Jump to content
Arquitectura.pt


Dreamer

Maior plano urbano do país nasce em Laborim (Vila Nova de Gaia)

Recommended Posts

As áreas metropolitanas são quanto a mim uma forma de tentar contornar a não existência das "regiões", uma tentativa de centralizar e organizar os interesses de uma região, infelizmente muitas vezes com os defeitos que apontas, mas também com algumas (pontuais) virtudes.

Share this post


Link to post
Share on other sites

É apenas uma leitura desta realidade e não uma opinião sobre a regionalização, até porque não consigo dizer sim ou não, sem conhecer os contornos de uma eventual nova proposta.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest Ruce

é fácil perceber esta questão da regionalização...vou tentar explicar aki da melhor maneira sem dar a entender a minha visao.. por exemplo Lisboa nao sobrevivia ( nem lisboa nem muitas outras cidades ) sem o turismo do sul e a, industria do norte..sao motores economicos de desenvolvimento do pais com grandes responsabilidades no produto interno bruto.. e a regionalização vem nesta tentativa, lutar contra a desigual distribuição de riqueza do país, onde lisboa é portugal e o resto é paisagem... entao a regionalização defende, uma maior autonomia e gestao de recursos por parte de cada regiao para evitar a centralização das potencias de um país, num só lugar.. está lançada a discussao

Share this post


Link to post
Share on other sites
obviamente que não.

curiosamente, os que mais defendem a regionalização são as pessoas "calcadas" do norte. quantas e quantas vezes não ouvi eu, termos como: "aqui matamo-nos a trabalhar e os mouros é que gastam o nosso dinheiro!" ; "o porto é que é bom, lisboa é *****" ; "aqueles fulanos não sabem gerir o dinheiro que o norte lhes dá" ; etc, etc, etc...

Ruce, a tua explicação embora boa, apenas mostrou um lado e creio que esse mesmo lado seja o da tua opinião :D és a favor.


Dizes que: " entao a regionalização defende, uma maior autonomia e gestao de recursos por parte de cada regiao para evitar a centralização das potencias de um país, num só lugar.." e eu pergunto como é que uma região como trás-os-montes (por exemplo) poderá ser autonomo e crescer por si só..

se ouvesse regionalização, de certo que cairiamos na mesma situação da nossa vizinha Espanha: anda tudo a batatada, tudo a querer ser independente, tudo a proclamar a sua lingua, nem o hino tem letra! até o pessoal da galiza prefere ser portugues a ser espanhol (se pudesse escolher)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest Ruce

ahahha dreamer... margarida, nao digas isso do zarpem, porque muitos dos que querem fugir e fujiram como o Siza, ainda hoje sao notáveis portugueses, que nao têm vergonha da lingua ou da nacionalidade, mas sim da gestão de território e pessoas, independentemente de sermos portugueses ou nao... sim tentei nao mostrar a minha opinião mas mostrei é verdade :D...e margarida, entao também podemos pensar assim...os que defendem, sao lisboetas abastados que têm um trabalho fácil e descomplicado que em qualquer outra zona do país o salário nao passaria de metade do que o seu nakela regiao... a regionalização até pode ser uma falsa partida para um desenvolvimento unitário do país..como referiste e bem o caso de trás os montes...mas acho uma melhor solução para uma descentralização de investimento de capitais (produzidos por todo o país) unicos em lisboa... agora esses nortenhos recalcados, sao akeles que produzem riqueza para o país...e que apesar disso, vêm todo o investimento a ser canalizado para lá...bem como para o porto, porque um operário nortenho do interior, uma regiao laboral que produz riqueza a serio para o país, se quiser mandar o filho estudar, este tem que ir para o porto ou lisboa...se aquela regiao produz riqueza suficiente para a criaçao de uma universidade lá, por exemplo, mas estas continuam a ir para as metropoles...eu nao lhe chamaria recalcado por defender um direito que lhe assiste... e depois nao é preciso pensar esta regionalização como algo extremo...nao vamos criar paises dentro de portugal...continuamos a ter um poder central...mas que passaria a ter responsabilidade na gestao de diferentes regioes ainda que mais individuais.. offtopic..és lisboeta nao ? xDDD

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest Ruce

e justifica-se a regionalização num país pequeno, como Portugal?


E como deveria ser a regionalização, em concreto?


nao me pagam nem é a minha intenção vir para aqui fazer politica...eu dei ideais básicos de como deveria funcionar em tópicos acima...lê os...quem anda a ganhar milhares a fazer politica é que o deveria saber, nao eu..


e já agora em vez de perguntas constantes dá a tua opinião que isso sim será util a discussao...

Share this post


Link to post
Share on other sites

as areas metroplitanas nada teem a ver com as regioes a meu ver, mas sim com a real estrutura de uma cidade, o problema e que sao tratadas com um desdem enorme, porque os municipios (e toda a legiao de pessoas que vive a custa desde agregado adiministrativo) nao querem perder o seu quinhao. o resultado e uma cidade dispersa e nao organizada, porque cada municipio continua a promover nova contrucao em ordem a conseguir mais impostos. Os problema sociais, os empregos e as empresas nao se estruturam pelas fronteiras politicas de organizao do territorio, mas sim pela relacao custo/qualidade de viver ou trabalhar em determinado sitio. O sistema actual de crescimento em mancha das nossas cidade acontece de uma forma despropositada, que se deve em grande parte ao salto e salto para uma zona cada vez mais barata, nao existe um efectivo crescimento de populacao, nem uma grande migracao do interior para para o litoral, mas sim um centro que continua a a ficar mais vazio em nome de uma especulacao imobiliaria que vai com certeza falhar, porque chegamos ao ponto em que por muito que se espere, as cerca de 500 000 casas vazias no Pais nao terao ocupacao. No entanto o estado permitiu a dispersao da populacao nas perifrias, afastando as populacoes dos servicos das zonas urbanas, gastando mais dinheiro em infraestruturas e combustivel e pondo gravemente em risco as politicas socias no que respeita a educacao. sobre a regionalizao, depende muito dos moldes, como principio de organizao do territorio, parece-me bem, como forma de organizao politico financeira (immpostos), nao.

Share this post


Link to post
Share on other sites
não sou lisboeta (obviamente!) sou alentejana. portanto, como vês, a tua teoria de que só os lisboetas abastados e blá blá é que defendem tal ideia, caiu-te por terra. até te digo mais: quando foi a votos a regionalização, foi na região do baixo alentejo que o "não" mais se fez sentir a nivel nacional.

também acho que as areas metropolitanas nada têm a ver com a regionalização. por outro lado acho esse pensamento (em torno da regionalização) embrionária e tanto o é, que após o referendo de 98, nunca mais se falou de tal coisa.

aliás é de referir que na altura rui rio votou "não" e agora (claro!!!) já se mostra a favor.

a regionalização apenas serve, na sua maioria, para servir os interesses do grande Porto e nada mais. é, digamos, uma "revolta popularuxa" contra aquilo que se chama de poder central, uma vez qe o porto´entrou em declineo economico e social.

o que não nos podemos esquecer, é que, as 5 regiões defendidas agora: norte, centro, lisboa e vale do tejo, alentejo e algarve, apenas 3 conseguiriram auto sustentar-se e mesmo assim, tenho as minhas duvidas!

na verdade, so o algarve é que estaria na maior, com a continuação do turismo que (por enquanto) é alguma coisa de jeito.. mas tudo tem um ciclo de vida....e o algarve está cada vez mais e mais saturado!

em vez de um pais, teriamos 5 regiõezinhas, sem rei nem roque, com o peito cheio de nada a gritar aos setes ventos "orgulhosamente sós!" (que bonito....)

com a regionalização, teriamos 2 poderes centrais - lisboa e porto - e as restantes regiões submetidas a qualquer coisa. no meu caso (alentejo) passaria a ser uma área só (a maior do pais) onde estaria tudo centrado para évora. agora imagina, se já é complicado ter acesso a hospitais, centro de saudes, vias de comunnicação debeis e outras coisas que tais actualmente, onde temos 3 pontoentrais - beja, evora e portalegre - diz-me lá como é que se geria esta vastissima regiao com tudo virado para evora?

é surreal!! uma das regiões mais pobres do pais (embora em vias de grande desenvolvimento) auto sustentar-se a si propria...... e estou a falar apenas de quase metade do pais.......

só para começar.. a divisão para uma suposta regionalização, está muito mal feita: metade do país seria uma so zona e a outra metade é dividia em 4 partes?! é surreal

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest Ruce

vais me dizer que nao tás a tirar o curso em lisboa...lolol quero ver entao se caiu mesmo por terra entao...deve ter caido mesmo, mas até posso alargar, a lisboetas, professores de lisboa e alentejanos sem autocritica ou capacidade de pensar além.. porque é saudável ver o abandono do estado em relação ao alentejo que tem mais investimento estrangeiro que nacional...mas vamos bater palmas ao que tem sido feito até agora por voces...á EXPO e ao tunél do marquÊs...porque como a palavra indica poder central = centro...e centro há só um, termos dois seria um horror, credo!!ver o porto com mais potencial a poder servir a regiao interior norte...a malta do interior se quiser que emigre pa lisboa... depois defendes que a regionalização nao tem nada a ver com areas metropolitanas mas preocupas te muito com uma melhor distribuição de bens gerados por todo o país a algo que se afaste de lisboa..e chamando as coisas pelo nome, regionalização... depois o rui rio nao é exemplo para ninguém a nao ser para os amigos amorins.. depois só os interesses do porto?o porto como segunda cidade, e apanhando os restos de lisboa, com muito custo está a desenvolver-se, mas o que me preocupava mais e por isso defendo a regionalização, seria o interior, e mesmo o alentejo, mas se o alentejo está bem...ainda melhor...vamos continuar lisboa capital porto 2nda cidade e o resto paisagem para estrangeiros e privados...porque realmente assim o país está se a desenvolver imenso...que o diga a população do interior... e se servisse tambem os interesses do porto? qual era o problemas de alternar mos um bocado e tentar mos por o porto ao nivel de lisboa...o problema é real para o poder lisboeta, mas para o país nao vejo problema...agora se é aquilo que te fazem pensar que sabes...tenho pena de ti... e diz me lá qual é o problema de em vez de 1 poder central termos 2? e é engraçado chamar se a isto "popolaruxo" porque nós arquitectos somos a elite nao é?somos tao inteligentes e bem formados que o resto é popolaruxo.. as três classes que conheces deve ser Ricos, Arquitectos e Zé povinho AKA popularuxos, ainda por cima chatos, por reclamarem ao verem a riqueza do país a ir para lisboa...nao sou arquitecto, chama-me povo que eu gosto... e acho engraçado pensares que lisboa é autosustentavel...diz me aonde produzem riqueza, para Expos, para se candidatarem ao campeonato mundial de vela, e para terem buracos como o tunel do marquÊs... o alentejo só é pobre, porque durante estes anos todos de expos e campeonatos europeus, nunca houve preocupação e visão do potencial que aquela regiao pode assumir, pelo menos por parte dos portugueses, porque os espanhois estão lá bem...se nao poderiam ser dadas as condiçoes a praticas que tornariam a região autosustentavel, capaz de se gerir de uma forma autonoma....mas como o dinheiro nao chega para tudo, para já investe-se em lisboa...achares bem o poder central daquela maneira é ridiculo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ainda não se percebeu que as cinergias deveriam direccionar-se para a efectiva reabilitação das cidades e que não é o momento para expandir as já desmesuradas áreas metropolitanas -ainda que a pretexto do potencial dos interfaces. Isto acontece por falta de politicas concertadas e porque os Srs presidentes das Câmaras se degladiam em função de proventos politicos. Assim nunca teremos áreas fortes, massa critíca e cidades com sentido social e comunitário.:) Será bom para quem?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.