de ver qualquer coisa algures numa Tektonica. Nunca trabalhei com engenheiros que usem outra coisa além do Cype. Qual deles é o melhor, não sei, não faço projectos de estabilidade...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest DEF

Não sei qual o melhor,mas concerteza será uma questão tipo: qual o melhor, Revit ou Archicad :)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom, sei que venho um pouco tarde (por razões de ferias), mas gostaria de meter a colherada. Uns pontos prévios, para esclarecer algumas mentes: O Rui Vendas, auto-intitulado mestre de Revit e Archicad, afirma que “Sou utilizador de ambos e domino ambos de forma avançada...”, afirma ás páginas tantas (isto dos Forums é coisa lixada, pode-se sempre ler o que o outro escreveu antes, sem possibilidade de deturpar a interpretação) " É ainda penoso, muito penoso mesmo, não ser possivel editar algumas coisas em alçado e/ou corte. É ridiculo até." Ora, para qualquer utilizador INICIADO de ArchiCAD esta afirmação mostra-se totalmente absurda. Para mim, arruma definitivamente com qualquer pretenção de arvorar conhecimento mínimo do ArchiCad, e como tal, a partir desse momento a pessoa que o proferiu não merece créditos na sua avaliação do mesmo. É no entanto curioso que o Rui descasque sitemáticamente no ArchiCAD, sem o mínimo conhecimento de causa, e depois faça afirmações como “Não percam tempo a criticar os outros e os outros produtos.” Outra afirmação do Rui “Já desafiei vários expert de archicad a provar-me que se consegue projectar em archciad sem rodeios, sem workarounds, sem truques, sem ad-ons e sem qualquer edição 2d dos desenhos produzidos. Até evr ninguém se prontificou a demonstrar-me isso” Soa-me bem estranha. Já trocámos várias vezes impressões, tanto em forums como por email, e nunca fui desafiado a fazer tal demonstração. Se fosse, bastaria enviar-lhe um de vários ficheiros de projectos completamente modelados em ArchiCad para lhe acalmar as dúvidas. Finalmente, o Rui espalha-se ao comprido quando começa a falar do VICO. O VICO está para os constructores como o ArchiCad estava para os projectistas há 20 anos. É revolucionário, não tem qualquer tipo de concorrência e começa a assustar sériamente a Autodesk. Nas suas sábias palavras “Sei que existem outros softwares mais evoluidos baseados em archciad - VICO. Mas o principal problema continua lá - excessiva obcessão e uso de objectos GDL, alguns mal desenvolvidos, outros com erros de programação/tradução. Acho que ainda vamos puder desculpar as limitações por enquanto...“ Com estas frases vagas dá a sensação de estar a falar sobre algo que conhece, quando claramente não sabe rigorosamente nada sobre o assunto. Está o amigo com azar, porque neste momento posso afirmar com segurança, que não há ninguém em Portugal que saiba mais sobre o software VICO do que eu (modestia á parte) e é com grande interesse que vejo alguém como o Rui a atacar tão despropositadamente um software. Será que a Autodesk se sente desconfortável com os projectos que estão neste momento a ser desenvolvidos em Portugal baseados no VICO por grandes empresas de construção nacionais? Quanto ao Dércio. Embora afirme que não sabe rigorosamente nada sobre o ArchiCad, sente-se á vontade para cascar nele “porqe estar à espera que o AC actualize vistas tão simples como um corte ou alçado... é um desespero! E está cada vez mais lento”. Embora, modestamente, acaba por afirmar “Não conheço o Archicad (nem tenho intenções a curto prazo de o fazer... por motivos óbvios para mim) e sei apenas o que dizem os utilizadores de Archicad.” "Não critico o Archicad; falo apenas do que conheço e do que os bons utilizadores dizem, mais nada! Leio muito e acredito, embora muito filtrado, o que esses utilizadores dizem!” Quando queremos saber quem serão os tais “bons utilizadores” que lhe fornecem informações no sentido de poder formar uma opinião sobre um produto que não conhece, ficamos a saber que uma das fontes principais é o Rui: “Claro, não posso falar sobre o Archicad tão a fundo mas efectivamente são com opiniões como as do Rui (não que o conheça pessoalmente mas sim uma pessoa que aparentemente domina ambos, pois fala com conhecimento de causa) que me fazem acreditar que o Revit leva vantagem!” Boa! O Rui! Ou seja, a opinião do Dércio sobre o ArchiCad, apaixonada ao ponto de ter a certeza que o Revit é 100% melhor, baseia-se nas opiniões de gente como o Rui, que nem sabe o suficiente para conseguir editar elementos em cortes ou alçados. Está tudo dito, meus senhores. Realmente, com opiniões dessas, não vale a pena discutir. Já agora, uma nota cómica (como se as outras não fossem): Já repararam que o Archicad é atacado por esta gente por correr no Mac, ser barato e ter 24 anos? Ou seja, ser multiplataforma, 3 vezes mais barato e ter 5 vezes mais experiência do que a concorrência é considerado, em desespero, como elementos negativos na opção por um software. Haja paciência… Miguel Krippahl

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest DEF

Ora boas noites Arq. Miguel Krippahl,

Foi com alguma paciencia (ainda bem que também a tenho) que li tudo o que escreveu, não deixando de deixar sair uns sorrisos... por alguém que se sentiu (e vai sentido) tocado com alguns comentários feitos por esses foruns ;)
Apesar de não nos conhecermos pessoalmente, tenho muitas boas referencias suas, sigo os seus blogs com alguma atenção e interesse, inclusive o seu site!
Não perco uma CADproject onde leio e releio com atenção as suas dicas sobre, obviamente, o ArchiCad.

Já agora, um pequeno pormenor sem nenhuma importancia: Décio :) e não Dércio :)

Voltando às CADproject nº31, queria deixar um pequeno desabafo seu sobre a versão 11 do Archicad; passo a citar:
"Embora esta seja uma versão que não tenciono usar na minha prática profissional, achei que seria pedagógicamente mais correcto demonstrar os exercícios na última versão do Archicad.
E porque é que não tenciona utilizar a versão 11 do Archicad? Pergunta o leitor mais atento.
Porque não estou para desembolsar umas centenas de euros por algo que não passa, na minha modestia opinião, de uma versão 10.5, ou seja, que se limita a corrigir imperfeições do 10".

Achei pertinente este desabafo, sendo este feito por um dos gurus portugueses do Archicad, não?
Pergunto então: que achou das novidades do AC12? Já vale a actualização?

Bem, das discussões do Rui sobre o Revit vs Archicad vs outros BIMs, e sendo eu um utilizador muito frequente do forum de Revit (www.revitpt.com), tudo o que ele diz já não é novidade para mim; no entanto, e chamo a atenção, que não, o Rui não é de todo a minha referencia do Archicad. As minhas referencias de utilizadores, são eles arquitectos, técnicos, desenhadores ou simplesmente curiosos. Alguns deles bem próximos nossos (meus e seus).

Queria novamente reforçar a ideia de que não sei nada de nada de Archicad; apenas sei o que leio, vejo e dizem-me; e não casco nele. Apenas tento trocar ideias e opiniões, ver e ler discussões sobre soluções BIM (já agora, algumas delas eliminadas dos seus blogs...).

"Quando queremos saber quem serão os tais “bons utilizadores” que lhe fornecem informações no sentido de poder formar uma opinião sobre um produto que não conhece, ficamos a saber que uma das fontes principais é o Rui:"
Haja paciencia, como referiu; aconselho-o a voltar a frequentar o Revitpt, onde tive largas e compridas discussões com o rui e outros utilizadores sobre o Revit e sobre o AC.
Volto a repetir o que referi: "opiniões como as do Rui (não que o conheça pessoalmente mas sim uma pessoa que aparentemente domina ambos, pois fala com conhecimento de causa)". Juntando a isto outros desabafos e outras situações que vou lendo, sabendo e vou confrontando, me leva a afirmar que os tais mestres têm razão!

Relativamente à minha opinião e aos 100%, esqueceu-se de referir que eu disse que PARA MIM... ou seja, dei apenas uma opinião pessoal, uma escolha, uma opção. Felizmente existem outras opções...

Tenho pena que estas discussões para si sejam ao ponto de repetidamente dizer:
"Está tudo dito, meus senhores. Realmente, com opiniões dessas, não vale a pena discutir."
Tudo o que foi dito, com muita paciencia, não passam de opiniões... e valem o que valem! Nada nem ninguém pode julgar opiniões, pois todos temos direito a elas. Apenas concordamos ou discordamos, pois temos opiniões diferentes. Que mal tem? Discordar é negativo? Opinar no nosso ponto de vista é negativo? Sempre disse e sempre digo que o Archicad deve concerteza ter aspectos bons... mas isso não faz com que deixe de pensar que PARA MIM o Revit leva 100% de vantagem.

Outra passagem do seu post que me fez sorrir:
"Já agora, uma nota cómica (como se as outras não fossem):
Já repararam que o Archicad é atacado por esta gente por correr no Mac, ser barato e ter 24 anos?

Ou seja, ser multiplataforma, 3 vezes mais barato e ter 5 vezes mais experiência do que a concorrência é considerado, em desespero, como elementos negativos na opção por um software.

Haja paciência…"

Não sei se sou incluido no "por esta gente", afirmação que me parece pouco ortodoxa.

No entanto, nunca vi alguem dizer (nem mesmo o Rui... pelo contrário) ou atacar o AC por correr em Mac, ser barato, ter 24 anos, 3 vezes mais barato (não sei de onde fez essas contas, mas concerteza que as suas fontes são seguras) e ter 5 vezes mais experiencia do que a concorrência.
O que posso dizer é que durante esses 24 anos muitos deles foram a marcar passo pela falta de concorrência e nessas 5 vezes menos experiencia (outras contas que também tive dificuldade em fazer...) toda (ou quase toda; não incluo o VICO - "não há ninguém em Portugal que saiba mais sobre o software VICO do que eu (modestia á parte)")... pelo menos o Revit... ganhou muito terreno relativamente ao AC; isto é, essas 5 vezes menos não são de todo (diria até pelo contrário) assim tão substanciais.


Também fico preplexo pela sua forma de falar das diferenças entre o AC e a concorrencia, como fala. Conhece-a toda? Consegue acompanhar toda a concorrência na prática?


"Haja paciência…"
Ainda tenho muita... felizmente!
Open mind...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Caro Décio sem R Por pontos, para não o cansar muito: 1- O meu dislike pela versão 11 do ArchiCad, publicado e assinado na revista cadProject, vem do facto de essa versão ter um incremento qualitativo para utilizadores antigos equivalente ao da, por exemplo, versão 8 para a 8.5. Como tal, na minha opinião, não deveria ter sido cobrada. Só mostra a minha idoneadade perante o fabricante, e não vejo como isso poderá afectar seja o que for a discussão em curso. 2- Quanto ao novo Archicad 12, que o Décio tanto se apressou a denegrir quando foi anunciado no inicio deste tread, óbviamente a capacidade de usar multiprocessadores faz valer, só por si, o upgrade. É o único programa BIM que neste momento o faz (estou certo que outros lhe irão seguir os passos no futuro), e os benchmarks indicam que os resultados são fabulosos. 3- É muito estranho que o Décio afirme agora que "chamo a atenção, que não, o Rui não é de todo a minha referencia do Archicad" quando antes dizia, neste mesmo tread "Claro, não posso falar sobre o Archicad tão a fundo mas efectivamente são com opiniões como as do Rui (não que o conheça pessoalmente mas sim uma pessoa que aparentemente domina ambos, pois fala com conhecimento de causa) que me fazem acreditar que o Revit leva vantagem!” Em que é que ficamos? Sendo que o Décio assumidamente não sabe nada em primeira mão do ArchiCad, e que confessadamente baseia a sua opinião naqueles que, da sua perspectiva, dominam o dito, é ou não o Rui um expert a ter em conta? Porque se é, então tem sido enganado porquer, como eu já referí, o Rui comprovadamente não sabe um queijo sobre o Archicad. Se não é, então porque tinha afirmado inicialmente que era? Mesmo pondo a hipotese que o Decio teve um lapso de memória e confundiu o Rui com, seilá, o Pai Natal, espera que acreditemos que conhece outros grandes utilizadores de Achicad, não nomeados. Mas vejamos o que o Décio disse sobre esses outros utilizadores mais a cima: "sei apenas o que dizem os utilizadores de Archicad. Sei que eles convertem vistas em 2D " Os utilizadores que conhece convertem vistas em 2D? Ora bem, estou a ver que todos os especialistas que conhece situam-se básicamente ao nível do Rui Vendas. 4- Quanto á sua opinião pessoal, lá dizem os americanos "opinions are like assholes, everybody has one but only some choose to give them away". Eu penso que, face o dito, sería de elementar honestidade intelectual o Décio avisar os leitores que a sua opinião sobre o Archicad é exclusivamente pessoal, e que não se baseia em conhecimentos concretos absolutamente nenhuns, mas apenas na opinião de outras pessoas cujos conhecimentos técnicos sobre o programa também são poucos ou nenhuns. Nesses termos, acha que a sua opinião terá algum valor? Interessará a alguém? 5- Quanto à tentativa "dessa gente" de fazer dos pontos fortes do Archicad uma menos valia, aqui vão alguns exemplos, retirados do presente tread: Rui Venda: " Concordo que possivelmente a grafisoft se dedique mais ao ambiente Apple já que no windows não se irá safar com facilidade. " Lichado "Fazendo futorologia, penso que irão posicionar o Vectorworks no mercado "light", e o Archicad para o mercado Apple." ( está subjacente a mensagem, para todos os potenciais utilizadores do Archicad, que este deixará de existir em ambiente windows, o que é um perfeito disparate, uma vez que a maioria dos utilizadores archicad trabalham neste momento em ambiente windows) Décio: " Realmente eu que não sou "Revit BIM Preacher" (com direitos de autor do Victor) tenho algumas dúvidas que este tipo de tecnologia consiga suportar tantos anos sem se cansar!" e "O Archicad tem 26 anos ou afins, isto é, até quando aguenta aquela tecnologia?" Parece-me que aqui o Décio afirma categóricamente que ter mais experiência é negativo. e finalmente, do Rui " É que até ver a forma que arranjaram para aumentar as vendas foi com versões Lite e não com melhorias significativas." Ou seja, ter uma versão mais barata é mau. 6- Quanto à sua afirmação final, revela bem a dificuldade que existe em dialogar comigo. Enquanto o Décio insiste em maltratar o ArchiCad, embora admita que não sabe nada sobre este programa excepto por intrepostas pessoas, desafio-o a encontrar no meu post uma única menção opinativa a qualquer outro programa. Nunca me passaria pela cabeça opinar sobre aquilo que não sei, muito menos baseado em opiniões de terceiros que não conheço ou reconheço. Para além de falta de honestidade intelectual, corria o risco de enganar algum frequentador incauto deste Forum, e também o de fazer figuras tristes. Open mind, but not so open it falls out... Miguel Krippahl

Share this post


Link to post
Share on other sites

Caro Décio sem R


Lichado "Fazendo futorologia, penso que irão posicionar o Vectorworks no mercado "light", e o Archicad para o mercado Apple."

( está subjacente a mensagem, para todos os potenciais utilizadores do Archicad, que este deixará de existir em ambiente windows, o que é um perfeito disparate, uma vez que a maioria dos utilizadores archicad trabalham neste momento em ambiente windows)


Miguel Krippahl


Não há nada de subjacente na mensagem. Apenas me interroguei sobre a estratégia de uma empresa que tem 3 softwares para a mesma área, e como poderia evoluir. O grupo Volkswagen orientou a Skoda para o low cost (soit disant), a Audi para o prime, a Seat para o sport e a Volkswagen para a família, o que não quer dizer que não fabriquem Skodas desportivos ou Volkswagen de luxo. Pronto. É só isso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois, não está subjacente que o Archicad vai acabar na plataforma Windows, está explícito "...e o Archicad para o mercado Apple".

Muitos utilizadores se interroga qual irá ser a estratégia da Nemetsheck, mas parece-me forçado admitir que eles decidiriam acabar com o Archicad em plataforma Windows, alienando assim mais de metade dos seus clientes existentes.

Há muitos exemplo de empresas que têm softwares concorrentes, como o Maya e o 3DStudio Max da Autodesk, e que desenvolvem esses softwares em paralelo, orientando-os preferencialmente para certos sectores de mercado.

Esses sectores definem-se pelo tipo de utilizadores e trabalhos realizados, e não pelo tipo de máquinas que utilizam.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Andas a precisar de férias. Podes discordar comigo, mas não me parece bem dizeres que digo o que não disse. Vocacionar um determinado software para uma determinada plataforma não quer dizer que vá desaparecer na outra. E lá por eu achar que o Queiroz vai pôr Quim a titular não te dá o direito que concluires que eu disse que o Ricardo é um frangueiro, capice? E já agora, diz lá então qual é a diferença entre o tipo de utilizador e o trabalho realizado em Allplan ou em Archicad.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Parece que quando o software não se defende a si próprio vêm aqui os users desse software denegrir a imagem das pessoas que os comentam a começar por mim.... Primeiro, mão me auto-denomino como mestre em archicad. Simplesmente domino o software um pouco mais do que os users habituais (sei um pouco de GDL enquanto linguagem, e sei usar um pouco mais do que as ferramentas de parede, janela e porta). Fiz duas vezes formação em Archicad e da segunda vez nem sequer a terminei pois o formador nada mais tinha a acrescentar aos meus conhecimentos. As minhas criticas ao archicad sempre foram baseadas na minha experiência com o produto e outros com que se possa comparar. E como tal da mesma forma que falo dos aspectos negativos também saliento os aspectos positivos. Basta dar uma olhadela aos posts que vou colocando em vários fóruns. Coisas que são simples noutros softwares no archicad só se conseguem com workarounds (alguns tão bem visiveis nos fóruns do Miguel e nas CAD Project. Como tal e volto a afirmar, nunca aqui disse mal de ninguém, nunca acusei ninguém e jamais partirei para ataques pessoais, de pessoas que não conheço (pessoalmente), com o objectivo de fazer valer a minha opinião. Sempre disse e continuo a dizer que esta é apenas e só a minha opinião. Se o Sr. Arq. Miguel Kripahl acha que eu não percebo um queijo de archicad eu gostaria de saber porque é que vários utilizadores de archicad me disseram o contrário???? É estranho. É mais fácil atacar as pessoas do que admitir alguns problemas no software que se usa. É tipo os Apple fan boys.... Todos sabem que a apple é boa, mas quando se focam os aspectos menos bons, atacam as pessoas que usam o windows. Com comentários destes não vale a pena continuar a insistir. Mais uma vez afirmo com todas as certezas que é impossivel fazer um projecto completo (desde projecto base a projecto de execução, passando pelas medições e pelos tão falados encarnados e amarelos - em portugal é uma exigência técnica e como tal não há como os contornar) totalmente baseado num modelo (será que não é esse o propósito BIM - Building Information Modelling???) E se estou enganado corrijam-me. Mas acho que não estou enganado. Encarnados e amarelos vai à unha - desenho 2d. Medições vai à unha - tem de se construir a base de cados localmente. Algumas familias têm erros de programação e não funcionam como queremos (não sou eu que o digo, são vários os utilizadores que o dizem). O dominio do aspecto gráfico fica comprometido pelo que o programa tem para nos oferecer (o plano de corte está à mesma altura em todas as vistas, algumas familias não são representadas como pretendemos, as simbologias gráficas, se perssonalizadas, têm de ser feitas à mão ou construídas em GDL, etc). Sistemas de construção mais complexos não são simuláveis em archicad sem ad-ons. PS: Falo do archicad isolado e sem ad-ons. Agora vem o pessoal do archicad dizer que essa é uma forma de ter o produto mais barato e adaptável às necessidades de cada um. Verdade, mas numa altura em que outras soluções no mercado o fazem, não é por aí que vinga. E as versões lite também não respondem. É sempre bom ter produtos mais baratos, não discordo, mas depois não se tem teamwork, complex profiles, entre uma série de outras funcionalidades que têm um valor acrescido e sem as quais o produto não só é pobre como não justifica o preço que se dá por ele. Ainda assim é um bom substituto de softwares CAD - sem dúvida. Já o disse noutras ocasiões. Agora vamos à outra face da moeda... O tal VICO. Eu não me afirmei expert nem utilizador de VICO. É um software que estou a acompanhar com interesse, pela sua novidade no mercado. O facto de ser novidade não é 100% real, já que há outros softwares que fazem as mesmas coisas embora isoladamente e sem que seja um produto all-in-one. Agora os argumentos de alguns users do archicad vão por água abaixo... É um software caro e é possivel obter aproximadamente as mesmas funcionalidades usando outros produtos em complementaridade, possivelmente pelo mesmo preço ou preço inferior... Ainda assim o VICO é um software de referência pelas suas funcionalidades e sua utilidade. Ainda assim reafirmo que as suas fraquezas estão no facto de ser baseado em Archicad e como tal tem as suas limitações em termos de modelação... Digo isto baseado em demos que já assisti e aos demos que estão na página e demontram as funionalidades deste software. Quem o quizer comprovar basta lá passar. E é clara a evidência que é uim produto que parte do archciad e adiciona-lhe algumas opções - algumas bem interessantes devo dizer (há que ser coerente). É estranho estas coisas da argumentação - ora é válida ora é posta em causa. É ridiculo afirmar que "É ainda penoso, muito penoso mesmo, não ser possivel editar algumas coisas em alçado e/ou corte. É ridiculo até." Segundo o Miguel (Sr. Guru de Archicad que afirma "Ora, para qualquer utilizador INICIADO de ArchiCAD esta afirmação mostra-se totalmente absurda."). Então copia uma janela em corte ou em alçado, ou uma viga, ou um simples objecto.... Ah pois é... Não dá pra copiar, mas dá pra mover. Certo... Dá pra mover, mas eu quero copiar. Como se faz???? Ah e tal desenha-se em planta a várias cotas e depois vai-se ao alçado ou corte e move-se para o sitio certo... POis (não só levanto as questões como dou a solução) só mesmo assim dá. Mas não seria melhor se fosse possivel fazer isso de vez???? Ah... Agora o problema é meu porque sou eu que estou a levantar de mais a fasquia. (não sou eu que o afirmo, já me foi dito pelo Sr. Vitor Silva). Volto a não compreender... Se o produto não faz primeiro a culpa é minha porque não sei usar. Depois provo que não dá. E o problema volta a ser meu porque estou a por a fasquia alta de mais e estou a confundir o que é o BIM. Meus senhores vamos ser realistas e ser corentes. Essa coisa da coerência é uma coisa lixada. Para concluir. EU só comparo o que é comparável e só faço afirmações quando sei do que digo (embora não perceba um queijo de archicad). Com base nisto o desafio mantém-se... Provem-me que é possivel garantir um processo completo em archicad sem recurso ao 2d ou ao "desvinculo" de uma vista ao modelo, sem edição 2d de desenhos e garantindo o aspecto gráfico que se pretende. PROVEM-ME. Demonstrem que o produto é de facto bom. POrque argumentos do tipo está à 25anos no mercado, foi pioneiro, tem milhares de utilizadores, corre em mac, não serve. Neste momento já tem concorrência à altura e como tal ou demonstra que está cá para dar cartas ou mais vale desistir. Ainda referente ao VICO - não li em lado nenhum que a Autodesk está com medo do VICO porque não lhe tem concorrÊncia. Esse é outro argumento da treta (não quero ofender ninguém) já que é normal que haja um que tome a dianteira e hajam outros a copiar. è o processo normal das coisas. O Archicad tomou a dianteira à 20 anos atrás. Hoje é largamente ultrapassado e copia os que o copiaram. (atenção é ultrapassado em termos de funcionalidades e opções). Por último o archicad 12. È uma boa versão aparentemente. É de facto uma das poucas aplicações que usa o multi-processamento, e a ferramenta de fachada cortina, apesar de se basear mais uma vez em objectos gdl, é versátil, mas também algo limitativa. É o normal na esmagadora maioria dos objectos presentes no archicad. E já que o problema é sempre o tão falado Rui que está sempre a ser atacado por todos, façam umas visitas aos fóruns da graphisoft e vejam o que os users afirmam, o que os users pedem à graphisoft para colocar no archicad, vejam o que pessoas que começaram à 20 anos com os primeiro archicad dizem quando pensam em mudar, porque começam a aparecer soluções mais evoluidas no mercado. Afinal não é só o Rui, ou então são estes users que também não sabem um queijo sobre archicad. Mas como eu não os conheço, nem sei nem consigo avaliar os seus conhecimentos, não vou opinar sobre isso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Caro Rui

Quando defendi que não percebe um queijo de Archicad, foi baseado na sua afirmação anterior de que " É ainda penoso, muito penoso mesmo, não ser possivel editar algumas coisas em alçado e/ou corte. É ridiculo até."

Repare que, pelas suas palavras, não sería possível editar coisas em vistas de alçados/cortes.

Editar, sublinho.

Agora vem dar um golpe de rins (talvez depois de ter lido o manual - em Português - do Archicad) e fala em "Não dá pra copiar, mas dá pra mover."

Copiar? Então, o argumento não era que não sería possível editar?

Editar, presumo eu e todos os que lêem isto, será alterar as suas propriedades. Editar não será concerteza criar um elemento novo.

Ou seja, apanhado com a pata na poça, nada como alterar a argumentação e assobiar para o cochicho, esperando que ninguém note. Pois é, mas isto dos Forums, como já disse, é tramado, fica tudo registadinho, e não se pode ir apagar...

Gostaria muito que, na sua eventual resposta, esclarecesse este ponto: Acredita que não é possível editar elementos em corte, ou foi uma calinada que preferia não ter dito?

Quanto a ataques pessoais, não me lembro de o ter acusado de ser feio, chato, pedante, alto, baixo, testemunha de jeová ou qualquer outra coisa irrelevante para a discussão.

Limitei-me a apontar para que alguém que se arvora de especialista de Archicad "Sou utilizador de ambos e domino ambos de forma avançada...", o erro que fez é tão básico que deita por terra qualquer argumentação posterior, descredibilizando as opiniões expostas.

Esse facto é totalmente relevante para a discussão, uma vez que, estando a opinar sobre o Archicad ( e estando outros a usar a sua opinião como sendo qualificada), essas opiniões valem se for realmente especialista e valem muito pouco se não o for.

É também curioso que o Rui agora diga "Primeiro, mão me auto-denomino como mestre em archicad. Simplesmente domino o software um pouco mais do que os users habituais".

Primeiro domina-o de forma avançada (suas palavras), agora domina um pouco mais que os users habituais (o que quer que isso seja, e segundo que estatística que seja). Se continuarmos nesta curva descendente, é provável que venha a confessar que lhe saiu um diploma no Omo...

É fácil afirmar ser-se um utilizador de topo. Mais difícil é provar-se. Mas com calinadas como aquela de não ser possível Editar alguns elementos nos cortes/alçados, é fácil perceber que o Rui saberá provávelmente tanto de Archicad como eu de Revit.

A diferença é que eu não afirmo saber nada sobre o Revit, nem opino nunca sobre as suas funcionalidades.

" Coisas que são simples noutros softwares no archicad só se conseguem com workarounds"
...e vice versa. É essa a natureza dos softwares, e vale para qualquer software que exista à face da terra. Não vejo onde tal afirmação lapalissiana possa adiantar na discussão.

"Mais uma vez afirmo com todas as certezas que é impossivel fazer um projecto completo (...) totalmente baseado num modelo (...) E se estou enganado corrijam-me. Mas acho que não estou enganado."

Está enganado. Considere-se corrigido.

Se quiser saber (não deve querer, senão não fazia afirmações que já foram anteriormente desmentidas), é possível fazer os encarnados e amarelos sem desenhar uma linha, é possível retirar as medições automáticamente do modelo, não vejo porque é que o eventual erro (nunca vi nenhum) de um objecto possa pôr em causa o modelo no seu todo (usa-se outro objecto dos milhares que a biblioteca tem), não faço a menor ideia o que quer dizer com "o plano de corte está à mesma altura em todas as vistas", nem com "algumas familias não são representadas como pretendemos" (a propósito, no ArchiCad não existem famílias, senhor domino-o-software-mais-do-que-a-maioria), e sempre representei as simbologias gráficas que quis sem recorrer a uma linha de gdl.

Archicad isolado. Sem add-ons.

Já agora, o que têem vocês contra os add-ons? Complementos ao programa que só se adquirem se necessitarmos deles, sem pesar nos bolsos nem no computador de quem nunca os irá usar?

" E as versões lite também não respondem". Deixe-me explicar uma coisa. A versão lite do Archicad é uma versão totalmente funcional sem teamwork e perfis complexos. Ideal para quem começa a trabalhar por sua conta, por ter um preço extremamente baixo. Se e quando quiser fazer o upgrade para a versão completa, o dinheiro que deu pela versão lite é abatido no preço final.

Onde está o prejuizo para o utilizador? Não sería excelente se outros programas fizessem o mesmo? Imaginem um Word com menos duas funcionalidades secundárias por um terço do preço, com possibilidade de upgrade sem perder um cêntimo. Ou um Photoshop. Sinceramente, não consigo imaginar onde está a maldade dessa política, onde está o prejuízo para o utilizador final. Se calhar sou eu que tenho pouca imaginação...

Quanto ao VICO, mais uma vez mete a pata na poça ao afirmar "E é clara a evidência que é uim produto que parte do archciad e adiciona-lhe algumas opções". Caro Rui, a evidência clara neste caso é que ainda sabe menos do VICO que do ArchiCad. O módulo de modelação, baseado no Archicad, compõe uma sexta parte da Suite VICO. Para além dele (chamado Constructor) há mais cinco!

Veja as demonstrações com mais atenção, e, se tiver vontade, faça como eu e vá à Hungria tirar um curso de utilizador na casa mãe da VICO. Depois sim, poderá opinar com alguma propriedade. Até lá, tudo o que disser só iirá revelar o seu total desconhecimento do assunto.

"Volto a não compreender... Se o produto não faz primeiro a culpa é minha porque não sei usar. Depois provo que não dá. E o problema volta a ser meu porque estou a por a fasquia alta de mais e estou a confundir o que é o BIM."

Penso que finalmente disse uma coisa acertada. O problema é mesmo seu. Nunca o vi provar seja o que for, apenas afirmar coisas que são claramente inverdades (para não dizer mentiras).

"Prove-me que é possivel garantir um processo completo em archicad sem recurso ao 2d ou ao "desvinculo" de uma vista ao modelo, sem edição 2d de desenhos e garantindo o aspecto gráfico que se pretende. PROVEM-ME"

Concerteza. Não precisa gritar, até parece que está a perder as estribeiras... Como quer proceder a essa prova?

"Por último o archicad 12 (...)É de facto uma das poucas aplicações que usa o multi-processamento"
Uma das poucas? É a única aplicação BIM a fazê-lo, como bem sabe.

Para finalizar, a questão dos users archicad reclamarem melhorias do programa. Diga-me lá aqui, que ninguém nos ouve. Acha mesmo que esses users de 20 anos reclamariam se achassem que a Graphisoft não lhes liga? Eu acho que não, acho que já teriam mudado para outro software.

O facto de haver uma comunidade activa, opinativa, não diz nada de negativo sobre esse produto. Bem sei que não é prática de outras empresas ouvirem os utilizadores e deixarem-nos expressar-se livremente, mas o tal Forum que menciona sem menionar é hosted pela própria Graphisoft, e representa uma mais valia incalculável para qualquer utilizador Archicad.

Mais um ponto a favor do programa, uma comunidade activa e opinativa, a juntar à multiplataforma, ao preço, à maturidade.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Caro Rui

Repare que, pelas suas palavras, não sería possível editar coisas em vistas de alçados/cortes.

Editar, sublinho.

Agora vem dar um golpe de rins (talvez depois de ter lido o manual - em Português - do Archicad) e fala em "Não dá pra copiar, mas dá pra mover."


Nunca se me tinha ocorrido tal coisa (às vezes estamos tão automatizados com os processos de trabalho que nem nos lembramos de outros métodos).

E não é que no Allplan consigo editar e compor os alçados na vista de alçado/corte?

Espremendo bem este tópico, já aprendi qualquer coisa hoje!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Podes discordar comigo, mas não me parece bem dizeres que digo o que não disse. Vocacionar um determinado software para uma determinada plataforma não quer dizer que vá desaparecer na outra. E lá por eu achar que o Queiroz vai pôr Quim a titular não te dá o direito que concluires que eu disse que o Ricardo é um frangueiro, capice?


Escapa-me por completo a analogia.

Ao afirmar que "Fazendo futorologia, penso que irão posicionar o Vectorworks no mercado "light", e o Archicad para o mercado Apple." está a dizer, textualmente, que acha que irão posicionar o Archicad para o mercado Apple.

Se isto não quer dizer que, na sua opinião, vão retirar o Archicad do mercado Windows, então sou eu que não sei ler Português.

Seguindo a sua analogia, sería o equivalente a dizer que vão posicionar o Ricardo na balisa e depois defender que isso não implica que ele não vá jogar como avançado.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest DEF
Finalmente consigo “aprender” algumas coisas com alguém que se denomina e afirma-se como Guru de Archicad…

Obrigado pela compreensão dos pontos, arquitectos que somos, temos pouca paciência para algumas coisas… Deve ser da profissão!

Continuando nos pontos:

1. “O meu dislike pela versão 11 do ArchiCad, publicado e assinado na revista cadProject, vem do facto de essa versão ter um incremento qualitativo para utilizadores antigos equivalente ao da, por exemplo, versão 8 para a 8.5.

Como tal, na minha opinião, não deveria ter sido cobrada. Só mostra a minha idoneadade perante o fabricante, e não vejo como isso poderá afectar seja o que for a discussão em curso.”


Se me permite, juntarei outra grande passagem sua:

“Em que é que ficamos? Sendo que o Décio assumidamente não sabe nada em primeira mão do ArchiCad, e que confessadamente baseia a sua opinião naqueles que, da sua perspectiva, dominam o dito, é ou não o Rui um expert a ter em conta? Porque se é, então tem sido enganado porquer, como eu já referí, o Rui comprovadamente não sabe um queijo sobre o Archicad. Se não é, então porque tinha afirmado inicialmente que era?”

É pena que por vezes se leiam coisas da forma que se queiram, colem as referências apenas que lhes convém, pois o enquadramento, esse, damos o que quisermos… mas passo a explicar!

Para mim, quem fala de uma forma tão clara e inequívoca de algo é porque tem conhecimento de causa… tal como o Sr Arq. Miguel faz, e de forma tão ensurdecedora, mas claro, sem “gritar”. Para além do Rui, e das pessoas que ambos “conhecemos” mas não pessoalmente, conheço-o a si. Ou seja, se para uma pessoa, “terrivelmente” conhecedora de Archicad, quase única no país (desculpa, confundi o Archicad com o VICO…) vem afirmar categoricamente que

“Embora esta seja uma versão que não tenciono usar na minha prática profissional, achei que seria pedagógicamente mais correcto demonstrar os exercícios na última versão do Archicad. E porque é que não tenciona utilizar a versão 11 do Archicad? Pergunta o leitor mais atento. Porque não estou para desembolsar umas centenas de euros por algo que não passa, na minha modestia opinião, de uma versão 10.5, ou seja, que se limita a corrigir imperfeições do 10”

Claro que para um leitor menos atento como eu, levantei a questão que para si foi antecipada! Mas percebi NA SUA OPINIÃO, o porquê dessa afirmação…

Relativamente à sua opinião sobre o Rui Venda, já não sei nem posso afirmar. Ele continua a ser para mim uma pessoa a ter em conta, até prova em contrário… tal como o Miguel!

É verdade, esqueci-me de referir que já não acredito no Pai Natal…
Se calhar, em Portugal, o Arq. Miguel para si deve ser o único que o domina: "não há ninguém em Portugal que saiba mais sobre o software VICO do que eu (modestia á parte)" Posso juntar à sua lista o Archicad?

“Os utilizadores que conhece convertem vistas em 2D? Ora bem, estou a ver que todos os especialistas que conhece situam-se básicamente ao nível do Rui Vendas.”
Renomeei o primeiro da minha lista de conhecedores do Archicad; aliás, eliminei todos… Será ele o tão confundido Pai Natal?


2. Versão 12: “que o Décio tanto se apressou a denegrir quando foi anunciado no inicio deste tread”
Como lhe disse já algumas vezes (curioso, não faz parte dos imensos copy/paste dos seus posts) nunca disse mal do Archicad nem das suas funcionalidades… Não o conheço minimamente para o fazer! Mas, e desculpe a minha ousadia, nisso concordamos, que a única novidade identificada como sendo novidade é a capacidade de usar multiprocessadores. Pelo menos é a única que refere das muitas (?) anunciadas.
Concordo… e não sou só eu!

3. “Quanto á sua opinião pessoal, lá dizem os americanos "opinions are like assholes, everybody has one but only some choose to give them away".

Eu penso que, face o dito, seria de elementar honestidade intelectual o Décio avisar os leitores que a sua opinião sobre o Archicad é exclusivamente pessoal, e que não se baseia em conhecimentos concretos absolutamente nenhuns, mas apenas na opinião de outras pessoas cujos conhecimentos técnicos sobre o programa também são poucos ou nenhuns. Nesses termos, acha que a sua opinião terá algum valor? Interessará a alguém?”

Confesso que, tendo uma pessoa de referência, tenha afirmações deste género por pessoas que não conhece…

Aqui, e desculpe mais uma vez a ousadia, mas tenho que concordar com o Rui. Para mim é difícil falar das pessoas que conheço da forma como você se refere das pessoas que não conhece… e fico por aqui!


4. “Parece-me que aqui o Décio afirma categóricamente que ter mais experiência é negativo.”
Parece-lhe? Porquê? Convém? O Arq. Miguel que todos nós sabemos está envolvido em projectos universitários sobre as novas tecnologias e debate-se com a implementação das novas tecnologias nos processos de trabalho da arquitectura, acha que uma tecnologia que se quer inovadora, informaticamente falando, consegue aguentar os avanços que lhe são exigidos por mais tempo? É isso que retira do facto de eu dizer que uma tecnologia de 26 anos tem algumas dificuldades de dar resposta? Onde referi maturidade vs experiencia é negativo?

É uma forma de deturpar e interpretar como quisermos; claro, com mais impacto pois foi dito por um “Archicad Expert”.

5. “Quanto à sua afirmação final, revela bem a dificuldade que existe em dialogar comigo”
Realmente aqui também tenho que concordar consigo… desculpe mais uma vez a minha ousadia!
Como referiu, e desculpe o plágio, mas não tenho paciência para ir a vários fóruns e fazer aquilo que o Miguel faz bem: copy/paste.

6. “Nunca me passaria pela cabeça opinar sobre aquilo que não sei, muito menos baseado em opiniões de terceiros que não conheço ou reconheço. Para além de falta de honestidade intelectual, corria o risco de enganar algum frequentador incauto deste Forum, e também o de fazer figuras tristes.”
Esta afirmação ficou-me a remoer na cabeça… No entanto, as opiniões valem o que valem, como lhe disse, e as figuras tristes fazemos sempre quando as queremos…

7. “Esse facto é totalmente relevante para a discussão, uma vez que, estando a opinar sobre o Archicad ( e estando outros a usar a sua opinião como sendo qualificada), essas opiniões valem se for realmente especialista e valem muito pouco se não o for.”

Achei curioso essa referência que fez ao Rui; sabendo que não nos conhecemos pessoalmente, nem sabemos se um e outro tem esses conhecimentos que tanto enaltece como os tendo, pergunto, será de bom tom essas afirmações? Pergunto: as suas opiniões valem? É você 1 declarado e assumido especialista? O único?



Realmente quando as opiniões tornam-se em confrontos pessoais principalmente por pessoas que se limitam a alimentar discussões numa perspectiva pedagógica por outras que se sentem melindradas e por mail interpretações de algo… realmente, acho que está a precisar de férias, ou de voltar a acreditar no Pai Natal

Um outro aspecto; existem outras pessoas, para além do Miguel ou do seu conhecimento, que dominam bem, tão bem ou ainda mais o AC. Não importam os nomes pois isso não faz mais válidas ou menos válidas o que quer que se diga…


Só mais um copy/paste de algo que disse ao Rui:
“Pois é, mas isto dos Forums, como já disse, é tramado, fica tudo registadinho, e não se pode ir apagar...”
O mesmo já não podemos dizer nos blogs pessoais, pois aí quem manda somos nós…




“Está tudo dito, meus senhores. Realmente, com opiniões dessas, não vale a pena discutir.” Mudaria apenas opiniões por imposições…

Share this post


Link to post
Share on other sites

Caro Décio

Apenas alguns esclarecimentos que julgo imporem-se:

"Relativamente à sua opinião sobre o Rui Venda, já não sei nem posso afirmar. Ele continua a ser para mim uma pessoa a ter em conta, até prova em contrário…"

Pensei que o tivesse provado, ao demonstrar que a afirmação dele de não ser possível editar elementos em corte/alçado era totalmente errónea. Não sei que tipo de provas necessita. Talvez o mesmo tipo de provas que o levaram a acreditar que o Rui seria um expert em ArchiCad?

"
Se calhar, em Portugal, o Arq. Miguel para si deve ser o único que o domina: "não há ninguém em Portugal que saiba mais sobre o software VICO do que eu (modestia á parte)" Posso juntar à sua lista o Archicad?"

Não, não pode. Nunca me viu afirmar que sería o único, ou mesmo o mais entendido em ArchiCad. Isso sería um absurdo, porque óbviamente não conheço toda a gente que trabalha com este programa em Portugal, que são para cima de um milhar.

Quanto ao VICO é outra história. Conheço perfeitamente toda a gente que trabalha em Portugal com este programa para além de mim: zero. Por isso, posso afirmar com segurança que, em Portugal, não há ninguém que saiba mais sobre este software do que eu.

"
O Arq. Miguel que todos nós sabemos está envolvido em projectos universitários sobre as novas tecnologias e debate-se com a implementação das novas tecnologias nos processos de trabalho da arquitectura, acha que uma tecnologia que se quer inovadora, informaticamente falando, consegue aguentar os avanços que lhe são exigidos por mais tempo?"

Acho. E o Décio, acha que eu, nessa qualidade que me imputa, terei uma opinião válida sobre o assunto?

"
Pergunto: as suas opiniões valem? É você 1 declarado e assumido especialista? O único?"

Declarado e assumido especialista, sim. Podia dar-lhe aqui o meu curriculo sobre a matéria, mas indico-lhe apenas alguns pontos, para o sossegar: 4 vezes convidado para tutor na ArchiCad University em Nottingham, assitente universitário leccionando o Archicad desde 2004, colaborador regular da Cadproject com artigos específicos sobre o Archicad (truques e dicas). Tudo factos fácilmente verificáveis na interweb, não precisa acreditar na minha palavra.

O único especialista? Não. Nunca disse que o era, foi o Décio que saltou para essa conclusão.

Mas é-me fácil entender que nem o Décio o é (como já o afirmou) nem o Rui o é (como já o comprovei). Como tal, julgo que as vossas opiniões são de leigos na matéria, e não se podem comparar ás minhas senão por acidente.

Confesso que não entendo qual a surpresa que causa esta minha posição. Estou convencido que o Décio não irá dizer ao neuro-cirugião como operar um seu familiar, e depois ficar ofendido se ele achar que a sua opinião não tem o mesmo peso que a dele.







Share this post


Link to post
Share on other sites

Primeiro, copiar é apenas uma de muitas formas de edição. Portanto não é erro afirmar editar. Mas aceito a critica. Tanto alarido porque editar não é copiar. Mas copiar é editar. Enfim... POrtuguês traiçoeiro, e pessoas que procuram nas entrelinhas pontas soltas para puder atacar. É normal quando começam a faltar argumentos... Mas não alimento mais esta discussão. Admito. Não queria dizer editar pretendia dizer copiar (e não não fui ler no manual). Users Archicad só há três: Os expert os iniciados e o Miguel (o supra-sumo-da-vitamina-do-archicad). POis bem. Eu fico-me pelo expert, já que exijo mais do produto que fazer umas paredes e umas lajes. Disse que sabia um pouco mais que um user normal, pois não é normal um user saber GDL, ou tentar utilizar as medições do archicad - entre outras ferramentas que não vale a pena especificar. Mas como queria salientar que não sou guru, nem mestre de archciad como o Miguel, preferi pecar por defeito do que por excesso. O raio do português é tramado.... E como só se lê o que interessa, o que não interessa deixa-se. Adiante... Fiquei desmentido, mas ainda ninguém me provou o desmentido. Ora vejamos... No site e na revista CADProject mostra-se uma forma de fazer encarnados e amarelos, que por acaso até funnciona não fossem pequenos detalhes como demolições parciais, fechos de vãos ou aberturas de vãos, entre outras operações. POis agora complicou... Ah... Não devemos esquecer que estamos a falar de plantas alçados e cortes, e não plantas.... Oh voltou a complicar. Combinações de vegetais, mais combinações de layers, mais combinações do não sei que mais e o resultado, edição 2d no fim. Ah... Já sei qual é o problema... EU. Eu estou a pôr a fasquia alta demais. Esqueci-me disso. Isso não é BIM.... Isso até nem é preciso. Só uma minoria é que faz encarnados e amarelos. Compra-se um ad-on (quando houver) e depois faz-se. Para o produto ficar mais barato e tal.... Lamento discordar, mas infelizmente não dá para fazer de forma automatizada. Como tal as medições que a estes elementos dizem respeito só são possiveis com outro ad-on. Foi-me confirmado e afirmado por revendedores archicad. Enfim... POrmenores, fasquia alta demais, etc... Eu sei que o VICO é composto por vários softwares se assim se pode dizer. Há que ter cuidado com o português e não deixar pontas soltas. Mas de modelação BIM/MEP etc, só temos um e como tal é a este que me refiro. É este que é baseado em Archicad e mantém a mesma dependência do GDL que o archicad e mantém as mesmas limitações em termos de modelação. O que acrescenta... Várias coisas, como a possibilidade de ligação aos outros componentes VICO, a inclusão de ferramentas MEP e Structure, principalmente MEP, que funcionam MUITISSIMO BEM devo dizer. Aliás foi a parte que mais me impressionou (só quero ver é quando não forem os objectos já feitos e forem outros - mas isso são detalhes - até lá há que dar valor ao que de facto tem valor, e estas componentes têm de facto valor), e a inclusão de um sistema de base de dados integrada que permite "quase" (não tenho a certeza) automatizar o processo de caderno de encargos, medições, e o tal 4D/5D onde se faz a gestão do tempo de obra. Não não fui à ungria fazer formação e volto a afirmar que estou a comentar pelo que vi nas demos online. Mas se calhar é preciso ir à Ungria para se puder falar sobre o VICO.... Terei de lá ir. Afinal ainda não consegui encontrar nenhuma mentira no que disse... Mas até de mentiroso já me chamam. Tá certo. POrque troquei alguns termos e como tal ofendi o sr. utilizador de archicad (para utilizador até se ofende com muita facilidade - se calhar também tem alguma coisa a ganhar com isto - eu não - não vendo, não ganho nada, nem tenho comissões por falar do programa A, B ou C - comento com base na experiência que tenho e nos conhecimentos que tenho e nada mais do que isso). Volto a afirmar que apenas vi as opiniões que estão no site/fórum e não sei se os users mudaram ou não de software. O que posso dizer é que há pessoas descontentes. Nunca aqui defendi a Autodesk. Nunca aqui acusei a Graphisoft directamente. Apenas teci comentários aos seus produtos. Da mesma maneira que critico o Archicad, critico o Revit, o Vectorworks ou o Allplan (o que menos conheço de todos). E criticar não é dizer mal. Sei reconhecer as virtudes e os defeitos de cada um e consigo perceber que todos juntos fariam um melhor papel do que separados. Mais uma vez eu só comparo o que é comparável, e há que perceber que neste momento temos muitos BIM - uns evidenciam-se numas coisas outros noutras, mas todos têm potencial, todos apresentam falhas. Por isso o Archciad está cada vez mais a ser criticado pelos próprios users, porque têm com o que comparar, têm com o que exigir. Se a graphisoft os ouve??? É natural que sim. Espero que sim... Essa é a critica que faço à Autodesk que peca por não ouvir os consumidores. O preço e a maturidade e a comunidade em nada têm a ver com a qualidade do produto em si... Nada. E não se confunda maturidade com idade. A microsoft também tem muitos anos de experiência e cada vez mais peca por se ter deixado ultrapassar pela apple, e agora os produtos apresentam mais e mais defeitos e limitações.... Mas comparece apenas o que é comparável....

Share this post


Link to post
Share on other sites

Caro Rui Venda Tudo muito interessante. Continuo à espera que me diga como é que eu posso fazer a prova de: "Prove-me que é possivel garantir um processo completo em archicad sem recurso ao 2d ou ao "desvinculo" de uma vista ao modelo, sem edição 2d de desenhos e garantindo o aspecto gráfico que se pretende. PROVEM-ME" E garanta-me que, caso eu faça essa prova, passará a considerar o Archicad superior aos restantes softwares BIM.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Caro Rui Venda

Tudo muito interessante.

Continuo à espera que me diga como é que eu posso fazer a prova de:

"Prove-me que é possivel garantir um processo completo em archicad sem recurso ao 2d ou ao "desvinculo" de uma vista ao modelo, sem edição 2d de desenhos e garantindo o aspecto gráfico que se pretende. PROVEM-ME"

E garanta-me que, caso eu faça essa prova, passará a considerar o Archicad superior aos restantes softwares BIM.


Muito bem... Aceito o desafio... No dia em que se fizer um projecto que contemple todas as fazes de projecto incluindo encarnados e amarelos sem qualquer edição ou adição 2d (linhas tramas etc - excepção claro aos pormenores, mas esses não são necessários - todos os fazem da mesma meneira) ou desvinculo do modelo, garantindo todo o grafismo sem workarounds, sem GDl's e ad-ons em Archicad lado a lado com o Revit e porque não o Allplan (não pela minha parte pois não o domino o suficiente para tal - alguém que se voluntarie para tal) igualmente sem ad-ons e/ou workarounds e depois comparam-se os resultados.

Atenção que não estou a dizer que o archicad não tem qualidades. O que quero dizer é que temos de comparar o que é comparável e colocar as várias opções lado a lado para que se avaliem devidamente os prós e contras de cada um. Eu próprio já fiz um mesmo projecto em archicad e revit, para que de forma mais ou menos imparcial pudesse avaliar os prós e contras de cada um deles. Os resultados foram indicados neste mesmo fórum num tópico há já algum tempo. Mas como eu não me posso considerar mestre, vamos ver o que o mestre nos mostra. Eu ao contrário de muita gente sei reconhecer quando não tenho razão... Por isso é só demonstrar...

E já agora outra coisa. Se escreve artigos para a cadproject e tem artigos com truques e dicas na net é bom que lá coloque também as conclusões a que chegou quando este comparativo chegue ao fim. E por falar nisso, não vão as pessoas ficarem desiludidas com os seus artigos, se as plantas de encarnados e amarelos se fazem de outra forma que não a demonstrada nos seus artigos, acho ridiculo ter mencionado estas formas de trabalho. Reforço a ideia de que as soluções apresentadas não resolvem, mas quem sou eu...

O tal da fasquia demasiado elevada.... Em anexo um exemplo do que seria uma planta e corte de encarnados e amarelos sem restrições, sem confusões, sem combinações, sem workarounds, feita em 5 minutos (=tempo de modelação) sem preocupações (´so a titulo exemplificativo e nada mais). Para que não me acusem de falar muito e de mostrar pouco ou nada....

Fasquia alta??? Talvez... Mas se já há quem faça, porque não utilizar????

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.