Jump to content
Arquitectura.pt


antero guerra

Ainda a imitação da madeira

Recommended Posts

Já alguém conhece os produtos da Leais & Oliveira?.
Eu estou fascinado com a belíssima imitação de madeira que têm, feita em cimento. Aliás, não é só cimento, como a tijoleira ou as pedras de xisto.
Imagem colocada

Vale a pena dar um salto ao site deles clicando aqui e observem as mesas, bancos, a pérgola, etc.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Foleiro é dizer pouco, numa altura em que se fala tanto em sustentabilidade, este tipo de coisas não faz sentido.



Sinceramente....
Assusta-me este nacional pessimismo!
É óbvio que é a inexperiência de quem assim fala.
Estão desculpados.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E mais ainda... Foleirice é negar um produto que possui longa durabilidade, manutenção práticamente nula e que preserva a floresta. Na foto tudo é cimento. Claro que diriam que era madeira, tijoleira, etc, caso não soubessem...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Na foto... tudo é "mentira", já que a mesma é uma foto montagem.. Mas pronto, é consetânea com o material - betão a imitar madeira e barro. Caro Antero Guerra, não querendo alimentar guerras e /ou batalhas, o produto terá o seu mérito, para quem gosta... mas dúvido que tenha grande acolhimento por parte dos Arquitectos e aspirantes a arquitectos... Daí ter recebido estes comentários... O seu público-alvo são outras pessoas...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ainda bem que não acredita no que vê! Sendo fotomontagem terá o seu mérito, pelo menos! Acreditem ou não... tudo é real... feito em cimento, pois fui eu quem fez a foto. Aliás, exactamente esta pérgola, pode ser vista na empresa que mencionei. Portanto... quando digo que não há madeira nem produtos cerâmicos nesta pérgola digo-o com a convicção da verdade e porque mentiroso não sou. Mas ainda não percebi o que que há contra o cimento?! Duvida que, caso qualquer celebridade o assuma, nestas circunstâncias, vão todos atrás, no dia seguinte?... É sempre a mesma coisa. A nobreza das coisas reside naquilo que sabemos dignificar. Ponto final.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Quando se usa madeira, normalmente, tem-se um objectivo ... que para alem do aspecto visual tem sempre haver com as características técnicas da madeira. Assim sendo, não faz sentido usar imitações, pelo menos de forma aparente.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Visto que uma das componentes da arquitectura moderna é a aceitação dos materiais tal como eles são, a meu ver, esta criação não se enquadra muito no que estamos a viver agora...mesmo que seja pós-modernismo (ou que caminhemos para isso). É de vangloriar o facto da imitação estar bem feita.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Realmente a alguns entendidos deste forum falta a experiencia de ver os seus belos materiais passados 5 /10 anos da aplicação. depois queixem-se disto e daquilo. apliquem madeiras, fenolicos e decks etc em certos climas e depois voltem para ver os resultados e ai comentem. não fiquem fascinados com a "obra de arte" acabadinha de fazer, o passar do tempo é algo que tambem vive com os nossos projectos. ps costumo dar este exemplo a alguns clientes. "se vou para uma expedição, levo atum em lata....... embora goste mais do fresco. mas daqui a 1 mês quando quizer comer, sei que o posso fazer"

Share this post


Link to post
Share on other sites

o exemplo não era acerca do atum mas sim de ser fresco ou enlatado para ser mais claro, em alguns casos opto por materiais artificiais para garantir a durabilidade dos elementos mantendo o factor estético. Nos fundamentalismos dos arquitectos em muitos casos sofrem os clientes senão não usavamos nylon (em vez do algodão), viroc em vez de betão à vista) etc

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ainda acerca deste assunto, a leitura de um texto de Paolo Portoghesi, que no essencial "... bio-compatibilidade é a beleza de um material, o prazer visual e táctil de o observar e utilizar." suscita-me a reflexão. Não é só o nivel fisico das sensações, mas a repercusão que têm ao nivel da psique. É dificil viver com algo que sabemos que debaixo da pele é falso, um material não é só o aspecto, são as sensações, o toque denuncia-o a madeira é quente, o betão é frio, é a forma como envelhece, a patine, o desgaste do uso, o prazer e a envolvência que cria... impossivel de imitar. Talvez os chineses o consigam um dia... afinal são imitadores profissionais.

Share this post


Link to post
Share on other sites

o exemplo não era acerca do atum mas sim de ser fresco ou enlatado

para ser mais claro, em alguns casos opto por materiais artificiais para garantir a durabilidade dos elementos mantendo o factor estético.


Nos fundamentalismos dos arquitectos em muitos casos sofrem os clientes


senão não usavamos nylon (em vez do algodão), viroc em vez de betão à vista) etc


se queres garantir a durabilidade dos materiais usa-os consoante o clima. não é usando cimento que parece madeira que se dá a volta ao problema e quem disser que é "ou é burro ou não percebe da arte".

Share this post


Link to post
Share on other sites

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.