Jump to content
Arquitectura.pt


JVS

Piodao | Edificio Multifuncional | Eduardo Mascarenhas de Lemos

Recommended Posts

Imagem colocada

Esta fotografia foi descoberta e retirada daqui de autoria de Helena

Coloco esta imagem por revelar um edificio em construcao. Como podem verificar eh um edificio diferente em relacao ah envolvente.

Imagem colocada

Nota-se que eh um edificio desenhado por arquitecto. Espanta-me que numa aldeia tao tradicional e tao orgulhosa tenha deixado isto acontecer. Como eh que um arquitecto se atreve e tem a ousadia de fazer algo diferente em relacao ah envolvente? Eh espantoso.

Depois duma pesquisa descobri mais estas foto e um artigo sobre esta construcao.

http-~~-//img515.imageshack.us/img515/6003/imagem06610b6fceub8.jpg

Estalou a polémica na Aldeia Histórica do Piódão. Este edifício ao centro foi construído há pouco tempo e é um café que por estes dias trabalhava e bem a servir os turistas que por lá passavam. Na última Assembleia Municipal estalou o verniz. Os mais radicais até querem que se destrua o edifício, mas a bem da verdade, parece mais uma guerra pelo comércio local do que um atentado ao património.
Até porque a nova construção foi aprovada por todas as autoridades competentes e pelo insuspeito IPPAR. O que interessa é que, sem se estragar muito a paisagem (as casas brancas ficam bem pior na fotografia) o Piódão tem agora um estabelecimento digno e moderno, que complementa capazmente o serviço prestado pela Pousada aos muitos turistas que a visitam.


in Arganil

Os comentarios:

Anónimo said... Um nojo!
Estou como alguém que um dia perguntava sobre os nossos governantes. "É isto que as nossas universidades estão a deitar cá para fora?"
Quando não havia por aí, arquitectos parece que andava tudo mais equilibrado.

A última pérola é a Caixa de Crédito de Oliveira do Hospital!


Anónimo said... Andámos nós a pagar obras para o Piódão ficar bonito e vai daí um, faz um mamarracho.
Aliás houve um mamarracho que era para ser um estabelecimento hoteleiro que foi deitado abaixo -onde está o museu. Nessa altura o bem servir os turistas foi às urtigas, ou dito de outro modo, o dono ou não era do grupo, ou não pagou o que queriam. Este pelos vistos, está bem visto...
Quanto ao IPPAR ninguém entende as suas posições: se a Câmara é da cor tudo bem, senão pode estar tudo legal, que não há deferimento; se o interessado pagou, ou é membro do clube está bem, senão não há.

Lembram-se que o Sr. Socrates tem uma casa clandestina (sem aprovação da Câmara), num parque natural (sem autorização do parque, que legalmente não a podia dar -a zona é proibidissima)?

O que é o Piódão comparado com a única zona de floresta maquis de Portgal? E se fizeram na Arrábida porque não no Piòdão?





Parece que trouxe muita polemica na terra deles.

Share this post


Link to post
Share on other sites

que comentario... sinceramente...

Anónimo said... Um nojo!
Estou como alguém que um dia perguntava sobre os nossos governantes. "É isto que as nossas universidades estão a deitar cá para fora?"
Quando não havia por aí, arquitectos parece que andava tudo mais equilibrado.


Esta gente é burra ou faz-se? gostava de saber se este sujeito sabe por acaso quando surgiram as primeiras obras de arquitectura....

E a avaliar pelas imagens parece-me uma intervenção bastante contida e que até parece ter interesse, ao contrário daquele casario estilo "maison" mais acima que ninguém se atreve sequer a abrir a boca!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nao me parece que o edificio seja muito contido. Pelas poucas imagens que estao disponiveis na Internet, h um edificio que parece revelar qualidade arquitectonica. Tem um embasamento semelhante ah envolvente. Tem elementos brancos, estrutura metalica e revestimento de madeira (?) que tem relacao com a envolvente. Nota-se que a igreja eh branca. E aquele tom mais vivo talvez das telhas. E penso que nao seja contido pelo facto de ter aquela atitude tipica dos arquitectos de se revelar perante o mundo. Tem uma atitude exibicionista. O arquitecto teve que se exibir atraves daquela obra. Foi buscar a relacao nas paredes de pedra tipicas da aldeia para nao ser crucificado vivo. foi buscar o elemento branco porque a Igreja eh branca, o tom castanho a uns poucos telhados de ceramica, a cor da estrutura tem uma relacao com os telhados de xisto e provavelmente a forma barroca do edificio tem a ver com as vistas e com a morfologia do terreno. Tudo isto levou as entidades a aprovar o edificio e a considera-lo uma mais valia para uma aldeia que precisa de turismo. E no final verificamos que este edificio eh um cafe com esplanada para os turistas. Uau!!! E coloquei este topico sobre este edificio com os comentarios ingenuos do povo para demonstrar esta atitude exibicionista do arquitecto. O arquitecto quis fazer um edificio que fosse visivel para todos. Para quem olha para as fotografias desta aldeia, para quem visita a aldeia, para quem vive na aldeia, etc. Os populares perceberam e nao gostaram. Uma parte nao gostou. E a outra gostou porque finalmente apareceu uma obra diferente daquele estilo da casinha tradicional do Piodao. E eh por estas e por outras que o arquitecto fica com a reputacao que tem. O arquitecto apesar de todas as limitacoes que existem, faz o que bem lhe entende. E fez o que fez no Piodao. O que ele fez aqui foi tudo menos contido. Para mim contido podia ser um exterior todo de pedra e um interior completamente diferente. Contido podia ser a obra em xisto e ter pequenos toques de um outro material no exterior e no interior tinha outra maneira de criar o espaco. O que o arquitecto fez e nota-se bem como se nota em muitas obras desenhadas por arquitectos foi pegar em todos os elementos existentes daquela aldeia e criar uma mistura e resultou naquilo. Foi uma atitude inteligente para nao ser chumbado na camara, porem os tais "burros" nao cairam no conto do vigario. E leio colegas aqui do forum a ficar muito chocados com o que dizem dos arquitectos... nao conseguem aceitar uma pequena critica de quem nao eh arquitecto... nao tem capacidade de perceber o que os nao-arquitectos dizem porque vem instruidos de que os arquitectos sao superiores aos outros e os outros precisam de ser instruidos pelos arquitectos... Um exemplo de arquitectura contida como refere Asimplemind... a Casa das Mudas. Isso sim eh contido. Isto nao. E a Casa das Mudas eh um Museu e isto eh um cafe.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Realmente não se consegue ver muito, mas sendo uma aldeia histórica, na minha opinião a intervenção devia ser mais cuidada... Mas há uma coisa que pouco se fala nestes casos, que quando "nos" interessa, é razão para apelarmos a ela, mas quando não interessa, é um pouco esquecida... A verdade é que poucos são os clientes que dão carta branca ao arquitecto (na minha opinão ainda bem), e os projectos só têm a ganhar com isso... Especulando um pouco, o dono de obra, sendo um café, podia muito bem querer algo que se destacasse... o arquitecto não é o único responsável, assim como o dono de obra também não o é... responsáveis são os dois por fazerem algo que parece uma colagem de imagens da aldeia, mas que no resultado final acaba por ser algo completamente diferente e afastado daquela realidade... Temos o exemplo do Abocanhado, em Bufre, Terras de Bouro, o conhecido restaurante... até se pode dizer que é uma atitude semelhante, mas na minha opinião não o é, porque afasta-se da aldeia e recata-se num recanto do terreno, concerteza à vista de todo o vale, mas numa situação diferente... nunca no meio da aldeia...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não vos parece mais preocupante que estejam a 'esventrar' a encosta um pouco mais acima? E aquelas novas moradias que surgem nas franjas da vila? A essas ninguém dá importância... :)

Share this post


Link to post
Share on other sites
A estrategia de colagem de diferentes “peles” características desta aldeia e o seu desenvolvimento segundo operações de composição contemporâneas parece-me correcto, penso que os edifícios novos construídos em cascos históricos não devem esconder a sua origem contemporânea. No entanto este edifício, apesar de assumir uma estrategia correcta, resulta num elemento demasiado fragmentado para o tipo de volumes da aldeia devido ao próprio volume e a utilização no mesmo edifício de diferentes “peles”, isto, juntamente com a introdução de novos elementos como a pintura vermelha em volumes puros, torna este edifício um factor de concorrência que se pode considerar perigosa com a igreja, que, pela sua natureza deveria dominar a visão desta aldeia para uma boa leitura da aldeia, julgo que deveria ser o único edifício branco desta, sendo que mais nenhum outro edifício deveria ser pintado parcial ou completamente de branco.
No entanto entendo que a fragmentação é um valor(?) contemporâneo que muitos arquitectos procuram e que ajuda a afirmar o próprio caracter deste edifício. A concorrência que faz com a igreja e a sua localização na aldeia assim como os diferente elementos introduzidos também se pode justificar, pois, trata-se de um edifício de caracter “público” que merece sobressair mais que o resto dos edifícios de habitação. Não era o edifício que eu gostaria para a zona mas também não se pode dizer no meu entender que não é um bom edifício e eu já o rejeitei muito mais do que agora, posso garantir que está muito melhor que o hotel com “traça ribatejana” pintado de amarelo numa aldeia histórica e granítica em pleno parque peneda-geres(!), como já tenho visto.
Já agora não dava para colocar no fórum um “corrector” de erros ortográficos? :)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sem querer discutir a qualidade da obra, eu acho q os arquitectos não têm problema nenhum com críticas por parte de não eruditos, mas a verdade é que há muita gente a precisar de doses de educação e de aprender a ver. Outra coisa é o termo "aldeia histórica". Se é histórica não é por ter parado no tempo e se ter conservado desde a sua fundação, é por ter evoluído e perdurado, mudando, evoluindo até ao ponto em que está. Se a cristalizamos agora estamos a gozar com toda essa noção! É que parece que o facto de ser um café (conceito que surge no e a partir do meio urbano, onde a burguesia ia beber cerveja e comer gelados) a surgir na aldeia não vos chateia nada...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vendo isso que mostras Peter, a intervenção tem realmente alguns pormenores que parecem querer rivalizar com o resto da aldeia... e aquela casa ali ao lado, branca, apesar dos seus telhadinhos, tem tanto impacto como este projecto... Sinceramente não conheço a aldeia, pelo menos além das fotografias turísticas, e não conheço as intervenções que têm vindo a ser feitas... Re-observando agora as imagens, se não se tivesse usado o branco e o vermelho naquelas condições específicas, talvez o resultado fosse mais consensual e quiçá conseguido...

Share this post


Link to post
Share on other sites

é em meu entender mais um caso de virtuosismo de desenho e intervenção formal muito na moda, mas sem aquele sentido analítico e singelo que a envolvente merecia, enfim falando mais terra a terra, não conseguiram ser simples.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Acho que esta bonito, apesar das poucas informações. Depois, como já foi falado, o que estraga realmente o aspecto da aldeia, são aquelas casas brancas... Mas, acho que o arquitecto deveria pelo o menos fazer uma maior ligação ao histórico. Eu não pintaria aquela fachada de branco, mas sim implementava as pedras características da zona na decoração da parede. --- Acho que as aldeias históricas deveriam ter maior inovação, hoje é possível construir algo moderno que se enquadre bastante bem no aspecto histórico do local. Exemplo disso são varias Pousadas de Portugal e Hotéis Turísticos em locais rurais. Uma arquitectura moderna, mas com uma decoração exterior tradicional. --- Neste caso tenho de dar os parabéns, apesar do pormenor que referi em cima, ao mentor deste projecto.-

Share this post


Link to post
Share on other sites
Aqui fica o link da noticia. Procurem mais abaixo um pouco na pagina.

http://sic.sapo.pt/online/noticias/sic+tv/nos+por+ca/nosporca_pantanoaporta.htm[/quote]






"Isto foi um projecto feito por um arquitecto de grande valor e isto depois de passar pelo IPPAR... pelo turismo, está tudo autorizado com licença e tudo para que… vieram passar as vistorias, para que se enquadrasse tudo dentro da povoação..."


António Lopes dos Santos
Proprietário do restaurante


"Eu não estive no local .... o contraste que agora existe no fundo é o contraste entre uma intervenção nova e uma envolvente que já tem a 'patine' do tempo. ...todo esse contraste vai ser atenuado com o decorrer do tempo e futuramente ficará perfeitamente integrado dentro do conjunto classificado. E recorre a materiais tradicionais como seja o xisto, a madeira, o reboco, portanto parece-me perfeitamente apropriado."
José Maria Henriques
Director Regional de Coimbra do IPPAR


"Eu acho que é uma modernice que está ali a mais para aquilo que se queria preservar do Piódão porque antigamente andou-se a patrocinar o retirar dos rebocos nas casas que estavam a branco e a tirar a telha vermelha e a pôr lousas portanto escuras e neste momento parece que os projectos estão a enveredar por um caminho oposto, não é?"
José Lopes
Presidente da Junta Piódão


http-~~-//sic.sapo.pt/NR/rdonlyres/3E423C24-6357-4EA7-AB82-59E5BBE5824B/129627/restaurante.jpg


in SIC

Share this post


Link to post
Share on other sites

é mais do que normal o "tuga" reclamar por reclamar... e depois de estranhar...entranha! é perfeitamente detectável várias casas brancas e várias com telha...e não vejo ninguém fazer referência a isso :tired:


Se vires os videos aqui percebes que existe um plano para acabar com elas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Acho que esta bonito, apesar das poucas informações.
Mas, acho que o arquitecto deveria pelo o menos fazer uma maior ligação ao histórico. Eu não pintaria aquela fachada de branco, mas sim implementava as pedras características da zona na decoração da parede.


E o que pretendias comunicar com isso? Torna-se um pouco absurdo falar em materiais regionais e enquadramento formal uma vez que a aldeia foi feita naquela pedra não por ela ser da região. Foi por ser da região e não haver mais nenhuma, era o que havia. Se houvesse betão ou perfis metálicos, acredita que os tinham usado. Estar agora a a usar pedra só porque os outros também usaram...Eles fizeram o melhor que podiam, por isso é que há interesse na aldeia, assim como nós devemos fazer o melhor que conseguirmos com o material que temos actualmente.

Share this post


Link to post
Share on other sites

zero... Sim tudo bem. Mas qual é o problema em utilizando alguns materiais já utilizados, mesmo em outras épocas, e fazer coisas modernas e inovadores? Se faz parte de uma região certo tipo de construção, ou elemento decorativo, porque não construir algo moderno mas com alguns toques tradicionais? Acho que nessas situações ate fica esteticamente bonito. Por exemplo em Lisboa, existem certas ruas, que tem todas as construções com uma linha mais típica, e num "dia para o outro" aparece no meio daquilo o edifico 100% moderno. A meu ver, acaba por ficar esteticamente fora do contexto, ficando mal... Hoje em dia com a tecnologia, também é possível adaptar o típico com o moderno, e normalmente acaba por ficar esteticamente muito bonito. Gosto de arquitectura inovadora e moderna, mas pode-se fazer este a 100% este tipo de arquitectura nos locais onde ela ira ficar "100%" bem... Vendo agora as últimas imagens, acho que já esta bem assim, pois o arquitecto usou esse tipo de construção na parte de baixo do branco. Esta melhor...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Esses são bons casos, sim senhor... Este caso em concreto, também esta bem! Simplesmente disse o que fazia caso eu o tive-se projectado. Mantinha tudo como esta simplesmente trocava a parte branca pelas pedras.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E o que pretendias comunicar com isso? Torna-se um pouco absurdo falar em materiais regionais e enquadramento formal uma vez que a aldeia foi feita naquela pedra não por ela ser da região. Foi por ser da região e não haver mais nenhuma, era o que havia. Se houvesse betão ou perfis metálicos, acredita que os tinham usado. Estar agora a a usar pedra só porque os outros também usaram...Eles fizeram o melhor que podiam, por isso é que há interesse na aldeia, assim como nós devemos fazer o melhor que conseguirmos com o material que temos actualmente.


Sinceramente... com essa linha de pensamento o Algarve estah como estah.

Mas vejamos exemplos de cidades ou aldeias "historicas".

http-~~-//www.photoseek.com/greece/01GRE-09-05-Fira,Santorini.jpg

http-~~-//www.olsztyn.mm.pl/~grzegorzg/gory/Moonrise%20Over%20Santorini,%20Greece~1.jpg

Santorini

http-~~-//www.fullposter.com/poster/107/images/firenze20013.jpg

Florenca

http-~~-//www.piaggiarella.it/img/din_siena.gif

http-~~-//www.dcs.warwick.ac.uk/~doron/siena.jpg

Siena

http-~~-//acultura.no.sapo.pt/piodao01.jpg

Piodao antes da obra

http-~~-//cap.do.sapo.pt/prima/Piodao0.jpg

Piodao com o cafe ainda em construcao

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.