Jump to content
Arquitectura.pt


Recommended Posts

Como se procedeu à simplificação dos simbolos dos elementos ?

HEART:
Imagem colocada

Qual a sua relação com o rectangulo?
Será que é assim tão importante para o projecto?


É referido o elemento "Wood" mas... qual a sua relação com o projecto?

Wood represents springtime when new growth sprouts from the earth. Its associated direction is east. It is associated with the planet Jupiter. Wood is characterized by the color brown or green. Wood's attributes are considered to be strength and flexibility, as with bamboo. It is also associated with qualities of warmth, generosity, co-operation and idealism. The Wood person will be expansive, outgoing and socially conscious. The wood element is one that seeks always to grow and expand. Wood heralds the beginning of life, springtime and buds, sensuality and fecundity. Wood’s influence affects the liver, the gallbladder and, by extension, the digestion. Wood needs moisture to thrive. Its two opposite yet equally emotional forces are rage and altruism.


Não será um bocado forçado?

:)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Isso achei particularmente mau... a simbolização dos diversos elementos da natureza não foi de todo conseguido... basta ver que o elemento água tem a ver com a envolvente, não com a concepção do edifício propriamente dita... sem falar dessa da madeira... talvez o interior seja revestido a este material...

Share this post


Link to post
Share on other sites

bem...eu esqueci-me de o referir no meu post...ms como é obvio não vou estar a comentar um projecto que embora eu não tenha feito parte da equipa de trabalho....pertenço ao mesmo estudio...sendo assim seria naturalmente tendencioso na minha analise do mesmo...

digamos que a ideia era so partilhar esta apresentaçao do projecto(esta é a apresentaçao oficial tal como foi feita ao cliente) com todos, e se possivel gerar alguma discussao(construtiva e produtiva) em torno do projecto(e apresentaçao:.introduçao de novos meios de comunicaçao do projecto para assim passar a msg + clara ao cliente).

eu irei introduzir elementos a seu tempo, que tiverem pertinencia no decorrer da discussao.



A moda de usar bolas está aí bem patente...

dreamer, citando-me a mim mesmo:.

e se possivel gerar alguma discussao(construtiva e produtiva) em torno do projecto

como por exemplo:

Como se procedeu à simplificação dos simbolos dos elementos ?

HEART:
Imagem colocada

Qual a sua relação com o rectangulo?
Será que é assim tão importante para o projecto?


É referido o elemento "Wood" mas... qual a sua relação com o projecto?


Citação:
Wood represents springtime when new growth sprouts from the earth. Its associated direction is east. It is associated with the planet Jupiter. Wood is characterized by the color brown or green. Wood's attributes are considered to be strength and flexibility, as with bamboo. It is also associated with qualities of warmth, generosity, co-operation and idealism. The Wood person will be expansive, outgoing and socially conscious. The wood element is one that seeks always to grow and expand. Wood heralds the beginning of life, springtime and buds, sensuality and fecundity. Wood’s influence affects the liver, the gallbladder and, by extension, the digestion. Wood needs moisture to thrive. Its two opposite yet equally emotional forces are rage and altruism.
Não será um bocado forçado?

eu n diria forçado...ms como prometi...prefiro não intervir...por agora...seria interessante ver como a discussao decorre sem entraves e sem critica destrutiva(certo dreamer?)

abraço a todos, acrescentarei + informaçao qd puder...

basta ver que o elemento água tem a ver com a envolvente, não com a concepção do edifício propriamente dita

e digamos que o envolvente(a varios niveis) n tem nada a ver com o edificio ou com o processo que resultou neste edificio...certo?

abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites
Esta analogia com os elementos tem piada; não é comum, pelo menos.
É verdade que este conceito poderia, realmente, reflectir-se rmais na arquitectura. De qualquer maneira o resultado final é bastante atraente por esta fluidez que o edifício adopta... Queria também elogiar a apresentação, bastante "pedagógica" e directa em relação à mensagem que se quer passar.
(Não há mais videos?)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Parece-me algo bastante iconográfico, o que normalmente parece ser sempre um pouco forçado a nível de conceito. Mas isso não quer dizer que seja medíocre. Aliás, até é interessante essa ligação com os símbolos que é feita. Sabe é a pouco, parece que lhe falta qualquer coisa. Gostava de ver mais informação relativamente à circulação. P.S.: Aquela música é um toque polifónico de telemóvel? lol :)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mais uma arquitectura vazia... cheia de simbolismos... mas nao passa duma arquitectura vazia... onde os arquitectos pegaram num caracter chines, colocaram uma estrutura com circulos e depois passaram na maquina de cortar fatias horizontais que sao os pisos... Nao tem a magia estrutural das obras de Toyo Ito, de Shigeru Ban e do Herzog... simplesmente tem a simbologia mais que ultrapassada a boa maneira de Rem Koolhaas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Como se procedeu à simplificação dos simbolos dos elementos ?

HEART:
Imagem colocada

Qual a sua relação com o rectangulo?
Será que é assim tão importante para o projecto?


É referido o elemento "Wood" mas... qual a sua relação com o projecto?



Não será um bocado forçado?

:)


Se o projecto fosse feito com os materiais da madeira, do aco, da agua, do fogo, e etc ainda era capaz de ficar algo muito mais interessante...

Share this post


Link to post
Share on other sites

eu n diria forçado...ms como prometi...prefiro não intervir...por agora...seria interessante ver como a discussao decorre sem entraves e sem critica destrutiva(certo dreamer?)


Tal como é visível no vídeo, os elementos ganham bastante destaque e importância no projecto, e como já disseram, torna-se bastante iconográfico.

Sería interessante de que forma esses mesmos símbolismos orientaram as várias decisões do projecto.
Espero que a influência do Elemento "Heart" não esteja apenas reflectido através de uma vista aérea...

Imagem colocada

Imagem colocada

E a organização espacial interior?
Circulações?

Também sofreram influência dos elementos?

:)
Abraços

Share this post


Link to post
Share on other sites
Mais uma arquitectura vazia... cheia de simbolismos... mas nao passa duma arquitectura vazia... onde os arquitectos pegaram num caracter chines, colocaram uma estrutura com circulos e depois passaram na maquina de cortar fatias horizontais que sao os pisos...


é uma visao deveras interessante,como diria um amigo meu é uma visão a souto...pois é assim que ele descreve as suas obras...completamente terra a terra...sem magia...pois ela nao faz parte da nossa efemera existencia...
enfim ha quem goste de mais magia a mistura...

Nao tem a magia estrutural das obras de Toyo Ito, de Shigeru Ban e do Herzog... simplesmente tem a simbologia mais que ultrapassada a boa maneira de Rem Koolhaas.


mau...agora contradisseste-te...entao afinal tambem achas que a magia é importante...

simplesmente tem a simbologia mais que ultrapassada a boa maneira de Rem Koolhaas.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest carlos.pedro

BIG BJARKE INGELS GROUP
Novas Expressões


I+D é um conceito normalmente afastado da prática arquitectónica corrente, onde a necessidade de resposta imediata a condicionantes técnicas e programáticas se sobrepõe à vontade de experimentação criativa. Soluções banais dividem o espaço das cidades modernas com as poucas infiltrações inovadoras que conseguem atingir o status de obra construida. E contra esta corrente que encontramos em Copenhaga os BIG -Bjarke Ingels Group- um grupo com cerca de 50 arquitectos, designers, construtores e pensadores que operam nos campos da arquitectura, urbanismo, investigação e desenvolvimento, propondo soluções simultaneamente pragmáticas e utópicas.


http://novasexpressoes.sa-arquitectos.com/2006/11/big_bjarke_ingels_group.html#more

Share this post


Link to post
Share on other sites

bom em relação a este edifício, até acho que tem algum interesse como landmark na paisagem urbana, no entanto acho que este vídeo lhe tira um pouco da graça ao ir buscar todos aqueles símbolos chineses para justificar a forma distinta do edifício. Digo isto também porque se bem me recordo este projecto foi feito inicialmente para uma cidade na suécia chamada Umea (lê-se "Umeo"), cuja forma, a estrutura em circulos, etc, era igual por isso acho um bocado puxado andarem a socorrerem-se de símbolos chineses para justificar a forma do edifício que já tinha sido feita bastante tempo antes sem ter essas influências. Mas pronto... Não é a questão dos símbolos que me preocupa, mas mais a questão da "arquitectura universal" (se é que a podemos chamar assim). Ou seja, terem projectado um edifício para um sítio e agora proporem o mesmo edifício para um sítio totalmente distinto. Será que a arquitectura pode atingir de tal forma este grau de "standardização" que pode ser aplicada em qualquer parte do mundo ignorando a quantidade de aspectos únicos que há em cada local e em cada cultura? Eu entendo que a arquitectura surge de uma série de condicionantes sejam elas funcionais, economicas, locais, ... e, por isso mesmo para mim a arquitectura distancia-se do design a partir do momento em que é única. Cada obra é feita para um determinado sítio e com determinadas condicionantes. Neste aspecto este edifício parece-me um pouco mal conseguido mesmo dentro deste atelier que faz uma arquitectura que de certa forma é internacionalizada.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Eu próprio já tinha feito essa analogia ao utilizar os elementos como conceito.

Deixo três imagens em anexo para que possam ver a minha ideia, relacionada com uma utopia habitacional.

Todo o meu projecto é baseado nos quatro elementos (terra, ar, água, fogo), assim é oferecido um vasto número de sensações.

O volume inferior representa a ÁGUA, pois está em contacto com a mesma, acima existe o volume que está embutido no solo, simbolizando assim a TERRA, o AR é representado pela estrutura de topo e pela rampa, quanto ao FOGO este é caracterizado pelos rasgos de luz.

O posicionamento da rampa é extremamente importante para a contemplação do edifício e das maravilhosas vistas, a entrada poderia ser pelas traseiras, contudo, obrigo a que o edifício seja contornado, dando valor a este e educando a visão dos intervenientes.

Assim acabo por referir mais uma vez.... o conceito utilizado está FORÇADO, muito FORÇADO!! :clap:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu penso que é mesmo vazia, e esta mesmo forçado o uso dos elementos...afinal é mesmo formal e sem apenas espacialidade interior. :) Beijocas desde Espanha

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu não conheço bem o projecto, e tenho dificuldade em tecer críticas tão fortes como algumas que li aqui. O edifício não me atrai muito, gosto da relação com o terreno, das rampas e de algum modo do volume, mas os círculos..disturbam-me um pouco. Mas relativamente ao vídeo, acho que o projecto não pode ser reduzido ao vídeo de apresentação. Acho que está bem conseguido porque prende a nossa atenção, temos curiosidade em ver os símbolos seguintes, o modo como os relacionam. Não quer isto dizer necessariamente que o conceito do edifício se reduza a esta relação. Pelo contrário, com frequência projectos como os dos OMA são apresentados com diagramas e explicações de geração do edifício que embrulham muito bem o projecto e provavelmente não estiverem de modo nenhum presentes ao longo do seu desenvolvimento. Acho que o projecto não pode, pelo menos aos olhos de pessoas que estão neste âmbito, ser desvalorizado por isso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

aqui onde pratico a coisa, diz-se que:
"o que a arquitectura não resolve, a massa (cimento) tapa"
(isto em obra).

quando ainda (em projecto), a técnica mantêm-se: o que o desenho não resolve, o discurso tenta tapar.

digo isto sem querer entrar em polémicas, mas é em casos destes que mais se nota a ineficiência em juntar "arquitectura de umbigo" à "arquitectura para as massas".
como diz a sabedoria pop: "é no meio que se encontra a virtude" e talvez seja, há uma terceira via, que não é uma coisa em si mesma, palpável, independente do local é um sentir, uma amizade que o edificio estabelece comigo.
a cordialidade que há entre dois seres só acontece depois de mutuo contacto, não em conceito, por isso é sempre tão dificil saber se um projecto de arquitectura se vai revelar ARQUITECTURA.
só nos resta a intuição.
que também é a ela (intuição) que recorremos quando conhecemos alguém, é quase instantâneo sabermos se essa pessoa, vai ser nossa amiga, se tem ar de quem vai, ou pode, ou ainda merece ser nossa amiga.

para o pessoal cá de casa a coisa ARQUITECTURA também funciona assim.

http://arte-rite.spaces.live.com/

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.