Jump to content
Arquitectura.pt


JVS

O Ultimo Filme que Vi

Recommended Posts

Cosa_Nostra essa Expo é so para 'star wars addicts' :) E eu fui um dos que fez 600km para ir ver a expo logo quando ela abriu (e aproveitei para ver Tool) ;)
Quem não conhece o espirito da 'coisa' não tem interesse ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Isso é que é um excelente apelo à cultura... abrir o Museu da Electricidade com uma exposição do Star Wars com entrada a 10€... Faz lembrar os museus em Amsterdam que pediam 15€ de entrada (sem qualquer tipo de desconto)... Obviamente não fui a uns 3 ou 4 que gostava de ter ido... ... ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ainda ontem o meu professor de arq. teórica falou nesse filme e tb falou na exposição do Star Wars que está no Museu da Electricidade mesmo ao lado da minha universidade. Fomos ver a expisoçao, pagamos 10 euros e não valeu a pena!!! Será k esse filme é bom? LOL



Essa exposição está brilhante!!! Simplesmente fantástica!!! O museu da electricidade parace-me um espaço óptimo para o tema, o escuro, os corredores estreitos... Até poderia parecer que estavamos numa galaxy far far away!! E só de pensar que estamos frente a frente com objectos que foram utilizados nos filmes...:nervos: Agora os filmes não são bons, são óptimos!! Os três inicialmente feitos, nos anos de 1977, 1980 e 1983, são filmes com uma visão futurista que é uma coisa parva! Não tenho duvida alguma que George Lucas, a mente brilhante criadora de um mundo fantástico, é um homem extremamente inteligente, e com uma criatividade só vista. Os filmes estão carregados de efeitos especiais, e só o gozo que dá ver efeitos especiais daquele tempo já merece tirar uma tarde para ver os filmes. Depois segue-se a triologia que foi feita mais recentemente (1999, 2002 e 2005) que já vem carregada de efeitos especiais recentes, o que só tornam melhor uma saga que só por si é brilhante. E sem esquecer a complexa trama que une os seis filmes da saga...

Não imagino como é que alguém por mais céptico que seja não consiga tirar o chapéu a todo o conceito de Star Wars. :winner:

Share this post


Link to post
Share on other sites

E ainda digo mais! Quando vi o 'linha', do expresso da semana passada, com a reportagem sobre cozinhas de futuro, lembrou-me esses cenários dos primeiros filmes!

Share this post


Link to post
Share on other sites

por acaso um filme de animação excelente que eu vi foi o "Corto Maltese: La Cour Secrète des Arcanes" está muitissimo bem feito!!


Também vi esse filme, há algum tempo já. Adorei de facto. Na altura escrevi um pequeno comentário pessoal que já agora recupero e deixo aqui.


Posted: Sun Feb 06, 2005 11:51 pm

Corto Maltese: La cour secrète des Arcanes (2002)

Directed by
Pascal Morelli

Writing credits
Natalia Borodin
Hugo Pratt (graphic novel Corto Sconta dette Arcana)
(more)


Este é um dos melhores filmes de animação que eu já vi. Não sou grande conhecedor da personagem de banda desenhada Corto Maltese, embora o filme me tenha deixado definitivamente com muita vontade de ser. De qualquer maneira o filme faz um retrato fabuloso do ambiente Corto Maltese, e da personalidade enigmática, mágica e solitária do personagem de Hugo Pratt. Recria com tonalidades uniformes da cor do ambiente que se pretende as paisagens frias e por vezes cruéis da Sibéria, da Manchúria e da Ásia oriental... É um filme pleno de sensações, e mais do que isso, pleno de sensibilidade, a lembrar a animação japonesa de melhor nível que se faz hj em dia (estou a falar do "filme de arte", não de anime). As personagens são muito bem caracterizadas como indivíduos e não repetidas em série de acordo com os parâmetros estereotipados dos criadores, erro comum em muitas animações. Nesta isso não falha, aliás, pouco falha, e é um filme que me marca muito e que mostra que a animação europeia produz obras primas poderosas, e duradouras, como esta. A banda sonora também está excelente, consegue estar sempre presente mas alternando entre personagem quase principal (a cena do abate do avião, quando é utilizada música do Quebra Nozes de Tschaikovsky, ou a cena final) e servir apenas como um pano de fundo excelente ao desenrolar da acção; que por sua vez, e esta é talvez uma falha do filme, ou se calhar prova de que o filme foi de facto mais feito para quem já leu o álbum homónimo e conhece o universo Corto Maltese, se torna por vezes um pouco difícil de seguir, certos acontecimentos não são demasiadamente explícitos, o que nos faz patinar um pc por vezes. Tirando isso, é simplesmente excelente o filme.


http://www.imdb.com/title/tt0259134/maindetails



como sempre em tudo que acabo por comentar e reler mais tarde, se fosse hoje fazia diferente... mas pronto na altura achei isto ...

Share this post


Link to post
Share on other sites

realmente concordo com a tua opinião sobre o filme! Tem aqueles detalhes que o distinguem de outros filmes de animação e não é só o enredo e a história, são aspectos de representação e filmagem que o tornam único

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu acho que voces, viram muito pouco de animação até agora, desde Blood, Ghost In the Shell I e II, qualquer um deles está uns pontos acima deste em termos de qualidade visual...em termos de enredo o Ghost In The Shell não tem rival (O filme que inspirou a saga Matrix). E esta opinião, não é uma daquelas de "tem porrada e sangue, portanto é fixe..."

Para a história da animação, convém também recordar o excelente "Akira", que foi um marco na animação dos anos 80...

GITS ll

Share this post


Link to post
Share on other sites

não tinha lido os últimos comentários deste post por falha, só agora reparei.

Eu não sou um conhecedor profundo de Animé porque não a procuro muito. Reconheço a originalidade de muitas criações, e sobretudo a sua influência em muitos outros produtos semelhantes um pouco por todo o mundo. No entanto já tive oportunidade de ver, naturalmente, algumas das obras mais marcantes, e o ghost in the shell (1) é uma delas, o Akira também. Pessoalmente, no que toca a animação japonesa sou muito mais Miyazaki, sem retirar valor à Manga. Já no que toca a o ghost in the shell ter inspirado a saga matrix eu acho q isso pode ter alguma verdade mas não toda e não a verdade principal. Evidentemente há uma forte influência da animação japonesa no tipo comunicação visual que o Matrix adopta, e nesse sentido as obras fortes japonesas servem sempre de referência. Mas para mim o essencial do Matrix é o conceito do mundo artificial onde todos vivemos sem nos apercebermos... aquilo que todos provavelmente saberemos porque já o vimos. E essa ideia, tomada como sendo o verdadeiro interesse do Matrix, não é ghost in the shell nem nenhuma outra animé. Essa sai copiada directamente e sem grandes adaptações de um filme praticamente desconhecido do grande público. O filme é de 1973, chama-se "Welt am draht" e foi realizado por um dos meus realizadores favoritos, o alemão Rainer Werner Fassbinder. Para verem, esta é a sinopse do filme como está no imdb:

Somewhere in the future there is a computer project called Simulacron one of which is able to simulate a full featured reality, when suddenly project leader Henry Vollmer dies. His successor Dr. Fred Stiller experiences odd phenomena. A good friend, Guenther Lause, disappears in the middle of a conversation and a week later nobody has ever heard of him. And those fits of dizzyness - Stiller cannot believe himself to be fool. There has to be an explanation for all this. Could Simulacron have something to do with it?


lembra alguma coisa? quando virem o filme vai lembrar ainda mais.

http://www.imdb.com/title/tt0070904/ (link do filme para o imdb)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vi o filme no outro dia na SIC. No Cinema gostei. Mas no outro dia nao gostei. Nao gostei da rapariga. Existe nela uma certa arrogancia elitista intelectual. Considerava os outros menos cultos. Nao gostei.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sou completamente viciada em filmes, chegando ao cumulo de ver 3 e 4 de seguida... ( c intervalos para comer, ir ao WC, beber agua, etc.. )

O ultimo q vi, foi o "Lucky Number Slevien" ( em tuguês mt mal traduzido, "Há Dias de Azar" ) grande filme..

"Pecado Capital" no mesmo dia.. filme interessante!!

E ainda no mesmo dia... (era mais de madrugada), Syriana.. ( nao mt recente, mas ainda nao tinha visto..)

Filme Favorito: "Amor Cão" BRUTAL :icon_peace:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Alguém já viu o Babel?? O ultimo filme de 2006, com entrada directa para nomeação a Oscar, com triplo murtal encarpado atrás com saida á rectaguarda.. 10 pontos!! Um Must See

Share this post


Link to post
Share on other sites

Asimplemind, é Crack mesmo... porque se fosse o Crash não dizia assim mal dele...

É a "fabulosa" história de um gajo a quem é injectado um veneno que lhe influência o sistema nervoso central... e para subreviver tem de manter os níveis de adrenalida no máximo... até que no fim do filme... bem é melhor não contar...


pequena correcção :p o nome do filme é Crank
ainda não o vi mas tenho que ver, visto que gostei da maior parte dos filmes com o Jason Statham.
O ultimo filme que fui ver foi o Eragon ... tá giro e tal (tendo em conta que a história veio da cabeça de um puto de 17 anos - agora com 22), mas sinceramente estava à espera de melhor.

O Babel também mal posso esperar para o ver

Share this post


Link to post
Share on other sites

Babel achei a história um bocado parada para meu gosto, mas em termos visuais é muito bom. Gosto muito do estilo do inarritu. Crank gostei porque tinha um certo humor e porrada. Não engana ninguém mas nada para rever! Agora tenho aqui para ver o Brick que já é de 2005 mas ouvi falar muito bem dele. Outro filme independente que vi e gostei muito fui Kisses and Camrons.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Apocalypto Vi hoje o filme e parece o Rapa Nui mas passado na Civilizacao Maia. O mais interessante e que depois de muitos sacrificios houve um eclipse e depois comecou a chover e vieram os espanhois e mataram-nos a todos... :) Um filme que da que pensar relativo a civilizacoes que auto-se-destroem por dentro quando comecam a sacrificar os proprios da mesma para sobreviverem. Actualmente vemos a Civilizacao Islamica que sacrifica alguns membros por uma civilizacao que esta em metamorfose... o Japao que aniquilou os seus membros numa Guerra que perdeu levando a destruicao a Civilizacao Japonesa do Samurai...

Share this post


Link to post
Share on other sites

"Um Homem contra Deus"
Vale a pena ver! Um filme muito inteligente! De princípio ao fim tudo é pensado a pormenor, todos os comentários, todos os argumentos.


Titulo Original : The Man Who Sued God
Realização : Mark Joffe
Actores : Billy Connolly, Judy Davis, Colin Friels, Wendy Hughes, Bille Brown, John Howard
Categoria : Comédia
Ano : 2001

Share this post


Link to post
Share on other sites

Babel achei a história um bocado parada para meu gosto, mas em termos visuais é muito bom. Gosto muito do estilo do inarritu.


Vi o filme ontem. Este filme e um somatorio de caracteristicas vanguardistas e com temas e cenas tabu exibidas de uma forma muito banal. E um filme do sec XXI que revela ja os proximos filmes da decada '10.

Nos trailers que dao antes do filme ha um filme que achei curioso pela fotografia e pela forma como ele e filmado. Faz-me lembrar os filmes portugueses. Vejam o trailer e digam se ja nao viram aquelas cenas muito paradas no cinema portugues?


http://www.youtube.com/watch?v=MxJGccZxz9Q
http://www.youtube.com/watch?v=MxJGccZxz9Q

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vejam o trailer e digam se ja nao viram aquelas cenas muito paradas no cinema portugues?



Grosso modo, podemos dizer que existem dois tipos de cineastas: os narradores e os poetas.
Os narradores são aqueles que desejam contar hstórias, que não têma na cabeça uma visão do mundo particular, que não sentem ter mensagens específicas a transmitir, mas que, pelo contrário, desejam dar uma forma particularmente atraente às histórias criadas pelos oturos. São praticamente obrigados a interessar-se apenas pela forma, e devem fazê-lo de maneira muito aprofundada

[...]

Os poetas são aqueles que possuem uma visão do mundo, e que procuram transmiti-la. Acontece que, muitas vezes, estes "poetas" (utilizo esta palavra já que não encontrei uma melhor) possuem igualmente dons narrativos, o que é formidável. Mas, desde que um narrador acabe por ter uma Visão do Mundo, passa obrigatoriamente a enquadrar-se na categoria dos poetas.
Podemos dizer que, no cinema, a priori, o poeta é mais nobre do que o narrador. Mas, ao mesmo tempo, os piores filmes da história do cinema foram feitos por poetas, pois uma grande parte dos elementos - como a Dramaturgia - geralmente lhes escapa

in Como fazer um filme, Claude Chabrol, Edições Dom Quixote


O Claude Chabrol, já agora, é um dos nomes importantes menos conhecidos da chamada nouvelle vague francesa, liderada por pessoas como JL Godard ou F Truffaut.

O plano longo e a câmara fixa não são exclusivos do cinema português e nem sequer são tão característicos como é ideia comum, quando se considera "Manoel de Olveira" o cinema português. É no entanto verdade que, em geral, os cineastas portugueses procuram mais ser poetas do que ser narradores e, como refere Chabrol, quando corre mal, corre mesmo mal. Não sei o que esperar deste filme, Little Children, a não ser que pelo trailer, recordou-me talvez um Hitchcock, com a câmara a reverter em favor de uma suspensão ou retardar da acção. Não me pareceu poesia, que associo a um Tarkovsky, Kar Wai ou, sim, Manoel de Oliveira, que já agora é um cineasta que aprecio imenso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Claude Chabrol, já agora, é um dos nomes importantes menos conhecidos da chamada nouvelle vague francesa, liderada por pessoas como JL Godard ou F Truffaut.

O plano longo e a câmara fixa não são exclusivos do cinema português ...


Quando escrevi o texto lembrei-me de uma frase de um estudante de arquitectura que afirmou citando alguem que nao havia Cinema Portugues, nao havia Teatro Portugues e tambem nao havia Literatura Portuguesa... estaria ele a dizer uma asneira ou uma verdade sobre a cultura em Portugal?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois, essa é uma questão debatida, e nem é só em relação a dias que correm, mas em geral, relativamente a todos os tempos. A minha opinião pessoal é. Se há escritores, dramaturgos e cineastas em Portugal a escreverem livros, peças de teatro e a realizarem filmes, então há literatura, teatro e cinema português... Há autores? Criadores? então há obra. Se fazem todos igual, se pertencem a uma "escola", não interessa... Hoje em dia um pouco por todo o lado há autores não há escolas... e é isso que interessa. Por isso, cada filme é um filme, não há que enquadrá-lo... Se vejo um filme português manifestamente mau ou bom, isso não diz absolutamente nada da qualidade ou características do próximo... No entanto, este que vi e o próximo que verei são ambos cinema português.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Hoje foi ver o Babel. É um filme estranho. Muito estranho. De uma grande violência, nem sempre necessária. Bastantes momentos mortos, nem sempre necessários. Há bastantes coisas no filme que não se compreendem. Não deixa de ser um filme que nos toca bastante, ou pela positiva ou pela negativa. Definitivamente é daqueles filmes que não deixa niguem indiferente. Ou se ama ou se odeia. O meu problema é que ainda não percebi se o amo ou se o odeio.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.