Jump to content
Arquitectura.pt


Arquitecto35

Quem aprecia os projectos de Arquitectura em Espanha?

Recommended Posts

Gostava de levantar este tema aqui neste presado forum, para talvez despertar qual a diferença profissional entre um Arquitecto Portugues em Portugal e um Arquitecto Espanhol em Espanha, lembrei-me só porque é o nosso unico vizinho lado a lado... alguem tem alguma informação sobre como funciona e já agora poderá fornecer a fonte da sua informação. Sei que em Portugal existe dois tipos de Arquitectos, o que aprecia o projecto, ou seja, o funcionario da Camara que é dotado da razão pois não erra, logo não é avaliado, senão não estaria a apreciar projectos. E existe o outro que é aquele que elabora projectos que submete os mesmos junto das entidades licenciadoras, que não é devidamente competente ou é maroto tenta enganar as ferramentas do Ordenamento do Territorio, embora lhe seja exigido o seu termo de responsabilidade, que ainda não consegui perceber bem qual a responsabilidade?! isto porque se não é aprovado... não prejudicou a sociadade, se foi aprovado a responsabilidade é transferida para a edilidade... Gostava levantar as vossas opiniões caros colegas...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Por aquilo que sei é a própria associação profissional (colégio) que é responsável por avaliar os projectos dos seus associados. Por outro lado existem também as avaliações realizadas por OCT's (organismos de verificação técnica) a pedido das seguradoras que realizam o chamado "seguro decenal".

Share this post


Link to post
Share on other sites

dotado da razão

Nunca vi a arrogância ser tão mesclada com estupidez... O funcionário da Câmara... Arquitecto... dotado da razão, só falta dizer, que provavelmente o Mundo gira em torno dele... o sol dos nossos dias, portanto.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A Câmara de Torres Vedras, é o sol dos meus dias, várias vezes ao dia, passo por lá e digo para mim próprio:

Este sítio, está dotada de razão...

Depois de orbitar em torno da CM de Torres Vedras, estaciono, saio do carro... passo pelas pessoas no meio da Rua, aponto para a CM de Torres Vedras e digo, "este sítio, está dotado de razão..." as pessoas, abanam a cabeça, condescendem, respiram fundo e dizem em surdina:

Coitado do rapaz... perdeu o Juízo!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sei que em Portugal existe dois tipos de Arquitectos, o que aprecia o projecto, ou seja, o funcionario da Camara que é dotado da razão pois não erra, logo não é avaliado, senão não estaria a apreciar projectos. E existe o outro que é aquele que elabora projectos que submete os mesmos junto das entidades licenciadoras, que não é devidamente competente ou é maroto tenta enganar as ferramentas do Ordenamento do Territorio


Passando a ironia, o que diz só demonstra uma enorme ignorância sobre a relação entre arquitectos camarários e arquitectos projectistas. Já conheci técnicos camarários extremamente competentes que tudo tentam para resolver os problemas levantados pelos processos que analisam e outros que nem deviam ser autorizados a chegar-se ao pé de um processo. Também já conheci arquitectos projectistas que nem deviam estar inscritos na Ordem, tal é o grau de irresponsabilidade e incúria e que, sim, tentam enganar as Câmaras informando mal processos ou arranjando expedientes manhosos para não se detectarem os incumprimentos à lei, e outros que em cada projecto tentam respeitar as regras com bons projectos e um cuidado extremo em tudo o que apresentam.
E digo isto sendo eu projectista.
Cuidado com as generalizações....
Quanto ao termo de responsabilidade, deixe-me só dar-lhe um exemplo: um arquitecto entrega com uma comunicação prévia para umas obras simples num apartamento os termos de responsabilidade de autor e coordenador . Em fase de obra decide o arquitecto fazer alterações que deviam estar sujeitas a licenciamento, como alterações na estrutura, só que estas não estão bem acondicionadas e levam a que haja problemas nos pisos adjacentes.
O que acontece? Obra embargada e processo de contra-ordenação (ou queixa-crime, dependendo da gravidade do problema), com possibilidade de processo na Ordem.
É precisamente para estas situações que existem termos de responsabilidade, para responsabilizar o arquitecto perante a entidade licenciadora que se compromete a fazer o projecto entregue.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.