Jump to content
Arquitectura.pt


Peter

Viana do Castelo | Hotel Axis | Jorge Albuquerque

Recommended Posts

Na obra não tive oportunidade de ver as perspectivas, assim dá para ter uma melhor noção dos acabamentos exteriores. Por outro lado dá para perceber algumas intensões que terão sido abandonadas ao longo do processo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

R|L, é verdade... ao nível de pormenor não tem tem grande resolução! mas já estava assim no original que nos foi fornecido! também nesta fase é importante perceber onde se situam as áreas globais, e nesse aspecto é possível da forma que está:p Dreamer, ouve de facto mudanças ao longo da construção, a mais visitei nas imagens tridimensionais é a espelho de água que deixou de existir! como também foi referido pelo arq., e também para que todos os que não estiveram presentes, deixou de existir os pátios passando a serem cobertos pelo lanternim! ouve mudanças ao nível do SPA e do auditório! foram mudanças pontuais mas que se reflectem no restante programa de forma significativa! outra situação que me parece importante referir, é que a actual via confrontante a norte (Avenida Capitão Gaspar de Castro) vai ser alvo de uma reformulação por parte da câmara municipal. esta reformulação foi tida em conta na elaboração do projecto de arquitectura do hotel.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tá porreiro ... Essa cena das caixas projectadas faz-me lembrar aquela publicidade televisiva do edifício que se parte todo ... :icon_pistoles: Na minha humilde opinião, e vendo a apresentação da proposta, nao acho a forma interessante, é muito barulho ... Mas acho a discussão fenomenal, assim vale a pena participar !!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vendo os renderings, aquele espaço em volta já existe tal como é apresentado? Se de qualquer maneira ficar assim, não me parece que em termos de verticalidade o edifício seja uma aberração - talvez na forma. O que me parece é que os volumes salientes podem criar umas sombras porreiras para os quartos :p

Share this post


Link to post
Share on other sites

pequeno comentário: para quem viu toda a evolução daquela esquina em particular, ao longo dos últimos 25 anos, com as ditas torres de 12 pisos a surgir sem relação nenhuma com as pré-existências, com a antiga estrada/rua da bandeira a ser despida de plátanos centenários e pequenos restos de chalets oitocentistas a permanecer isolados como monumentos de rotunda, enfim.... acho que o edificio em si pode deixar uma impressão volumétrica bizarra, mas não é à conta de faltar uma relação com o lugar (em si disfuncional)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Peço desculpa por não ter argumentos teóricos bem fundamentados e , etc..., mas assim como ao Hotel do arq. Byrne para cascais resumi-me a dizer apenas "pesadão", neste caso se me permitem uma simples opinião diria : opressivo

Share this post


Link to post
Share on other sites

Este projecto é globalmente coerente e marcará certamente, pela melhores razões, a zona intervencionada na malha urbana de Viana do Castelo. O sistema de fachada Kawneer bem como o compósito Reynobond constituem a solução mais adequada às características do projecto de arquitectura. Parabéns à equipa de projecto!!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

creio que o desenho deste hotel reflecte uma tentativa algo forçada de marcar alguma posição no panorama da arquitectura contemporânea portuguesa. parece-me uma solução um pouco exagerada para a malhar de viana do castelo. foi aqui falada e comparada a questão da casa da música, no entanto não nos podemos esquecer que os edifícios têm funções completamente distintas. pessoalmente vejo o hotel como um edifício mais integrado na malha urbana, se assim poderei falar, enquanto que um edifício como a casa da música, com uma função mais lúdica, adquire sempre uma postura de maior destaque nas malhas urbanas contemporâneas. parece-me um edifício com uma leitura demasiada austera e imposta para um local com aquela escala.

Share this post


Link to post
Share on other sites

De facto não sou arquitecto...Portanto a minha opinião valerá o que vale a opinião de alguém que se interessa por este tipo de temática. Comparar a Casa da Musica ao Projecto de Arquitectura Axis Viana do Castelo não me parece intelectualmente aceitavel. Até porque trabalhar sem orçamento permite sempre ampliar o génio criativo do projectista... A obra, vista pelos olhos de um não especialista, destaca-se essencialmente como uma das maiores obras em estrutura metálica construida em Portugal nas ultimas duas décadas. Técnicamente é uma obra dificil de projectar e de calcular pois apresenta uma estrutura balanceada sujeita fenómenos fisicos e ambientais agressivos sendo que, o comportamento dos materiais, a estanquidade, a componente térmica e acustica do edificio e em particular da fachada metálica ventilada exige um enorme rigor de projecto e construtivo. As soluções Kawneer parecem-me ter sido desenvolvidas especificamente para responder aos requisitos técnico -construtivos do projecto. Trata-se pois de uma obra exigente. Do ponto de vista do projecto, ele acaba por, de alguma forma, marcar uma tendencia minimalista observada na arquitectura portuguêsa contemporânea e consegue fazê-lo de um modo original e despreconceituoso. Este projecto marcará certamente uma nova centralidade numa cidade marcada por um amplo conjunto de obras em estrututa metálica que parecem manter-se perenes no tempo...

Share this post


Link to post
Share on other sites

bem vindo José Esteves e Valter Areias à "discução" deste projecto e obra. de facto quando nuns posts atrás fiz a comparação com a casa da musica não estava de forma nenhuma a comparar o nível de importância que o elemento arquitectónico tem, uma vez que até a casa da musica é uma obra para o país e não para uma cidade. apenas fiz essa comparação como elemento de excepção na malha urbana de uma cidade. concordemos ou não, pode sempre haver um elemento de excepção, agora temos é que ter consciência se a própria cidade esta preparada para esta excepção, sem duvida que o Porto está, mas Viana, será?

Share this post


Link to post
Share on other sites

As soluções Kawneer parecem-me ter sido desenvolvidas especificamente para responder aos requisitos técnico -construtivos do projecto.
...


exacto... foi de facto desenvolvido o sistema construtivo especifico. foi na verdade feita uma maqueta à escala real para melhor resolver o sistema construtivo das caixilharias e fachada.

Share this post


Link to post
Share on other sites

obrigado pela recepção peter. fico mais esclarecido com este post teu e entendo a tua posição relativamente a isto. pelos vistos concordamos no facto de acharmos que viana não está preparada para uma obra com esta solução, acredito que não apenas relativamente á sua estrutura fisíca, falo de malha urbana claro, mas também no que diz respeito à sua estrutura social. sem dúvida que será uma obra com grande impacto na vida daquele lugar, veremos qual será com a sua construção.

Share this post


Link to post
Share on other sites

olá Dreamer!! não estou por Viana... mas assim que regresse tiro umas fotos da obra... não se nota muito o evoluir da mesma uma vez que tem sido feito muito trabalho no interior! mas mesmo assim vou tirar umas fotos!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Obrigada pelo alerta de não perceber o meu português.
E fica desde já o meu agradecimento sempre que o mesmo aconteça.

Por muitas visões que possa mostrar, continua a ser um mamarracho caído de pára-quedas. O que poderá ser para próxima geração o “prédio Coutinho II”.

Segundo o arq. Pedro: “o arquitecto trabalhou as alturas, devido aos prédios envolventes”. Ate mostra uma foto de Viana do castelo.

Então o respectivo arquitecto “Pode trabalhar as alturas (dos edifícios envolventes) e o parque que vai existir na praça dos touros (porém, também deveria ter em conta o lado sul, parque de lazer, e a este uma zona comercial, esse mesmo projectista)???”
Tal como o impacto visual causado pelo edifício “nos sr condutores que passam todos os dias e dão-se com aquela "nave" de quatro caixas…”

Mesmo não sabendo se o arq. Pedro Loureiro conhece a vila de Ponte de Lima mas como fura mais uma polémica, arquivo municipal de Ponte de Lima do arq. Guedes. “Por muito que ponte de lima tenha um microondas... (arquivo municipal), Viana do castelo já nem se pode descrever em relação a mamarrachos”, (predios em altura).

Share this post


Link to post
Share on other sites

por muitas visoes que possa mostrar continua um mamarracho caido de paraquedas
pode trabalhar as alturas e o parque que vai existir na praça dos touros??? é plano
e a vista dos sr condutores que passam todos os dias e dandan-se com aquela "nave" de quatro caixas..
por muito que ponte de lima tenha um microondas... (arquivo municipal)
viana do castelo ja nem se pode descrever
so vendo


susete... agradeço as tuas opiniões! não vou concordar nem discordar sobre as tuas opiniões porque tu tens a tua e ponto final!!! agora faz um favor... tenta construir um texto que se perceba! não me leves a mal este reparo, mas é que não consigo perceber o que dizes... repara bem na frase que esta a negrito na citação!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.