Jump to content
Arquitectura.pt


Dreamer

Projecto de arquitectura de interiores...

Recommended Posts

Pessoal, mais uma vez estou aqui para pedir a vossa ajuda... Desta vez tenho a possibilidade de fazer um projecto de um arranjo de interiores de um espaço comercial. Como ainda é apenas uma possibilidade, não sei para que área de actividade é que o espaço se destina, mas também não é isso que neste momento me preocupa... O que eu preciso de saber é onde se arranja uma tabela de remunerações para este tipo de projectos, porque penso que não se aplicará a tabela "normal" dos projectos de arquitectura, ou será que estou errado?... mas se assim for, como calcular o valor de obra de um projecto deste tipo?... quais os valores normalmente aplicados por m²?... sendo um pouco mais ousado (porque estou completamente a leste em relação a este assunto), quanto é vulgar cobrar-se pelo projecto/m²? Obrigado desde já... :)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não venho responder à tua questão mas partilhar a tua dúvida. Também tenho a possibilidade de fazer um trabalho de design de interiores de uma habitação. Para já o que fiz foi estimar os custos fixos... principalmente deslocações que serão muitas neste caso, de resto tou às cegas....

Share this post


Link to post
Share on other sites

O problema é mesmo conhecer um valor médio de "construção de interiore", sabendo que necessariamente pode variar muito... Mas se em contracto (baseado na aplicação da tabela de arquitectura) estiver prevista a actualização dos honorários, quer o valor de obra suba, quer desça, acaba por não ser tão problemático... mas é sempre complicado não conseguir falar com o cliente em parâmetros mais ou menos certos...

Share this post


Link to post
Share on other sites

- Construção Tradicional betão/alvenaria e afins tem um custo estimado entre os 600 Euros/m² +/-. (mas pode variar muito para menos como para mais) - Construção em LSF 700 Euros/m² +/-. - Em madeira, entre 500 a 600 Euros/m² no máximo. -Como estamos a falar de interiores, projecto de estruturas e algumas especialidades deverão ser subtraidas...é tirar daí conclusões. Podes sempre ter o trabalho de fazer um orçamento ao detalhe, sem o uso estimado do m²!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Essa pode ser sempre uma solução, mas o problema é fazer a proposta de honorários com base num valor de obra... que só se vai ter uma ideia numa fase posterior... E esse valor de obra convem ser minimamente previsto para o cliente saber com o que pode contar...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Quando se trata de estabelecimentos comerciais, eu não tenho em conta o custo da obra.... faço contas ao m2 ou ao nº de horas gastas no trabalho.
Ter em conta, deslocações, tm, plotagens ( à camaras que pedem 5 e 6 cópias)...
Não tenho conhecimento de qualquer tabela... e mesmo que existisse.... o mais certo é ninguém a seguir.

Não tem a ver directamente com o que procuras, mas já percebi que estás no início e dá jeito ir vendo o que se cobra por aí...
http://www.ccdr-alg.pt/documentos/GAT/GAT_Faro_Proj_2005.pdf

Share this post


Link to post
Share on other sites

Afinal não é um espaço comercial, mas sim um escritório, num edifíco antigo, perto da estação de Aveiro. Obrigado pelo pdf Rita, mas como dizes, em relação a este caso em concreto não ajuda muito... É certo que a solução de cobrança à hora é boa, mas fico sempre com a sensação de que o cliente fica na dúvida (será que demorou realmente estas horas?), mas como relacionas o m² com o número de horas?... fiquei sem perceber... O que me disseram da ordem é que se pode aplicar a tabela como referência... é certo que poucos a seguem, ainda por cima num início de carreira em que será sempre preciso fazer "descontos" para angariar trabalho, mas como disse antes, o valor de obra depende de muitos factores, dificilmente calculáveis num estudo prévio...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Esqueces as horas (não somos tarefeiros). Tenta responder a estas perguntas. Vais intervir só no "contentor", ou no "contentor" e no "conteúdo"? Se sim a ambos, vais estudar o organograma, ou é-te dado pelo cliente? Se vais estudar os postos de trabalho, quantas pessoas terás que considerar? Se vais estudar só o "conteúdo", que tipo de mobiliário vais propor ao cliente? Vitra, Levira, Staples Office Center, ou por medida? Se for por medida, quem o desenha? Terás que coordenar muitas especialidades, ou nenhuma? (aquilo leva telefone e fax e um radiador a óleo, ou Havac, redes de voz, dados, wi-fi, segurança, domotica....) Com as respostas a estas perguntas, facilmente terás um valor estimado por m2. Determina que tipo de trabalho burocrático terás que suportar (EP, PL, e PE? Só PE, ou só um "boneco"?). Vais à tabela e aplica o(s) coeficiente(s) relativos as fases que vais efectivamente desenvolver. Não é um panorama muito animador, mas se o cliente for macaco velho, é assim que vai ser...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Obrigado pelo pdf Rita, mas como dizes, em relação a este caso em concreto não ajuda muito...
É certo que a solução de cobrança à hora é boa, mas fico sempre com a sensação de que o cliente fica na dúvida (será que demorou realmente estas horas?), mas como relacionas o m² com o número de horas?... fiquei sem perceber...


Ou aplicas um valor por m2 ou um valor por hora.... os dois não dá.
Pessoalmente uso valores por m2.
Mas isto é cada um por si.... completamente.

Clive Sinclair... quando dizes: Esqueces as horas (não somos tarefeiros). Se estiveres num qualquer atelier ou organismo do estado, com um contracto de trabalho de x horas semanais, é à hora que recebes, não tenhas dúvidas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E achas normal? Eu não. O rapaz tem hipótese de dar um orçamento para um trabalho para ele fazer, não para o "patrão" dele. Por isso, não dignifica a profissão que ele, desde logo, comece a pensar em: "bom, isto é coisa para xis horas, por isso vai ser tanto". Isto é o que fazem os desenhadores técnicos, e os instaladores de pladur... Andamos aqui a queixar-nos que não há trabalhos, mas depois temos as mesmas atitudes dos nossos "inimigos". Assim, não vamos longe.... Isto já tá a ser off-topic, melhor parar.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E achas normal? Eu não.

O rapaz tem hipótese de dar um orçamento para um trabalho para ele fazer, não para o "patrão" dele.
Por isso, não dignifica a profissão que ele, desde logo, comece a pensar em: "bom, isto é coisa para xis horas, por isso vai ser tanto". Isto é o que fazem os desenhadores técnicos, e os instaladores de pladur...
Andamos aqui a queixar-nos que não há trabalhos, mas depois temos as mesmas atitudes dos nossos "inimigos". Assim, não vamos longe....
Isto já tá a ser off-topic, melhor parar.


Tens razão quanto à última frase.
Mas o rapaz quer mudar o mundo ou quer ter uma ídeia do que realmente se faz?
Primeiro à que conhecer a REALIDADE, depois cada um faz o que entende.

Uma última coisa... nossos inimigos não, talvez teus. Não alimento ódios profissionais, nem de espécie alguma.

Dreamer: Bom trabalho e boa sorte com o cliente. Uma última dica.... orçamentos por escritos e assinados por ambas as partes.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.