Jump to content
Arquitectura.pt


Connecty

Situação Financeira Muito Grave Na Faculdade De Arquitectura Na Univ. Técnica De Lisboa

Recommended Posts

Situação Financeira Muito Grave Na Faculdade De Arquitectura Na Univ. Técnica De Lisboa

O reitor da Universidade Técnica de Lisboa admitiu hoje que o risco de execução orçamental na Faculdade de Arquitectura é muito grande, podendo chegar a meio do ano sem dinheiro para salários, mas manifestou confiança na continuidade da escola.


Em declarações à agência Lusa, António Cruz Serra recordou que tomou posse há pouco tempo e que o presidente da faculdade só foi empossado na semana passada, pelo que está ainda a ser avaliada a real dimensão do problema.


«É óbvio que temos um risco de execução orçamental muito grande e é possível que cheguemos a meio do ano sem capacidade de pagar salários, a situação é muito difícil», assumiu.


Questionado sobre o eventual encerramento da faculdade, hoje noticiado pelo jornal SOL, manifestou-se confiante de que será encontrada uma solução.


«Estamos a sensibilizar o ministério para o problema e a tentar arranjar soluções», afirmou.


Segundo Cruz Serra, o nível de despesa nesta escola da Técnica, além dos custos de pessoal, já é baixíssimo.


«Uma das incertezas que tenho sobre a avaliação da situação é que acho que o nível de despesas correntes já é demasiado baixo para ser verdade», acrescentou.


Para o reitor, que tem uma equipa a trabalhar «em força» nesta questão, o único instrumento que aparentemente ainda pode ser utilizado para reduzir despesa é a não renovação de contratos com os professores convidados.


Questionado sobre o número de contratos a não renovar, indicou apenas que terá de ser aquele que permita a sustentabilidade da faculdade.

«Aquilo que precisamos de demonstrar é que, em regime permanente, a faculdade é sustentável porque o que nós temos aqui é um problema orçamental, é mais do que um problema de tesouraria», especificou.


De acordo com Cruz Serra, a execução mensal é actualmente negativa, o que resulta de vários factores: «O mais importante é a descida do Orçamento do Estado, todos os anos desce o OE e isto um dia não dá, não é?».


O reitor tranquiliza, no entanto, os alunos, dizendo que o encerramento da faculdade «não há de acontecer».


A Lusa contactou o Ministério da Educação e Ciência, mas não obteve resposta.


Lusa/SOL


In SOL

Share this post


Link to post
Share on other sites

A reunião que houve, convocada pela Associação de Estudantes da Faculdade, onde a presidência foi esclarecer toda esta situação com os alunos encheu o "Cubo" como eu nunca tinha visto. Foi uma reunião bastante esclarecedora, o sr Presidente e demais professores dos órgãos executivos da faculdade foram até bastante claros, e houve diálogo, troca de ideias... acho que foi bastante positivo, apesar de se ter feito, digamos, um "ping pong" de acusações de parte a parte, que eu acho que é normal em situações destas, e que é necessário para se perceber melhor o que deve ser feito no presente. Já houve bastantes alterações, as mais visíveis são ao nível dos Professores (sairam pelo menos 36), e consequentemente, também ao nível da lista de optativas... Não acredito minimamente (aliás acho completamente impossível) que a FA UTL "caia".

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.