Jump to content
Arquitectura.pt


Cinaminaminamina

Diário Gráfico para quê ?

Recommended Posts

Le Cobusier... não desenhava nada, por isso acho que um bom arquitecto não precisa de desenhar bem...

Claro que saber desenhar é sempre bom nesta profissão...


Eu se vir um espaço através de uma foto não tem o mesmo efeito em mim se tiver lá estado a desenhá-lo! A mesma coisa acontece quando projectamos para um espaço, senão virmos o espaço, e não fizermos dele uma interpretação à nossa maneira, com um caneta e uma folha não temos uma percepção "correcta" daquilo que o espaço é para nós e daquilo que queremos projectar para lá. Pelo menos é do que eu me vou apercebendo. Por isso ainda duvido que quem não tenho uma boa mão para o desenho consiga ser bom arq. Se não se consegue exprimir através do desenho, não será em CAD que o conseguirá fazer.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu se vir um espaço através de uma foto não tem o mesmo efeito em mim se tiver lá estado a desenhá-lo! A mesma coisa acontece quando projectamos para um espaço, senão virmos o espaço, e não fizermos dele uma interpretação à nossa maneira, com um caneta e uma folha não temos uma percepção "correcta" daquilo que o espaço é para nós e daquilo que queremos projectar para lá.

a questão é: é possivel perceber um espaço fotografando-o, mas no verdadeiro sentido da palavra e não desatar a disparar a maquina p td quanto é canto! mas realmente nada bate o desenho nesse aspecto;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ouvi em tempos que quando se fotografa, a imagem não fica na memória com a mesma intensidade com que fica quando se desenha, ou até mesmo quando apenas se contampla o alvo da nossa visão...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Le Cobusier... não desenhava nada, por isso acho que um bom arquitecto não precisa de desenhar bem...

Claro que saber desenhar é sempre bom nesta profissão...


Dá um exemplo em que alguém desenhe bem, para ti? :D

Gosto imenso do modo de desenhar do Le Corbusier. Não o que representas, mas o que absorves...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ouvi em tempos que quando se fotografa, a imagem não fica na memória com a mesma intensidade com que fica quando se desenha, ou até mesmo quando apenas se contampla o alvo da nossa visão...


Isso é porque as novas tecnologias levam a que as pessoas tirem 800 fotografias num abrir e fechar de olhos...

Há que saber observar para além daquilo que se vê... e é nessa altura que fica registado na nossa memória.

Share this post


Link to post
Share on other sites
A meu ver um diário gráfico é uma pista after-hours de todo o processo criativo de algo que queremos criar ou apenas tornar presente aos nossos olhos... Como uma base que deposita o "extrude" das nossas reflecções, duvidas, observações e inquietações.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Imagem colocada

O Diário Gráfico torna-se importante no pensamento de ideias de um projecto ou de um surgimento de algum pormenor que ache interessante. Eu uso o diário gráfico para pôr no papel as minhas ideias para o projecto da altura, desenhando espaços, os porquês... os desenhos podem transformar-se num pleno 3D só que bem mais rápido que um render! *

Share this post


Link to post
Share on other sites

hummm, parece que o motivo que me levou a ter um caderno sempre ao pé(ou a mão) foi meramente uma questão prática: andava sempre a escrevinhar em papeis avulsos e folhas para experimentar ali e naquele exacto momento uma ideia qualquer q me ocorresse para resolver um projecto, testar uma proposta- nesse aspecto acho q a ligação desenho/pensamento é muito directa, quase como moldar a ideia; o problema é q registava as ideias no bilhete do barco, ou no verso de um talão... depois punha no bolso e oopsss... perdia, ia para a máquina de lavar etc. Vários colegas usavam os cadernos, os tais clássicos de capa preta, e pareceu-me excelente ideia seguir o exemplo e passar a andar c um, de formato pequeno. É um bocado desorganizado porque continuo a escrevinhar em bocados de papel e ter de colá-los nas folhas do caderno e depois aparecem listas de supermercado lá pelo meio, e uma data de aniversário ou uma consulta... e ainda é frequente esquecer-me dele a marcar um catálogo ou deixo-o no casaco que usei na véspera...:). Enfim, é uma forma de tentar controlar o processo de concepção mas ás vezes tem a aparência de diário de serial killer, :D.

Share this post


Link to post
Share on other sites

acrescento que é raro desenhar algo que já exista, não resisto a tirar fotografia, talvez por uma questão de comodismo. esta página que anexo é um exemplo dos menos conflituosos, as restantes são mais anárquicas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O diário gráfico, aqui chamada de caderno de rascunho :D, é definitivamente algo muito especial, funciona como uma espécie de portfólio criativo da pessoa. Diz muito sobre o indivíduo da forma mais interessante, me agrada muito folhear um diário gráfico alheio.

Muito bom Fábio e Aaliz.:clap:


quando puder jogo imagens direto do meu sketch book




Share this post


Link to post
Share on other sites

muito obrigada André Moraes, não sei se terias a mma ideia se visses outras páginas do diário gráfico completamente desorganizadas e confusas...x(. A propósito dos teus croquis, utilizas q meio para fazer o sombreamento? é soluvel em água? Concordo q o diário gráfico é revelador do percurso pessoal e do processo criativo, do evoluir da ideia até ao projecto final.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bem, registei-me hoje no FORUM e deparei-me com esta longa discussão Desenho VS CAD. Confesso que não li as opiniões de toda a gente, mas já li as bastantes para deixar uma posição. No meu curso, atiraram o CAD para as mãos no 1º dia de aulas e desde aí nunca mais parei. Não faço projecto em CAD, mas conheço colegas que o fazem brilhantemente, simplesmente porque conseguem mecanizar de tal forma o desenho nas suas cabeças que se torna bastante fácil transpor directamente para o desenho rigoroso (CAD). Normalmente todo o meu processo de pensamento arquitectónico passa pelo esquiço. Não tenho um caderno dedicado a isso, pois para mim tudo funciona como diário gráfico (talões das compras, bilhetes de autocarro, areia da praia, arroz no prato, etc). Não sou do género de desenhar compulsivamente tudo o que vejo, nem de fazer abordagens aos espaços de projecto através de desenho (dedico-me à fotografia nesses casos). Mas no acto de projectar desde a implantação do projecto até à sua execução, tudo vai com o belo do desenho. Como alguém já disse por aí, são metodologias de trabalho. Na minha opinião andamos 5 anos num curso e muitas vezes saímos sem uma. Mas independentemente de qualquer que esta seja, não deve ser julgada por outrem se daí resulta boa arquitectura.

Share this post


Link to post
Share on other sites

andré moraes, como estou em duvida pergunto... qq uzas como riscador?


muito obrigada André Moraes, não sei se terias a mma ideia se visses outras páginas do diário gráfico completamente desorganizadas e confusas...x(.
A propósito dos teus croquis, utilizas q meio para fazer o sombreamento? é soluvel em água? Concordo q o diário gráfico é revelador do percurso pessoal e do processo criativo, do evoluir da ideia até ao projecto final.


Para os croquis eu sigo os conselhos de bons artistas, me livrei das lapiseiras (ai se fala assim também?) ou automatic pen :D e uso bons lápis de grafite de diferentes graus: F, 2B, 4B, 6B, 8B e mephisto.. prefiro os Koh i nor, os sombreamentos são todos feitos à lápis, nos desenhos mais bem acabados uso esfuminho (nesses ai só passei o dedo).

acho que o segredo para um traço mais agradável é trabalhar com lápis mesmo, bem afiados à lâmina :rambo:

fica a dica de uma dica http://youtube.com/EclecticAsylumArt

no canal desse cara ele tem uns videos chamados Learn to Draw Portraits... ele da umas dicas ótimas quanto aos lápis ;)



Machado de Assis sorrindo :) nunca vi... isso é um estudo que fiz durante a aula para um mais bem acado em A3 que estou fazendo para uma professora de literatura. Aqui variei.. usei caneta BIC preta.. lápis 2B e caneta preta de escrever em transparência (ou em cd).:happy:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bem, registei-me hoje no FORUM e deparei-me com esta longa discussão Desenho VS CAD.... não deve ser julgada por outrem se daí resulta boa arquitectura.


Primeiro.. seja bem vindo(a):D não deixes de participar das discussões.

Levantou um ponto importante, não se deve julgar o talento para projetos pelo talento para a arte.. os métodos são variados sim. Lápis, cad, corte e colagem, papel higiênico grudado no teto.. cada um encontra a melhor maneira de se expressar e criar. Eu não entendo lhufas dos estudos de formas que a Zaha Hadid faz :) mas o resultado final impressiona.:icon14:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.