Jump to content
Arquitectura.pt


Recommended Posts

http-~~-//qwe.blog.simplesnet.pt/archive/sokedih.PT_170.JPG
http://qwe.blog.simplesnet.pt/archive/sokedih.PT_170.JPG

Antes a Arquitectura era obviamente simbolica.

http-~~-//acultura.no.sapo.pt/PavilhaoPortugal.jpg
'>

Hoje o simbolismo existe mas nao eh tao obvio como se pensa.

http-~~-//www.geocities.com/uttamkumar44/judithbeheading_caravaggio.jpg
http://www.geocities.com/uttamkumar44/judithbeheading_caravaggio.jpg

Antes a Arte era expressa por uma linguagem compreensivel e obvia.

http-~~-//www.pa.msu.edu/courses/2006summer/ISP213H/art/ModernImages/abstractionists/ROTHKO03.JPG
http://www.pa.msu.edu/courses/2006summer/ISP213H/art/ModernImages/abstractionists/ROTHKO03.JPG

Hoje eh uma linguagem incompreensivel focada somente no artista...

http-~~-//www.tate.org.uk/collection/T/T05/T05534_9.jpg
http://www.tate.org.uk/collection/T/T05/T05534_9.jpg

Ou... a ausencia de linguagem... leva o espectador a imaginar o tipo de linguagem do artista... um tipo de linguagem influenciado pela leitura do obvio por parte de quem le...


[ame="http://www.youtube.com/watch?v=YXG83p2nkHw"]YouTube - Hey Jude[/ame]

Antes a musica aceite pelos intelectuais era obvia... e compreensivel.


[ame="http://www.youtube.com/watch?v=Krhl2o_uwdc"]YouTube - BEAUTIFUL LIAR, BEYONCE Y SHAKIRA[/ame]

Agora existe um pouco de tudo na Musica mas se repararmos na musica mais pop, os novos reis da musica sao vazios de simbolismo... sao como edificios rectagulares em branco com vazios muito acentuados com paredes cobertas de mulheres nuas...

Antigamente na India ainda tinham paciencia de de esculpir o kamasutra nas paredes dos templos e dos palacios... hoje ...


[ame="http://www.youtube.com/watch?v=pvrDM3CFBIw"]YouTube - P.Diddy -Last Night[/ame]

... se repararem neste videoclip a moradia que por acaso tem uma formalidade pbastante curiosa tem as paredes completamente brancas e com uma grande foto que daqui a uns tempos desaparece...

Resumindo e concluindo... imaginem o que aconteceria se daqui a mil anos os arqueologos fossem desenterrar a moradia deste senhor... que conclusoes teriam?

Que na nossa epoca era uma civiliacao muito ascetica, simples e humilde que apesar de construirem grandes moradias era uma civilizacao que nao davam grande valor a memoria pois nao perduravamna atraves de obras de arte como existe em Roma ou nos seculos anteriores.

A Civilizacao Ocidental no dia em que sofrer uma Cataclismo tal como aconteceu em Atlantida com terramotos, vulcoes, incendios, desaparece de vez sem deixar rasto... ela propria se auto-destruiu... os videos, os livros, desaparecem deixando algumas obras de arte incompreensiveis, edificios de paredes brancas e grandes vaos, edificios altos de estrutura de ferro e betao...

http-~~-//www.flholocaustmuseum.org/history_wing/assets/room2/bauhaus02.jpg
http://www.flholocaustmuseum.org/history_wing/assets/room2/bauhaus02.jpg

O que vai ser este edificios aos olhos dum arqueologo dentro de 500 anos?

http-~~-//www.sacred-destinations.com/mexico/images/teotihuacan/pyramid-sun-cc-suviko.jpg
http://www.sacred-destinations.com/mexico/images/teotihuacan/pyramid-sun-cc-suviko.jpg

Para que serviu esta piramide?

http-~~-//www.latinamericanstudies.org/nazca/nazca-lines1.gif
'>

Porque razao fizeram desenhos tao grandes em Nazca?

http-~~-//fightclub.blogsome.com/images/NewYorkJan20051.jpg
http://fightclub.blogsome.com/images/NewYorkJan20051.jpg

Qual sera o final desta cidade? O completo desaparecimento como Babilonia ou ficara em ruinas como Roma. Ou como Chichen Itza?

Share this post


Link to post
Share on other sites

olá! adorei este topico! bom ponto de vista! eu propria reparei, em historia de arte, que quando era para analisar edificios antigos, havia sempre muita coisa a dizer mas quando era para analisar edificios como Bauhaus, a análise resumia-se a muito poucas linhas...

Share this post


Link to post
Share on other sites
gostei bastante do teu ponto de vista ao longo da tua reflexão. todavia é importante assinalar a importancia da evolução, seja ela simbolica ou material (neste caso das habitações).
dantes a arquitectura tentava responder a uma serie de factores que iam muito mais alem do que o homem poderia alcançar. Deus, diabo, céu e inferno, estavam mais proximos do homem, bem como o incompreensivel. a arquitectura era entao, um meio de responder a questoes desta vertente ou um meio de chegar até eles, mesmo que isso nao significasse uma resposta directa. carregado de simbolismo e principalmente didatica, era essa a arquitectura que tinhamos até à mudança do mundo, assim como tudo aquilo que o homem faz. deixa de haver uma preocupação com o superior, com o individuo inalcançavel, mas sim com o Homem, com a vida profana, com a vida terrestre, luxo por um lado, pobreza por outro...o que é certo é que o Homem deixa de ter um "fim" para as suas obras em comum, mas o seu "fim" passa a ser indivudual: representações de luxuria, de festa, de pobreza, de anarquia, tudo é valido...tudo passa a ser arte...

tambem isso acontece na musica...se dantes era feita para pedir aos deuses por chuva (por exemplo), nos primordios, ou para sacrificios, ou para rituais de acasalamento (como ainda hoje acontece) com o avançar dos tempos ela passa a ser "mais futil" na medida em que o simbolismo por detras deixa de ser o mais importante.
somos uma sociedade do "fast and easy". do consumo rapido e insatisfeito...queremos mais e melhor, e exigimos isso em tudo!
estamos na era materialista..nao espiritual. na era em que é mais facil apreciar um corpo moreno e nu enquanto este dança, do que as estatuas da ilha da pascoa (por exemplo). queremos o facil, o que os olhos podem comer, sem chatear a cabeça...e isso reflecte-se em tudo, desde a arquitectura, pintura....musica...
a nivel de urbanismo a palavra de ordem é construir! construir, construir...dar resposta a est6a sociedade da rapidez, seja ela de consumo ou vivencias...isso nao importa

cabe-nos a nos (mas nao só) enquanto arquitectos de um futuro que é "já ali" repensar na nossa atitude enquanto humanidade.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Gostei bastante do tópico mas tenho de fazer um pequeno reparo: A nossa sociedade hoje não guarda as memórias em pedra, em grandes monumentos e obras de fácil leitura... Mas faz algo que os japoneses ja faziam há milénios: destruir para reconstruir. Não sou perito no assunto mas tenho conhecimento que os japoneses projectavam os seus templos para durar pouco tempo, podendo depois construir outro templo no mesmo local, por vezes sem alterações. Isto baseia-se na mentalidade da renovação como meio de manter um objectivo na vida e procurar sempre melhorar. É certo que nós temos uma noção mais comercial deste fenómeno mas realmente temos de aceitar que a efemeridade de todas as coisas nos tempos que correm apenas contribui para a nossa evolução e talvez não haja tanto vazio nisso como nos aparenta á primeira vista... Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades...

Share this post


Link to post
Share on other sites

olá!
adorei este topico!
bom ponto de vista!
eu propria reparei, em historia de arte, que quando era para analisar edificios antigos, havia sempre muita coisa a dizer mas quando era para analisar edificios como Bauhaus, a análise resumia-se a muito poucas linhas...

Isso também se deve ao facto de os edifícios antigos terem grande atenção ao pormenor e á decoração... Nos manuais vem as inflências, as temáticas, as várias partes do edifício (frisos, frontões, ordens de colunas, rosáceas, tímpanos e dezenas de outros). A partir do inicio do século XX as obras tornaram-se mais simples (em termos de ornamento) e como tal não há tanto de material para desenvolver. O tempo de concepção também é mais curto, o que não implica que não se possa dizer muito acerca do projecto.

Share this post


Link to post
Share on other sites

acho que essas duvidas já passaram pela cabeça de muitos, e não sei se é tanto para perceber o presente, ou tentar adivinhar o futuro, por uma experiencia que tive recentemente diria que não podes te esquecer do papel da sociedade e do modo de vida, que levou a essa alteração da arte, é quase um processo darwinniano, onde mais do que perceber pk k a arte mudou é preciso perceber porque que as pessoas mudaram. Acredito que a tecnologia, e a liberdade têm uma participação importante, outra é tentar perceber quem defenine o belo, e o que é verdadeiramente arte. O facto de estar acessivel a um maior numero de pessoas e de haver uma obcessão, que eu partilho, por procurar coisas novas. Ainda na semana passada fiquei 20 minutos em frente a uma igreja a pensar no poder da arquitectura, nas sensações que transmite,o facto de nos sentirmos pequenos e maravilhados pelos monumentos, e ficar a duvida do que se perdeu e ganhou com estas alterações. Como posso gostar de casas minimalistas e de palacios vitorianos? de sentir charme e sedução nesses espaços e no entanto defender planos rebocados a branco.... Também tenho essas duvidas...

Share this post


Link to post
Share on other sites

http://www-cdr.stanford.edu/~wgriffin/photoAlbums/EuropeTrip_10_02/Barcelona%20Spain/images/019%20-%20Sagrada%20Familia%20-%20Gaudi%20side.jpg http://miragestudio7.com/blog/images_architecture/frank_gehry_star_wood_hotel_3.jpg Será assim tão simplista ou com falta de simbolismo quanto dizem? E a nossa 'Arquitectura ornamentada' que tanto é descriminada? :p

Share this post


Link to post
Share on other sites
não é discriminação..mas como sabes, cada vez mais a arquitectura quer-se simplsta e minimalista, salvo raras excepções que, perante elas, os nossos olhos e cabeça já tao habituados "às coisas simples" perguntam. "mas que diabo é isto??"
alguns gostam, outros nem por isso....é impossivel chegar a um consenso dos 8 aos 80 sobre a arquitectura de hoje...há quem aplique, inclusive, o termo: "antigamente é que era"

uma coisa é irrefutavel, antigamente a arquitectura era apreciada por todos. fosse pelo seu sentido didatico, pelo seu dentido ornamental ou até pelo seu sentido de uso (vejamos o caso neoclassico no porto por exemplo) hoje em dia so os entendidos (estudantes, profissionais) é que sabem avaliar (melhor ou pior) uma obra de arquitectura. todos os outros vao pelo bonito, pelo confortavel....ou seja, por aquilo que é perceptivel logo à primeira vista diante dos nossos olhos..
se a minha avó ou mae vissem essa imagem que mostraste (a 2ª) diriam "mas que grande salganhada!é horrivel!"
não podemos, a meu ver, discutir so arquitectura com os nossos olhos...é necessario e imprescindivel faze-lo tambem com "os outros olhos", os olhos que nao são treinados, que nao sao educados..afinal é para esses olhos que vamos um dia mais tarde fazer arquitectura.
:p

Share this post


Link to post
Share on other sites

...é necessario e imprescindivel faze-lo tambem com "os outros olhos", os olhos que nao são treinados, que nao sao educados..afinal é para esses olhos que vamos um dia mais tarde fazer arquitectura.



Tenho lido comentários teus anteriores.

Lá está a diferença entre o OLHAR e o OBSERVAR, com os tais "outros olhos".

Por outro lado, e para ser muito directa, falta a sensibilização das pessoas, a educação de gostos...

Para reflectir um pouco... o que pensam as "nossas gentes"

http-~~-//www.agenciaaids.com.br/news_imagens/Idosos.jpg


...das "novas modernices" ?

Onde está a "igreja da terra"?
Com as torres sineiras de pedra ? ( tão caracteristicas no norte de portugal - granito )

http-~~-//www.glosk.com/photos/PO/78/-3002778/40549_b.jpg

Para nós, reconhecer o valor simbólico tido em conta nestas novas interpretações, como é o caso da Igreja de Marco de Canaveses mas,

...onde estão esses valores simbólicos que TODOS identificam de imediato ?


"arquitectura para arquitectos" dizem. :p

Share this post


Link to post
Share on other sites

"Que na nossa epoca era uma civiliacao muito ascetica, simples e humilde que apesar de construirem grandes moradias era uma civilizacao que nao davam grande valor a memoria pois nao perduravamna atraves de obras de arte como existe em Roma ou nos seculos anteriores." a nossa sociedade no geral não dá muita importancia às memórias, o efémero e o excesso de informação não deixam tempo para recordarmos as experiencias passadas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Relativamente a essa questão do património e memórial social aconselho os livros "A política do património" e "Como as sociedades recordam", de Marc Guillaume e Paul Connerton respectivamente. Fiz há pouco um trabalho para a cadeira de Antropologia sobre esses conceitos e confesso que gostei dos livros.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tenho lido comentários teus anteriores.

Lá está a diferença entre o OLHAR e o OBSERVAR, com os tais "outros olhos".

Por outro lado, e para ser muito directa, falta a sensibilização das pessoas, a educação de gostos...

Para reflectir um pouco... o que pensam as "nossas gentes"

http://www.agenciaaids.com.br/news_imagens/Idosos.jpg


...das "novas modernices" ?

Onde está a "igreja da terra"?
Com as torres sineiras de pedra ? ( tão caracteristicas no norte de portugal - granito )

http://www.glosk.com/photos/PO/78/-3002778/40549_b.jpg

Para nós, reconhecer o valor simbólico tido em conta nestas novas interpretações, como é o caso da Igreja de Marco de Canaveses mas,

...onde estão esses valores simbólicos que TODOS identificam de imediato ?


"arquitectura para arquitectos" dizem. :p

esse exemplo não é muito bom, porque no geral, "as gentes" de Marco de Canavezes até estão muito satisfeitos com a igreja e reconhecem o simbolismo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

esse exemplo não é muito bom, porque no geral, "as gentes" de Marco de Canavezes até estão muito satisfeitos com a igreja e reconhecem o simbolismo.


Penso que a ideia geral que pretendi transmitir não foi compreendida.
Não era para focalizar assim nenhum exemplo em particular, até porque aprecio a obra.

Na verdade, não me admira o facto de estarem "muito satisfeitos" afinal é como a localidade de Rãs, passaram a "ficar no mapa". Ao que associamos Marco de Canavezes à Igreja do Siza. ( penso )

"Reconhecem o simbolismo ! "
Algo que na terra é reconhecido e acarinhado pelos curiosos e demais .

Continuo ceptica relativamente ao que dizes :p

Obrigada pela oportunidade de discussão sobre o assunto :p

Share this post


Link to post
Share on other sites

"Reconhecem o simbolismo ! "
Algo que na terra é reconhecido e acarinhado pelos curiosos e demais .


O que poderá acontecer é os habitantes reconhecerem a importância da igreja a nível de "por Marco no mapa", o que não quer dizer que a apreciem tanto como às tais igrejas de granito etc etc - penso que não deve haver aquela espécie de nostalgia que as pessoas idosas (e não só) sentem pelas igrejas ditas tradicionais.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá. Nao posso dizer que nao aprecio a arquitectura moderna. Assim como já alguém disse, transmite-me um grande valor efémero... Não só a arquitectura, mas principalmente a musica que consegue, por vezes, ultrapassar o limite do ridiculo, na medida em que o talento pouco ou nada interessa... a sociedade moderna valoriza muito mais a visão do que o sentimento. Os videoclips com mais mulheres bonitas, com cores mais chamativas, etc, são sempre aqueles que cativam mais as pessoas. Parece-me a mim que o conceito de belo está prestes a mudar... Hoje, acha-se bonito um corpo bronzeado mas, com todos os problemas que este pode implicar, é possível que se comece a desvalorizar esse aspecto.. A não ser que a nossa sociedade goste de viver ao limite!! Existem edificios moderos que me dizem obviamente alguma coisa... Mas o simbolimo de outrora jamais será captado com paredes brancas, lisas, sem ornamento, sem qualquer valor espiritual... Mas tudo isto é um reflexo da sociedade e penso que os arquitectos devem continuar a retratar as pessoas nos edifícios.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Antes de começarmos todos para aqui a mandar postas de pescada vamos la pensar para que servia a tal simbologia de que tanto falam, e até que ponto era necessária a compreensão por todos da mesma. Em tempos idos 10% da população (se tanto) sabiam ler. Os restantes não tinham outro meio sem ser o oral para conhecer a biblia, ou as histórias dos santos. Assim as igrejas respondiam a essa questão tendo em si elementos escultóricos que contavam as histórias. Desde há uns anos para cá que a maioria da população ja sabe ler e tem havido um divórcio entre a escultura e a arquitectura... Logo a tal simbolia religiosa acaba por perder um pouco a força. Contudo continua tudo lá. Todo o ambiente espiritual e de serenidade, e ao mesmo tempo de poder. Isto é uma pequena parcela do que é a simbologia na arquitectura na realidade é um tempo muito mais vasto e nem sempre relacionável, portanto este tópico e por consequencia as conclusões feitas a partir dele parecem-me um pouco precipitadas... Mas já agora... Hoje em dia a simbologia mudou. Os simbolos mudaram, a própria maneira como nós os apreendemos e compreendemos também mudou. Pensem por exemplo, que a tal musica antiga "obvia e compreensivel" não estava minimamente ao alcance de todos como hoje a dia a musica está.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sem sombra de dúvida que os conceitos de simbologia e o que os edificios devem simbolizar (já estou farto desta palavra :p) mudou completamente mas não quer dizer que tudo esteja pior... Não só agora as pessoas sabem ler a bíblia por si próprias como também menos gente se interessa em ler (continuando o exemplo de igrejas) mas não me parece de todo que a falta de ornamento e o tal "divórcio" da escultura e arquitectura mude a percepção do povo do que é um monumento a um deus... Temos muito bons exemplos na igreja da luz de Tadao Ando e na de Marco de Canavezes do Siza. Não podemos dizer que uma pessoa que lá entre não se sinta envolvidissima em introspecção e reflexão tal como numa igreja gótica... Obviamente as coisas mudam e temos de nos manter a par dos tempos e procurar novas formas e responder a novos problemas. Já Gropius dizia que "a sensibilidade do belo existe mesmo no operário sem cultura" e esse "belo" também progride com o tempo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

mas não me parece de todo que a falta de ornamento e o tal "divórcio" da escultura e arquitectura mude a percepção do povo do que é um monumento a um deus... Temos muito bons exemplos na igreja da luz de Tadao Ando e na de Marco de Canavezes do Siza.


Ora aí está :p

Share this post


Link to post
Share on other sites

1 . Se a simbologia estah mais acessivel o que eh que o Pavilhao de Portugal simboliza ah primeira vista? 2 . Hoje em dia a arquitectura tornou-se mais design do que arquitectura. Ou seja tornou-se a concepaco de objectos de usufruto imediato de usar e deitar fora... de ser usufruido sem dar que pensar. De ser construido. De ter baixo lucro. De ser belo. De seduzir a curto, ou a medio ou a longo prazo. De ser funcional. De durar... de funcionar para determinadas ideologias... tornou-se uma peca. Hoje em dia uma obra de arquitectura funciona como fosse uma extensao do homem tal como a colher eh mas muito mais complexa.

Share this post


Link to post
Share on other sites

precisamente por estar ao alcance de todos, tornou-se "comum", "normal" e "corriqueiro"

ninguem esta a mandar postas de pescada a ninguem, estamos so a trocar ideias :p


O mandar postas de pescada foi um pouco agressivo talvez. Mas pareceu-me que as ideias trocadas até agora misturavam demasiados conceitos.

Sem sombra de dúvida que os conceitos de simbologia e o que os edificios devem simbolizar (já estou farto desta palavra :p) mudou completamente mas não quer dizer que tudo esteja pior... Não só agora as pessoas sabem ler a bíblia por si próprias como também menos gente se interessa em ler (continuando o exemplo de igrejas) mas não me parece de todo que a falta de ornamento e o tal "divórcio" da escultura e arquitectura mude a percepção do povo do que é um monumento a um deus... Temos muito bons exemplos na igreja da luz de Tadao Ando e na de Marco de Canavezes do Siza. Não podemos dizer que uma pessoa que lá entre não se sinta envolvidissima em introspecção e reflexão tal como numa igreja gótica... Obviamente as coisas mudam e temos de nos manter a par dos tempos e procurar novas formas e responder a novos problemas.
Já Gropius dizia que "a sensibilidade do belo existe mesmo no operário sem cultura" e esse "belo" também progride com o tempo.


Só falei no divorio entre a escultura e a arquitectura porque grande parte da carga simbólica das igrejas de antigamente provinha exactamente dessa união.
Repara que eu próprio digo que continuas a ter a simbologia toda nas obras de hoje em dia, e continuas a ter a mesma carga espiritual, serenidade e até poder.
Contudo deixaste de ter a arquitectura e a escultura a trabalhar em conjunto para dotar os edificios com maior carga simbólica.

1 . Se a simbologia estah mais acessivel o que eh que o Pavilhao de Portugal simboliza ah primeira vista?


Pura e simplesmente Poder. Imponência.
Não é por acaso que o Pavilhão de Portugal é concebido pelo arquitecto português mais conhecido e mais premiado internacionalmente.
Toda aquela escala faz com que o visitante se sinta pequeno, perante uma demonstração de Portugal.

Mas atenção que isto é o que eu vejo no Pavilhão de Portugal o que não invalida outras possiveis leituras.

2 . Hoje em dia a arquitectura tornou-se mais design do que arquitectura. Ou seja tornou-se a concepaco de objectos de usufruto imediato de usar e deitar fora... de ser usufruido sem dar que pensar. De ser construido. De ter baixo lucro. De ser belo. De seduzir a curto, ou a medio ou a longo prazo. De ser funcional. De durar... de funcionar para determinadas ideologias... tornou-se uma peca. Hoje em dia uma obra de arquitectura funciona como fosse uma extensao do homem tal como a colher eh mas muito mais complexa.


Este ponto parece-me muito confuso. Ainda estou a tentar perceber o que queres dizer com isto. Tanto dizes q é para usar e deitar fora como loga a seguir q é para durar...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Na minha opinião, acho que se pode fazer uma analogia entre a arquitectura com a história dos 3 porquinhos.... Como a arquitectura é o reflexo da sociedade, e cada vez mais vivemos numa sociedade que tem como pensamento o "hoje", é natural que a arquitectura também seja assim, sirva só pra "hoje"... É a minha opinião, vale o que vale :p

Share this post


Link to post
Share on other sites

[ame="http://www.youtube.com/watch?v=90JqVLbw9jk"]YouTube - Indiana Jones Trailer[/ame] A diferenca deste filme para este filme. [ame="http://www.youtube.com/watch?v=zZp75fWe-ss"]YouTube - transformers[/ame] Um filme antes dava para contar muitas aventuras. Agora conta duas aventuras muito rapidas. Uma rapidinha assim dizendo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Epa JVS... tas a compara com a golden age de realizadores como Lucas e Spielberg com o Michael Bay. Enfim, não há muita comparação possivel. Contudo percebo o que queres dizer com essa comparação. Se fores comparar por exemplo jogos de computador. Jogos como "beneath a steel sky", ou "the 7th guest", ou "phantasmagoria", ou até mesmo o "under a killing moon" tinham gráficos muito piores relativamente ao q se faz hoje, porém davam muito mais divertimento, porque tinham conteudo. O ponto a quer queres chegar é simples e não é nada de novo, o que seria interessante era perceber o que é que propõens para se mudar isso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.