Jump to content
Arquitectura.pt


JVS

A Critica.. o que eh entao Critica?

Recommended Posts

Ah, de facto interpretei mal a tua resposta. Sim, é inegável que o Movimento Moderno vem acompanhado de uma forte responsabilidade social, e isso ficou bem patente no Congresso de 48, aqui entre nós. Mas, ao lermos o capítulo adicional relativo ao Movimento Moderno em Portugal, que vem na História da Arquitectura Moderna de Bruno Zevi, escrito por Nuno Portas, ficamos com a impressão de que essa crença no potencial transformador social da arquitectura falhou: a opinião deste autor, e que eu compartilho, parece-me ser a de que a arquitectura não condiciona comportamentos sociais, mas antes encontra-se mais ou menos DISPONÍVEL a determinada utilização, ou não, e o que pode ser bom para uns falha com outros tipos de utilizadores. De qualquer forma parece-me que hoje estamos a voltar à tendencia elitista, não sei qual a tua opinião

Share this post


Link to post
Share on other sites

Depois desta saudável troca de impressões, a resposta directa: A crítica consiste em submeter uma obra a uma análise e tecer um veredicto. Implica que haja uma estrutura de avaliação, que hajam critérios ordenados, e que tenhamos um "leque" de casos com os quais comparar e interpretar a obra em questão, desde o "ideal" ao banal. Se fizermos muitas análises a muitíssimas obras, procurando demonstrar determinados aspectos da arte de edificar, estaremos a contruir teoria. A teoria valida, desta forma, os critérios e as posições tomadas - confirma que tem alta probabilidade de serem verdadeiros, ou que se aproximam mais ou menos da verdade. Como é que se passa da teoria à prática, não sei porque ao fazer um risco fazemos sempre muito mais do que apenas aquilo a que nos estavamos a propor.

Share this post


Link to post
Share on other sites

asimplemind....era suposto teres uma ideia tua e teres um pressuposto do que é a arquitectura relativamente ao que vens apreendido ao longo dos anos. Acho desnecessário tares a suportar o teu discurso com afirmações que toda a gente já leu e releu vezes sem conta e de nao te abstraires da influência que um professor (Pedro Vieira de Almeida) teve na tua aprendizagem. É bom poder ter referências...mas é mau quando se tem essas referências consideradas como dados absolutos e dogmáticos. Preferia saber a tua opinião pessoal relativamente ao tópico sem k entrasses em grandes discursos que nao levam a nada... Cumprimentos

Share this post


Link to post
Share on other sites

(Arq) Miguel Ribeiro: já reparaste que nenhum de nós tem um discurso original? Nem tu o irás ter... Nem mesmo o Arq. Pedro Vieira de Almeida. Por outro lado fico contente de ter havido uma pequena discussão entre dois utilizadores do fórum baseada em noções teóricas (coisa rara aqui), por outro fico extremamente decepcionado por não haver mais ninguém que queira dar seguimento à discussão, de contestar o que foi dito etc... Tu mesmo no teu post nem sequer te deste ao trabalho de entrares minimamente no assunto. Se tens as tuas ideias aqui é o local para as expores. Caso contrário porque me dizes que queres ouvir a minha opinião pessoal se tudo o que disse aqui são coisas que defendo? E se estes "discursos" não levam a nada então esperarei um discurso de alguém que entenda levar isto mais à frente (por que não tu?). p.s. Se te auto-denominas "Arq." deverias pelo menos ter um discurso que se justificasse nesse contexto..

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.