Jump to content
Arquitectura.pt


3CPO

[Projecto] Gabinete do Primeiro-Ministro - Lisboa _ Promontório

Recommended Posts

Promontório Arquitectos
Gabinete do Primeiro-Ministro - Lisboa . 2005

Situado num lote vago em frente à Residencia Oficial do Primeiro-Ministro, o projecto responde a um programa de escritórios, salas de reuniões, secretárias e arquivos para a Assessoria do Governo. A estrutura do edifício em betão moldado in-situ cartacteriza a maioria dos acabamentos das paredes e tecto. A fachada principal é constituída por grandes blocos de pedra maciça em mármore rosa de Estremoz.


Arquitectos
PROMONTÓRIO ARQUITECTOS
João Perloiro
João Luís Ferreira
Paulo Perloiro
Paulo Martins Barata
Pedro Appleton
Colaboradores: T. Baldaque, A. Pinto
Consultores:
Quadrante (Estruturas)
Ductos (Instalações Hidráulicas)
Eppe (Instalações Eléctricas, Telecomunicações, Segurança)
José Galvão Teles (AVAC)
Escala Digital (Controlo de Custos)
Localização: S. Bento, Lisboa, Portugal
Promotor: Gabinete do Primeiro Ministro
Projecto: 2005
Área de implantação: 397.00 m2
Área Bruta Total: 2.732 m2

Agredecemos a colaboração do Promontório Arquitectos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

sem querer questionar o gabinete pois tem provas dadas, mas a titulo de brincadeira a sala de reuniões parece-me a o quadro referente à ultima ceia de cristo..hehehe:nerd:

Share this post


Link to post
Share on other sites

os projectos aqui apresentados permitem a comparação de projectos diferentes com programas identicos o que me leva a colocar às seguintes questões: programas identicos deviam resultar em projectos identicos? e como um edificio pode ser identico a outro tendo funções diferentes? aqui há uns tempos um amigo (não arquitecto) disse-me que acharia fantastico um campo de futebol ser uma bola de futebol (falavamos do museu ferrari e de este representar o modelo da conhecida marca, em amarelo, claro está)...também comentamos o facto de um cinema poder ser uma camara de projecção...o raciocínio abrangeu já em tom de brincadeira as variantes destas analogias em toda a extenção da sua aplicação...e de como tudo isto seria visualizado e identificado pelos utentes...será q dá jeito olhar para um edificio e subconscientemente dizer:"olha, este tá com «cara» de hospital"? e será agradável olhar para um edificio que é uma bola de futebol e descobrir que é uma clinica dentária(esperemos que antes de nos arrancarem algum dentex()? ...e sobretudo pensar o modo como para além da função e do programa, o simbolismo é aplicado... será q uma forma simbolica linear que transmita a função de um objecto arquitectónico é exequivel?(a avaliar pelos concursos públicos e propostas vencedoras parece que sim...) oiço muitas vezes dizer que já está tudo inventado mas ainda guardo a esperança de me ir surpreendendo com o arrojo e genialidade de alguns projectos...não é o acso deste projecto do gabinete do primeiro ministro mas desconheço as condicionantes e as premissas do concurso que esteve na origem deste projecto.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois é Bruno e Rosa é com Z.


rosa
    do Lat. rosa

    s. f., Bot.,
        flor da roseira;
        nome de outras plantas e flores;
        peça de latão com que os encadernadores douram os livros;

:)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não perceberam, Estremoz escreve-se com Z e não com S. Estava no gozo ou será goso!!! Bom já não zei.


Olá Filipe,

O Bruno fez a correcção de Extremoz para Estremoz... nesse caso, escreve-se com S.
E quanto ao Projecto dos Promontório? Algo a salientar?

Abraço
:)

Share this post


Link to post
Share on other sites

sem querer questionar o gabinete pois tem provas dadas, mas a titulo de brincadeira a sala de reuniões parece-me a o quadro referente à ultima ceia de cristo..hehehe:nerd:


Segundo me disseram o atelier Promontório tem muitas pessoas ligadas à Igreja (Opus Dei)

Share this post


Link to post
Share on other sites

não está mau. está banal. banal, não por oposição a espectacular, mas por oposição a interessante. aquele comentário no esquisso acerca da funcionalidade do edifício é completamente académico, parece que foi feito por um estagiário lá do atelier que dá uns toques com a lapiseira. se o edifício não fosse funcional, era uma *****. o da fachada então é revelador do caminho pateticamente superficial que está a tomar a arquitectura. enfim, antes mais uma sede da xerox dos promontório, do que mais umas amoreiras da cicciolina.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Desconhecendo os contornos das premissas, condicionantes, imposições etc...etc...que levaram à proposta final, prefiro não me prenunciar. até porque , qual é o arquitecto ou atelier que se pode gabar de não ter "aquele" projecto que até era preferivel ter estado doente dois meses do que ter produzido tal "nem sei o que é :envergonhado:"

Share this post


Link to post
Share on other sites

aquele comentário no esquisso acerca da funcionalidade do edifício é completamente académico, parece que foi feito por um estagiário lá do atelier que dá uns toques com a lapiseira. se o edifício não fosse funcional, era uma *****


miosogeno, essa foi baixa e despropositada, e como quem diz, como nao sei o que dizer, mando uns bitates ao desenho que nao foi feito para arquitecto ver, sim porque arquitecto que e arquitecto nao tem que explicar o projecto a nimguem.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.