Jump to content
Arquitectura.pt


JVS

Estádio 1.º De Maio Classificado Como Monumento De Interesse Público

Recommended Posts

Económico com Lusa  
03/01/13 18:39

 

O Estádio 1.º de Maio, em Braga, foi um dos sete conjuntos arquitectónicos daquele distrito classificados como monumento de interesse público, por portarias assinadas pelo secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier.

Em relação àquele estádio, a portaria fixa ainda a zona especial de protecção (ZEP), que engloba todo o Parque da Ponte, para valorizar e salvaguardar a envolvente paisagística.

Segundo a portaria, agora publicada em Diário da República, aquele estádio destaca-se "pelo seu intrínseco valor arquitectónico e carácter simbólico, cujo significado é fundamental para uma leitura mais abrangente do contexto histórico-político do Estado Novo".

A portaria salienta ainda o "ponto de vista da memória colectiva" reflectido naquele estádio. O 1.º de Maio tem planta simétrica, numa estrutura em granito e betão armado, com bancadas descobertas em torno do campo central, envolvido por pista de atletismo.

Nas partes laterais da entrada, tem dois painéis de bronze, em alto-relevo, atribuídos ao mestre Barata Feyo. Em volta do edifício existem diversas entradas com portões de ferro gradeados e decorados com figurações de temática desportiva.

Na porta da tribuna, sobressai a "notável" moldura em cantaria de granito com folhas de louro em relevo. Antiga casa do Sporting de Braga, aquele estádio foi inaugurado em 1950, tendo sido desenhado pelo arquitecto João Simões.

No distrito de Braga, foram classificados como monumentos de interesse público mais seis conjuntos, entre os quais o Santuário de Nossa Senhora do Bom Despacho, em Cervães, Vila Verde.

Aquele conjunto é constituído pela igreja, sacristia, edifício anexo, as capelas dos Passos e o espaço com forma rectangular onde existe uma via-sacra e oliveiras.

A mesma classificação foi atribuída à Casa e Quinta de Castro, também denominada Castelo de Castro, em Carrazedo, concelho de Amares.

Trata-se de um exemplar da arquitectura civil nobre edificada em ambiente rural, tendo entretanto a torre, construída em meados do século XIV, sido adaptada a habitação.

Em Esposende, foi classificada a Casa Dr. Fernando Ribeiro da Silva, também conhecida por Casa de Ofir, projectada por Fernando Távora em 1957.

"A sua interpretação dos valores e expressões modernistas 
confere-lhe uma importância incontornável na história da arquitectura portuguesa do século XX", refere a portaria do secretário de Estado da Cultura.

Também em Esposende, foi classificada a Casa das Marinhas, 
construída em 1953, com base num projecto da autoria do arquitecto Viana de Lima.

O espaço, desenhado e construído como residência de férias, apresenta referências "aos princípios da arquitectura do Movimento Moderno".

A Casa da Margaride, em Mesão Frio, Guimarães, e a Casa do Forno, em Cabeceiras de Basto, foram os outros edifícios classificados no distrito de Braga.

 

http://economico.sapo.pt/noticias/estadio-1-de-maio-classificado-como-monumento-de-interesse-publico_159479.html

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.