Jump to content
Arquitectura.pt


Márcio Ferreira

Londres | Serpentine Gallery | Jean Nouvel

Recommended Posts

today it was annouced that french architect jean nouvel has been selected to design
the 10th serpentine gallery pavilion.

the design is a contrast of lightweight materials and dramatic metal cantilevered structures.
the entire design is rendered in a vivid red that, in a play of opposites, contrasts with
the green of its park setting. the colour reflects the iconic british images of traditional
telephone boxes, post boxes and london buses. the building consists of bold geometric forms,
large retractable awnings and a freestanding wall that climbs 12m above the lawn, sloping
at a gravity defying angle. it experiments with the idea of play in its incorporation of the french
tradition of outdoor table-tennis. striking glass, polycarbonate and fabric structures create
a versatile system of interior and exterior spaces. the flexible auditoria will accommodate
the serpentine gallery park nights and marathon and the changing summer weather.

Fonte: http://www.designboom.com

Share this post


Link to post
Share on other sites

Projectos: Galeria Serpentine

Revolução Francesa em Londres

por CLÁUDIA MELO28 Março 2010

Arquitectos famosos no mundo, e sem obras em solo inglês, foram convidados por esta galeria para criarem um pavilhão de Verão nos jardins londrinos. Findo este período a obra é vendida e recriada noutro espaço.

Chegou a vez de a França ocupar os jardins londrinos do Hyde Park, operação comandada por Jean Nouvel . Depois de Sanaa (2009), Frank Gehry (2008), Olafur Eliasson e Kjetil Thorsen (2007), Rem Koolhaas (2006), Siza Vieira e Souto Moura (2005), MRVD (2004), Oscar Niemeyer (2003), Toyo Ito (2002), Daniel Libeskind (2001) e Zaha Hadid (2000) é a vez do arquitecto francês projectar em solo inglês aquele que é considerado um dos grandes acontecimentos arquitectónicos mundiais, o Pavilhão de Verão da Galeria Serpentine. Trata-se de uma iniciativa anual e única no mundo: arquitectos famosos, não britânicos, e que até à data não tenham obra em solo inglês, são convidados a projectar um pavilhão temporário que permanece no Verão no Hyde Park, nos Jardins de Kensington, ao lado da Galeria Serpentine. Finda a exposição, o pavilhão é desmontado, posto à venda e reconstruído noutro local.

O conceito do Pavilhão de Verão é promover uma exposição de arquitectura com um objecto real, que desencadeie pensamentos e debates, além de albergar eventos que a Galeria Serpentine não possa comportar. O Pavilhão funciona durante o dia como café e à noite acolhe debates, exibição de filmes e concertos. Tal como acontece nas obras de artes plásticas exibidas pela Serpentine, pretende-se que o pavilhão seja inovador e aponte novos caminhos à arquitectura.

Para celebrar o 10.º ano desta iniciativa, foi escolhido um arquitecto que procura a provocação e intensidade da experiência arquitectónica. O francês Jean Nouvel. Como tem sido corrente na sua obra, Nouvel concebeu um pavilhão que se destaca da paisagem e da envolvente, um objecto dramático e narcisista.

A partir de uma geometria complexa feita à base de planos que formam ângulos e arestas não ortogonais e, por sua vez, paredes e tectos não convencionais - alguns mesmo suspensos do solo - o arquitecto francês desafiou a gravidade e sistemas estruturais. Para tal, contou com a colaboração com Cecil Balman, engenheiro civil da Ove Arup + Partners e um dos grandes especialistas mundiais em estruturas.

Para além de imprimir dinamismo à forma, esta solução permite uma enorme versatilidade espacial, de forma a melhor acomodar todos os compartimentos necessários ao pavilhão, como sala de exposições, auditório e bar/cafetaria.

O dramatismo da forma é enfatizado pelo material e, principalmente, cor de revestimento. Feito à base de vidro colorido, policarbonato e estruturas metálicas, o pavilhão de Nouvel será totalmente vermelho. Esta cor cria um enorme contraste com o solo do parque, a verdejante relva, mas também com a Galeria existente, situada numa antiga casa de chá neoclássica construída em 1934 e adaptada às funções artísticas em 1998.

Tradicionalmente, o vermelho é a cor identificada com força, dinamismo, exaltação, que transborda vida e agitação e que se impõe sem discrição. Segundo Nouvel, o vermelho é também uma cor icónica britânica, presente em inúmeros elementos arquitectónicos como caixas de correio, autocarros e portas de edifícios.

A Serpentine é actualmente uma das galerias de Arte mais populares de Londres. Criada em 1970 por The Arts Council of Great Britain, é a única galeria pública inglesa que mantém entrada livre para exposições de arte e arquitectura. Organiza cerca de cinco exposições de arte por ano, e desde 2000, a encomenda anual de arquitectura para o Pavilhão de Verão.

in http://dn.sapo.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=1530361&seccao=Arquitectura

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.