Jump to content
Arquitectura.pt


3CPO

Lisboa | Terminal de Cruzeiros de Sta. Apolónia | Rui Alexandre

Recommended Posts

Isso leva a uma questao:

Quantos estuarios existem no Mundo? Quais? Que cidades existem nesses estuarios? E se existem Terminais de Cruzeiros nessas cidades?

ESTUARIOS

Estuario de Klamath River
Estuario de River Exe
Estuario de River Nith
Estuario de Darwin, Northern Territory, Australia
Estuario de Río de la Plata (als gemeinsames Ästuar von Paraná und Uruguay)
Estuario de Hudson
Chesapeake Bay (North America's largest estuary)
Delta de Amazonas (: seine nördliche Mündung, in Kombination mit einem sich bildenden Unterwasserdelta)
Estuario de Chatanga
Estuario de Elbe
Estuario de Ems
Estuario de Gambia (Fluss)
Estuario de Humber
Estuario de Hunte
Estuario de Jenissei
Estuario de Ob
Estuario do Rio das Perolas
Estuario de Schelde
Estuario de Themse
Estuario de Trave
Estuario de Weser
Estuaire de la Garonne (estuario da Gironda)
Estuaire de la Seine
Estuaire de la Loire (partie aval de la Basse-Loire correspondant à l'embouchure de la Loire)
Estuaire de la Rance (voir aussi l'Usine marémotrice de la Rance)
Estuaire de la Somme
Estuaire du Rhône
Estuaire du Saint-Laurent (Canada)
Baía de São José
Baía de São Marcos
Guaíba River
Manguaba Lagoon
Mundaú Lagoon
Bras d'Or Lake
Chantrey Inlet
Gulf of Saint Lawrence
Hamilton Inlet
Lake Melville
Miramichi Bay
Baga Creek
Chilka Lake
Kerala Backwaters
Kori Creek
Mumbai Harbour
Panvel Creek
Sir Creek
St Inez Creek
Thane Creek
Vasai Creek
Rhine-Meuse-Scheldt delta
Hollands Diep
Rhine-Meuse-Scheldt delta
Hayle Estuary
Gannel Estuary
Camel Estuary
Taw-Torridge Estuary
Blue Anchor Bay
Bridgwater Bay
Severn Estuary
Dee Estuary
Mersey Estuary
Alt Estuary
Ribble Estuary
Morecambe Bay
Duddon Estuary
Esk Estuary
Inner Solway Estuary
Tweed Estuary
Lindisfarne & Budle Bay
Alnmouth Estuary
Coquet Estuary
Wansbeck Estuary
Blyth Estuary
Tyne Estuary
Wear Estuary
Tees Estuary
Esk Estuary
The Wash
North Norfolk Estuary
Breydon Water
Oulton Broad
Blyth Estuary
Ore / Alde / Butley Estuary
Deben Estuary
Orwell Estuary
Stour Estuary
Hamford Water
Colne Estuary
Blackwater Estuary
Dengie Flats
Crouch-Roach Estaury
Maplin Sands
Southend-on-sea Estuary
Inner Thames Estuary
South Thames Estuary
Medway Estuary
The Swale
Pegwell Bay
Rother Estuary
Cuckmere Estuary
Ouse Estuary
Adur Estuary
Arun Estuary
Pagham Harbour
Chichester Harbour
Langstone Harbour
Portsmouth Harbour
Southampton Water
Beaulieu River
Lymington Estuary
Eastern Yar
Wootton Creek
Medina River
Newtown River
Western Yar
Christchurch Harbour
Poole Harbour
The Fleet and Portland Harbour
Axe Estuary
Otter Estuary
Teign Estuary
Dart Estuary
Salcombe and Kingsbridge Estuary
Avon Estuary
Erme Estuary
Yealm Estuary
Plymouth Sound
Looe Estuary
Fowey Estuary
Fal Estuary
Helford Estuary
Firth of Clyde
Firth of Forth
Solway Firth
Bristol Channel
Cleddau Estuary
Dulas Bay
Loughor estuary
Severn Estuary
Americano Creek
Bolinas Lagoon
Castro Cove
Drakes Estero
Oakland Estuary
Petaluma River
Richardson's Bay
Sacramento-San Joaquin River Delta
San Pablo Bay
Stemple Creek
Bellingham Bay
Port Susan
Possession Sound
Puget Sound
Skagit Bay
Willapa Bay
Anadyrskiy Liman
Bay mud
Blueskin Bay
Dniester Liman
Dundalk Bay
San Francisco Estuary
Estuary of Bilbao
Golden Horn
Gulf of Catania
Lacustuary
Lim (Croatia)
Port Musgrave
Shannon Estuary
Sir Creek
Urdaibai

CIDADES EM ESTUARIOS

Klamath River > Nao ha cidade = NHC
River Exe > Topsham e Exmouth
River Nith > NHC
Darwin > Darwin, Australia > Ver Terminal de Cruzeiros neste site - http://www.waterfront.nt.gov.au/tourism_conventions/cruiseship.html
Río de la Plata > Buenos Aires > Ver Terminal de Cruzeiros neste site - http://www.dfnionline.com/article/London-Supply-to-help-create-Buenos-Aires-cruise-terminal-1062873.html
Río de la Plata > Montevideo > Ver Terminal de Cruzeiros neste site - http://cruises.about.com/od/southamericacruises/ig/Montevideo/
Hudson > Nova Iorque > Ver Terminal de Cruzeiros neste site - http://www.nycruise.com/
Chesapeake Bay > Baltimore > Ver Terminal de Cruzeiros neste site - http://www.baltimoregrows.com/2007/08/23/taking-a-cruise-from-baltimore/
Amazonas > Belém > Ponto de Partida e Chegada de Cruzeiros
Chatanga > Khatanga, Russia > Fica perto do Artico
Elbe > Cuxhaven > Ver Terminal de Cruzeiros neste site - http://demo.northclick.de/cruise-cuxhaven-en/
Ems > Emden
Ems > Delfzijl > Ver Terminal de Cruzeiros neste site - http://www.groningen-seaports.com/new_archive.php
Gambia > Banjul, Gambia, Africa > Chegada de Cruzeiros
Humber > Hull >
Humber > Grimsby, Immingham , New Holland e Killingholme.
Hunte > NHC
Jenissei > Fica perto do Artico
Ob > Fica perto do Artico

O resto da investigacao deixo ah vossa responsabeilidade. Nao tenho tempo.

FONTES:

[ame]http://en.wikipedia.org/wiki/Category:Estuaries[/ame]
http://de.wikipedia.org/wiki/%C3%84stuar
[ame]http://en.wikipedia.org/wiki/Estuary[/ame]
[ame]http://es.wikipedia.org/wiki/Estuario[/ame]
[ame]http://fr.wikipedia.org/wiki/Estuaire[/ame]

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas eu não sou contra a existência do Porto de Lisboa. Acho que o Porto de Lisboa dá vida e movimento, as cidades portuárias são assim. Gosto, cada vez que passo na ponte, de ver as gruas a retirarem os contentores e os barcos a chegar. Acho que uma vez aqui no fórum mostraram uma fotografia do miradouro que fica em frente ao museu de arte antiga e disseram que era uma pena, que só se via gruas e edificios portuários e que era bem melhor se houvesse espaços verdes e esplanadas. Eu por acaso, acho que uma das coisas que mais gosto nesse miradouro é de ver, precisamente, o Porto de Lisboa, e todo o seu movimento associado. Acho que dá ideia de uma cidade rica. Quando fui a Antuérpia que é uma cidade portuária, fiquei também com essa ideia, de haver movimento, dinheiro, etc... Não quero uma Lisboa tipo Coimbra, por exemplo, que existe uma margem com os banquinhos e as florzinhas e tal... mas que não tem muita vida. Penso que as duas coisas de podem conciliar. Nem só porto nem só lazer.

Share this post


Link to post
Share on other sites

"Fiquei com a impressão de ter caído no meio de um debate "manhoso" na assembleia municipal da terra. A tratarmo-nos assim, os detractores da Arquitectura e dos Arquitectos nem precisam fazer nada. Lamentável." ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

O JVS abriu-me a curiosidade e procurei uns portos de rio e estuário, com terminais de cruzeiro. A escala destes navios é perfeitamente surpreendente quando confrontada com as cidades onde acostam. Dá para perceber que o terminal se não for bem desenhado pode ser uma espécie "apeadeiro" para apanhar um Jumbo.;) As situações são muito diversas. A mais parecida com Lisboa talvez seja Liverpool, tem o rio e o mar bem perto. Roterdão activou recentemente o terminal de cruzeiros que estava desactivado desde 1970. Londres (as fotos eram desinteressantes), criou um novo terminal no Porto de Tilbury, uns bons km, abaixo no rio tamisa. Em NY e Veneza os barcos quase entram pela cidade. C.P, efectivamente o caso de Marselha é distinto de Lisboa. Ali o porto pura e simplesmente "fechou" a ligação da cidade histórica ao mar. Curiosamente há algo que faz lembrar uma linha de actuação da APL - o porto de recreio (p.ex na Doca da Rocha Conde de Óbidos). Na foto a marina que agora ocupa o Vieux Port era o local onde antes acostavam ... os paquetes das linhas do norte e centro de África.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Coloquei um texto sobre este tema noutro tópico sobre uma obra do mesmo autor do projecto do terminal de cruzeiros, achei por bem coloca-lo aqui também onde poderá ter mais significado:

Sobre o terminal de cruzeiros discordo sobre tudo do programa, ao contemplar um hotel quando primeiro as pessoas que atracam no terminal já têm hotel (o navio de cruzeiro) e as pessoas que puderam começar em Lisboa o seu cruzeiro coisa que hoje não acontece mas que é intenção do porto de Lisboa e da CML pode ficar nos hotéis já existentes beneficiando assim a cidade e não criando mais uma estrutura que compete com os serviços já prestados pela cidade nessa área.
Outra questão que também não gosto no terminal de cruzeiros é o tratamento do chão, muito devido a existência do hotel, feito uma manta de retalhos com acessos para tudo cargas, descargas, bombeiros, etc. quando aquela zona esta a pedir uma praça ou um facto urbano que funcione como porta da cidade.
Sobre a arquitectura que é o que ao arquitecto diz respeito não gosto muito mas posso aceitar, aquilo que mais me aflige no projecto é o conjunto de formas escolhidas para o terminal, no meu entender não respeitam as formas compactas e ortogonais do neoclássico museu do exército e da estação de campanha. Sobre a galeria de acesso aos vários navios estando ela elevada permitindo assim o aceso das pessoas ao rio e sendo uma forma não fragmentada por mim não tem grande problema.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fiquei curiosa, e por isso, li o tópico por inteiro...
Que eu saiba, os cruzeiros já acostam em S.Apolónia há algum tempo. O novo terminal de cruzeiros (se é temporário, não faço a mínima ideia, mas houve algum investimento), abriu, se bem me lembro, na altura da abertura de estação de metro d S.Apolónia. Para quem não conhece, está inserido na Bica do Sapato.
http://www.portodelisboa.pt/portal/page/portal/PORTAL_PORTO_LISBOA/PORTO_LISBOA/INSTALACOES_PORTUARIAS/TERMINAIS_CRUZEIROS/CRUZEIROS_SANTA_APOLONIA
Para além disso, encontrei tb esta notícia do nosso caro presidente A.Costa:
http://diario.iol.pt/sociedade/santa-apolonia-lisboa-antonio-costa-cruzeiros-tejo-portugaldiario/942248-4071.html
Na notícia lê-se que pelos vistos, esse terminla (Arq. Rui Alexandre) não irá para a frente, pois o Governo concluiu que a obra não tinha "qualidade arquitectónica"...

Espero ter ajudado...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Acabei de ler este tópico de uma ponta à outra... digo-vos q fiquei cansada e tive quase a desistir d acabar de ler isto principalmente devido à "lavagem de roupa suja" (mas isto é apenas um a parte, não tenciono de todo que voltem a esse assunto, q fique claro!). Encontrei este tópico por estar a pesquisar sobre terminais de cruzeiros... ando a fazer um trabalho final e deparei-me com a questão sobre a viabilidade dessa infraestrutura na baía de angra (terceira, açores), e comecei a procurar plos ditos terminais... ainda este ano foi inaugurado um terminal de cruzeiros, em s. miguel, denominado de "Portas do Mar" e segundo sei, já andam a gastar mais uns qntos milhares de euros (se calhar estou a exagerar na quantia...) em estudos para resolver os problemas que tem, bem como os problemas que causou à marina já existente... e vendo isto pergunto-me, será q os terminais estão na moda? só vejo possíveis projectos ou intenções de fazer e criar... bem sei que é um mercado em expansão, sou "ilhéu", e sei bem que o mar tem imenso potencial, mas questiono se esta pressa desmesurada por apanhar a europa e alcançar este mercado, não anda a forçar a criação de projectos "em cima do joelho"... (desculpem o testamento, foi só uma espécie de "desabafo" sobre algo que ultimamente me tem ocupado os pensamentos)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Concurso para terminal de cruzeiros em Setembro 00h00m GINA PEREIRA Câmara vai desafiar arquitectos a projectar zonas nobres da cidade. A Câmara de Lisboa abandonou o projecto da Administração do Porto de Lisboa para o terminal de cruzeiros de Santa Apolónia. Em Setembro, lança um concurso de arquitectura para a gare, mas sem hotel nem galeria comercial. A novidade foi avançada ontem pelo vereador do Urbanismo, Manuel Salgado, durante uma sessão de apresentação de seis planos de pormenor, urbanização e ordenamento levados a cabo nos últimos dois anos e que encheu, sob um calor tórrido, a sala principal da Sociedade de Geografia de Lisboa. Salgado explicou que é intenção da autarquia "apostar muito" no lançamento de concursos de arquitectura de modo a "tirar partido do potencial dos arquitectos portugueses para a qualidade da cidade" e adiantou que, ainda antes do fim do mandato, pretende lançar vários concursos para projectar zonas nobres da cidade. A Praça de Espanha - para onde está previsto um centro de congressos e a desactivação do Instituto Português de Oncologia -, a praça em frente à Gare Marítimia de Alcântara, o Campo das Cebolas/Doca da Marinha e a zona monumental de Belém (estas duas em parceria com a sociedade Frente Tejo) são algumas das intervenções que vão ser objecto de concurso público. Também o arranjo do espaço público do Largo do Rato - "o local em Lisboa onde o peão tem mais dificuldade em atravessar" - e a criação de uma creche, biblioteca e zonas de habitação em dois terrenos municipais em Pedrouços serão objecto de concurso, este último destinado a jovens arquitectos. Antecipando eventuais acusações de propaganda eleitoral, Manuel Salgado explicou que a apresentação e discussão pública dos planos de urbanização é uma obrigação que decorre da lei e disse que o objectivo da Câmara é que haja "um debate profundo e sereno sobre o futuro da cidade e os instrumentos de gestão urbanística que a vão orientar na próxima década". "Não são ideias abstractas. São projectos concretos para uma cidade real", vincou. Coube a cada um dos arquitectos responsáveis fazer a apresentação: Jorge Catarino Tavares apresentou o plano de pormenor da Baixa Pombalina, que vai a votos dia 29; Manuel Aires Mateus apresentou o plano para o quarteirão do Parque Mayer; Manuel Fernandes de Sá deu a conhecer o plano de urbanização de Alcântara; Carrilho da Graça apresentou o plano para o Aterro da Boavista; Joan Busquets enunciou ideias para ordenar a envolvente à estação do Oriente e José Mateus apresentou um estudo urbano para a Avenida de Berna.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Câmara vai lançar concursos de arquitectura para a Praça de Espanha, Largo do Rato e mais cinco zonas da cidade nos próximos meses

Terminal de cruzeiros de S. Apolónia avança com concurso e sem hotel e comércio

21.07.2009 - 09h35 Inês Boaventura

O vereador Manuel Salgado anunciou ontem que a Câmara de Lisboa se prepara para lançar nos próximos meses sete concursos públicos de arquitectura, alguns dos quais em parceria com outras entidades. Entre eles está o do terminal de cruzeiros entre Santa Apolónia e o Jardim do Tabaco, que, ao contrário do que pretendia a anterior Administração do Porto de Lisboa (APL), não terá as valências de hotel e centro comercial.

O concurso do terminal de cruzeiros será provavelmente lançado em Setembro, em parceria com a APL, tal como um outro relativo à praça existente junto à Doca de Santo Amaro, que poderá ser lançado ainda este mês. Cai assim por terra o muito contestado projecto que previa para Santa Apolónia, além de uma gare marítima para cruzeiros, um hotel com dois pisos, uma área de escritórios, zonas comerciais e estacionamento.

Também segundo Manuel Salgado, e em parceria com a Frente Tejo, deverão avançar em Setembro os concursos públicos para a área entre o Campo das Cebolas e a Doca da Marinha e para o espaço público da zona monumental de Belém.

O vereador do Urbanismo revelou ainda que a autarquia "vai alterar completamente" o espaço público do Largo do Rato, que um estudo do investigador Aymeric Bole-Richard, divulgado pelo PÚBLICO em 2008, conclui ser "um lugar hostil e perigoso para o peão". Manuel Salgado corrobora esta visão e diz que quer que o peão passe a ser "rei" neste local.

Em Setembro, numa intenção que o autarca admite que poderá só ir avante no próximo mandato, deverá ser lançado o concurso para o centro de congressos da Praça de Espanha. Por fim, a câmara vai desafiar jovens arquitectos a desenvolverem um projecto para terrenos municipais de Pedroços, que inclua creche, biblioteca e zonas de habitação, mas também um núcleo de "habitação evolutiva, que possa crescer em função das necessidades das famílias".

À margem da apresentação de planos e estudos urbanísticos lançados neste mandato, Salgado admitiu que lhe causou "alguma surpresa" o recente anúncio da expansão do Metro a Loures. Isto porque, diz, num relatório preliminar apresentado pela transportadora em Junho esta obra não era "prioritária", ao contrário de outras, como o prolongamento da linha Verde a Carnide. O vereador considera que "a grande aposta" para os próximos anos não deve ser o metro convencional, mas sim uma rede de eléctricos rápidos de superfície, a implementar por exemplo em Alcântara.

in http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1392647


LISBOA

Terminal de Cruzeiros sem hotel nem centro comercial

20 | 07 | 2009 18.45H

O vereador do Urbanismo na Câmara de Lisboa anunciou para Setembro o lançamento de concurso para o projecto de arquitectura do Terminal de Cruzeiros, que abandonou o hotel e centro comercial previstos pela Administração do Porto de Lisboa.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

"Será só gare marítima, sem hotel nem centro comercial", afirmou Manuel Salgado, a propósito do projecto para a área junto ao Jardim do Tabaco, a desenvolver em conjunto entre a autarquia e a APL.

O responsável adiantou ainda que também em Setembro seráo lançados os concursos para os projectos de arquitectura da Praça de Espanha, onde deverá surgir um Centro de Congressos, para o Campo das Cebolas/Doca da Marinha (em conjunto com a autarquia e Sociedade Frente Tejo), para o Largo do Rato (arranjo de espaço público) e para a Praça de Alcântara.

"Serão projectos de arquitectura porque pensamos que para ter uma cidade com desenho de qualidade temos de tirar partido dos arquitectos que temos", afirmou Salgado.

Também em Setembro deverá ser lançado o concurso para os projectos de arquitectura a desenvolver para alguns terrenos municipais na zona de Pedrouços, que segundo Manuel Salgado abrangerão uma creche, biblioteca e alguma habitação e serão direccionados para jovens arquitectos.

Manuel Salgado falava no final da apresentação de alguns planos de pormenor e de urbanização hoje apresentados na Sociedade de Geografia, numa sessão onde foi feito um balanço dos trabalhos de revisão do Plano Director Municipal (PDM).

No final também o presidente da autarquia sublinhou a importância de planear a cidade, realçando que neste executivo "mais de 26 planos, projectos e estudos foram concluídos, iniciados ou estão em fase de conclusão".

"Foram criadas regras apertadas que têm de ser cumpridas por todos e isto é muito importante para dar estabilidade a quem quer investir", afirmou António Costa, realçando que "Lisboa está cheia de exemplos "do que a instabilidade nos últimos anos tem gerado ao nível do investimento".

"O potencial de investimento estava paralisado há anos pela indefinição na decisão", acrescentou.

António Costa frisou ainda a "nova visão de mobilidade" deste executivo, dando com o exemplo o reperfilamento da Avenida 24 de Julho previsto no Plano de Pormenor do Aterro da Boavista Nascente, da responsabilidade do arquitecto Carrilho da Graça.

"Este reperfilamento vai permitir que quem entre em Lisboa vindo de Algés, em vez de entrar pela 24 de Julho, seja redireccionado pela Avenida de Ceuta e entre numa grande radial", explicou.

"A Avenida 24 de Julho deixará de ser uma auto-estrada em meio urbano para ser uma boulevard amiga da população", acrescentou.

in http://www.destak.pt/artigos.php?art=36104

Lisboa: terminal de Cruzeiros sem hotel ou centro comercial

Lançamento do concurso será em Setembro revela vereador do Urbanismo

Por: /PP | 20-07-2009 19: 12

Manuel Salgado, o vereador responsável pela pasta do urbanismo na Câmara Municipal de Lisboa (CML) revelou, esta segunda-feira, que o concurso para o terminal de cruzeiros em Santa Apolónia será lançado em Setembro. Acrescentou ainda que o projecto abandonou o hotel e centro comercial previstos pela Administração do Porto de Lisboa.

«Será só gare marítima, sem hotel nem centro comercial», afirmou Manuel Salgado.

Lisboa: Terminal de Cruzeiros «morto e enterrado»

Mas os anúncios não se ficaram pelo terminal de cruzeiros. O vereador do urbanismo revelou, ainda, que em Setembro serão também lançados os concursos para os projectos de arquitectura da Praça de Espanha, onde deverá surgir um Centro de Congressos, para o Campo das Cebolas/Doca da Marinha, para o Largo do Rato e para a Praça de Alcântara.

Tal como o concurso para os projectos de arquitectura a desenvolver para alguns terrenos municipais na zona de Pedrouços.

O vereador fez os anúncios no final da apresentação de alguns planos de pormenor e de urbanização apresentados, esta segunda-feira, na Sociedade de Geografia.

No final do encontro António Costa aproveitou para sublinhar a importância de planear a cidade, realçando que neste executivo «mais de 26 planos, projectos e estudos foram concluídos, iniciados ou estão em fase de conclusão».

in http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/lisboa-terminal-cruzeiros-porto-de-lisboa-santa-apolonia-cml/1076932-4071.html

Share this post


Link to post
Share on other sites

Finalmente vemos considerações substanciais por parte do peloutro de Manuel Salgado! Finalmente parece que vamos começar a ter execução da esperança! Chamo a atenção para o seguinte parágrafo: "O vereador do Urbanismo revelou ainda que a autarquia "vai alterar completamente" o espaço público do Largo do Rato, que um estudo do investigador Aymeric Bole-Richard, divulgado pelo PÚBLICO em 2008, conclui ser "um lugar hostil e perigoso para o peão". Manuel Salgado corrobora esta visão e diz que quer que o peão passe a ser "rei" neste local." Fabuloso! Apesar de Salgado estar de acordo com a construção do "Mono", (cujo qual eu não tenho a indulgência de considerar bom ou mau, apesar de achar despropocionado), ele agora prepara-se, segundo os vários comunicados nos últimos meses para tomar Lisboa de assalto e oferecer o tão clamado Novo Urbanismo à grande cidade de Lisboa! Já não era sem tempo! Todas as novas considerações que tornam uma cidade do velho século numa renovação de futuro têm de ser tomadas já como um ponto assente nos modelos de decisão das autarquias. Já basta de atropelos, PDMs debaratados, níveis de poluição estratosféricos e de-estruturação do espaço dando primazia aos betões e às auto-estradas. Este modelo faliu! Somos Europeus e com orgulho, é altura de o provar. Temos um dos mais maravilhosos climas e temos de nos debruçar sobre uma nova forma de trazer as cidades aos seus habitantes. É preciso desenhar para a modernidade mantendo a História no que mais importante se insurge. O caso do Rato é um típico atropelo das políticas do executa e segue, sem pensar nas consequências. Apelo às mentes brilhantes deste fórum para se debruçarem sobre estas questões e executarem um plano de possibilidades para este Largo. Apresentem as vossas propostas, não deixemos morrer a esperança! Salvem o Largo do Rato! (desta vez à séria!)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Realmente uma coisa é certa, o render não favorece em nada o possivel potencial da proposta, além de ser muito pouco esclarecedor. Para mim não passa de um estudo de intenções, fazendo lembrar os meus primeiros renders no 2ª ano de curso. A proposta, na minha opinião, é manifestamente dissonante com as preexistencias e isso revela-se no render de forma berrante e escandalosa. Fico com pena que não haja o descernimento de aproveitar um investimento destes para "cozer" a proposta com a cidade e criar espaço público, relações com a envolvente próxima, etc. abraços

Share this post


Link to post
Share on other sites

Porto de Lisboa tem agendadas para este ano 367 escalas de navios de cruzeiros

A Administração do Porto de Lisboa (APL) já publicou a sua agenda de escalas para este ano, na qual tem previstas 367 visitas de navios de cruzeiros, mais seis do que as que previu para 2012, 14 das quais serão de navios em estreia na capital portuguesa, mais duas que no ano passado.

Abril e Setembro são os meses mais atarefados, respectivamente com 56 e 51 escalas, seguidos de Outubro e Maio, com 49 e 47 visitas, e que correspondem aos períodos em que normalmente os operadores fazem o reposicionamento dos seus navios para as diferentes temporadas.

Fevereiro é o mês com menos escalas agendadas, com oito, seguido de Janeiro com 13. Março, com 19, Junho, com 17, Julho, com 16, e Dezembro, com 18, são os restantes meses em que as escalas agendadas até ao presente não chegam às duas dezenas.

O número de navios em estreia na capital portuguesa aumenta este ano face a 2012, em que passaram por Lisboa 12 navios pela primeira vez. Até à data, a APL tem no seu planeamento anual de escalas 14 navios em estreia, cinco dos quais entram em operação este ano, como o Europa 2, o MSC Preziosa, o Royal Princess, o Le Soleil e o AIDAStella, ficando a faltar a visita do Norwegian Breakaway para Lisboa fazer o pleno.

http://www.presstur.com/site/news.asp?news=40331

 

 

 

 

 

Terminal de cruzeiros em Lisboa adiado
Terminal de cruzeiros em Lisboa adiado
Sol, 4 de Dezembro, 2012 por Ana Serafim
 
Apresentado oficialmente em Julho de 2010, previa-se que estivesse pronto em 2013, após 24 meses de construção. Mas, até agora, o edifício que completará o terminal de cruzeiros de Santa Apolónia, Lisboa, não zarpou sequer do papel.
«Prevê-se que a construção da gare de passageiros tenha início em 2013, encontrando-se o Porto de Lisboa a maximizar o projecto, minimizando os custos associados ao mesmo. A construção poderá ter dois momentos: um primeiro de construção do edifício e um segundo de execução dos arranjos exteriores. O edifício poderá funcionar no final de 2014, segundo as previsões actuais», revela a Administração do Porto de Lisboa (APL), questionada pelo SOL sobre a evolução do projecto.
 
Em respostas por e-mail, a APL adianta ainda que, para o futuro edifício, «se prevê um investimento de 20 milhões de euros, estando em estudo a possibilidade de o mesmo vir a ser reduzido, face a optimizações em fase de projecto, no que respeita ao miolo do edifício».
 
‘Novo’ projecto em 2013
 
Entregue ao arquitecto João Carrilho da Graça, após concurso público internacional, o projecto inicial estipulava um investimento de 25,5 milhões de euros. Agora, a par do custo da obra, também o projecto está a ser revisto, ainda que a autoridade portuária não indique que reajustes serão introduzidos. Diz apenas que «as alterações decorrem do desenvolvimento do projecto». E que «é perfeitamente compreensível que nesta fase de constante evolução da conjuntura económica se tenha procurado, com o projectista, ajustar os valores iniciais do projecto, sem prejuízo da qualidade e funcionalidade».
 
Ao que o SOL apurou junto de um responsável do atelier de Carrilho da Graça, estão em causa alterações «pontuais» e funcionais nalguns espaços do edifício, relacionadas com a compartimentação e infra-estruturas técnicas. E a previsão é que o projecto esteja finalizado no fim do primeiro trimestre de 2013. Depois, o arranque dos trabalhos no terreno dependerá da APL.
 
O modelo de exploração do futuro terminal de cruzeiros ainda está em estudo. E, segundo a APL, «será objecto de definição pela tutela proximamente». Questionado pelo SOL sobre este projecto, o Ministério da Economia, que detém a pasta dos portos nacionais, não respondeu.
 
Turismo anseia pela obra
 
Com a actividade cruzeiros a navegar de vento em poupa em Lisboa, a rápida conclusão do terminal de Santa Apolónia é um anseio das empresas e entidades turísticas. Encaram o futuro equipamento como fundamental para o crescimento desta área de negócio. E, por isso, o atraso na sua execução tem sido visto com alguma preocupação.
 
Mas a APL desvaloriza. «A actual conjuntura nacional e internacional obriga-nos a efectuar um constante ajustamento aos objectivos traçados. A médio e longo prazo, não cremos que os objectivos traçados, como a forte aposta no crescimento do segmento de turnaround [cruzeiros que começam e/ou acabam na cidade] estejam a ser postos em causa», contrapõe.
 
Em 2013, a gestora portuária prevê que o turismo de cruzeiros continue a aumentar, antecipando um aumento de 10% no número de escalas – esperam-se 348 – e de viajantes, que deverão totalizar 556 mil. A tendência de subida tem vindo a registar-se, pelo menos nos últimos cinco anos, com um crescimento médio anual de 14% dos cruzeiristas que passam pela capital do país. Evoluíram de 270 mil em 2006, para mais de 500 mil, no ano passado, volume que representou um recorde no Porto de Lisboa, ao ultrapassar o meio milhão de passageiros, num total de 330 escalas de navios.
 
Já este ano, voltaram a superar-se números. No primeiro semestre – quando nove navios escalaram pela primeira vez no porto da capital – o volume de passageiros nas embarcações cresceu 14%, para mais de 230 mil, face ao mesmo período de 2010. E houve 147 escalas (+5%). Até ao final de 2012, estão previstas um total de 322 – já descontando as que foram afectadas pela greve nos portos – e 522 mil passageiros em Lisboa.

 

http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=465308

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.